1º Congresso Nacional de Planejamento e Gestão de Carreira Musical

@

Patricia Lisboa e Bruno Bething são os idealizadores de um evento inédito e completo para a área musical, o CONAPEG.

O CONAPEG foi criado o intuito de promover a evolução profissional de músicos e atuantes na área! Nós, os idealizadores do projeto, queremos levar ao público participante do evento, grandes nomes e especialistas em música da atualidade, com o objetivo de ajudar cada profissional a planejar e gerir melhor sua carreira, afim de alcançar o RECONHECIMENTO E O SUCESSO que merece.Tudo isso de forma gratuita e online, EM  7 DIAS DE CONGRESSO, com 3 a 4 palestras por dia até o dia 21/02/16!

Então se você é músico, não perca esta oportunidade e participe. Faça AGORA  o cadastro e acesse o CONAPEG para acessar gratuito esse conteúdo

Acreditamos que é possível transformar essa arte, na atividade principal da vida de um músico. Por isso, de forma pioneira, nós conseguimosreunir diversos nomes do meio para dividir suas experiências e guiar os participantes do congresso nessa caminhada de transformar uma paixão em uma profissão sólida!

O CONAPEG vem como iniciativa de criar uma comunidade empreendedora que acredita que a música pode ser sim uma carreira estável e possível de se desempenhar e viver financeiramente de forma confortável, mas para isso é preciso de ação, orientação, capacitação e treinamento, sendo o congresso o primeiro passo que você pode dar para isso!

Por isso aproveite para participar. E não esqueça de compartilhar com seus amigos músicos e profissionais da área, espalhe essa notícia aos 4 cantos, para que o maior número possível de pessoal tenha acesso à esse INCRÍVEL CONTEÚDO!

Se gostou ajude a compartilhar, curta e comente. 😉

 

10 DICAS MUITO IMPORTANTES PARA VOCÊ CONSTRUIR UM PROJETO

Meninas e Meninos,

IMG_4761 - CópiaMuita gente me pergunta qual o primeiro passo ou quais passos principais para se escrever um projeto. Segue então 10 dicas e comentários que acho que pode ajudar um pouco:

1 – Um projeto é um planejamento, uma receita (uma receita de bolo como digo sempre). É o passo a passo para que você realize o que pretende. Pode ser um projeto de uma festa, de comprar um carro, de fazer uma ação social, de lançar um livro, de construir uma casa etc. Para qualquer uma dessas ações você deve pensar em todos os detalhes e colocar isso no papel.

2 – Faça um projeto que tenha a ver com sua carreira, sua vida, sua realidade. Não adianta fazer um projeto “Totalmente Saudável” se você não consegue ficar longe das guloseimas. Não adianta fazer um projeto de engenharia se seu conhecimento é de culinária. Não adianta querer fazer projetos de dança se você só entende de música. Para isso primeiro você tem que aprender sobre o assunto e depois elaborar o projeto. Ou, conseguir uma parceria de alguém especialista no assunto que possa te ajudar.

3 – Tenha muito claro o ESCOPO do projeto. Escopo é o ponto ao qual quer chegar. O que você quer atingir. É exatamente o que é o seu projeto. Poderíamos dizer que é o Objetivo Geral misturado com a Definição. Mas é a partir dele que você constroe todo o resto. Não é só “lançar um livro” mas é porque e o que quer com esse lançamento.

4 – Definir e entender as necessidades e interesses dos STAKEHOLDERS (todas as pessoas que estão ligadas direta ou indiretamente ao seu projeto e tem interesse no mesmo). Essa parte é fundamental para uma série de ações na hora de escrever e definir o passo a passo da execução do projeto.

5 – Fazer um “Toró de Palpites” e responder os “Q’s” – O que é o projeto? O que você quer com o projeto? Onde acontecerá? Quem participará? Como vou falar disso? O que preciso? Quando preciso? Quanto preciso? etc

6 – Começar a colocar tudo no papel descrevendo, inclusive, os custos envolvidos em cada necessidade e cada passo.

7 – Ter estes principais ítens na descrição:

***RH – Recursos Humanos envolvidos – todos os prestadores de serviço, profissionais etc.

*** RM – Recursos Materiais necessários – tudo o que vai comprar, alugar, emprestar, construir etc.

*** Logística – como vai hospedar, transportar e alimentar o RH e como irá transportar e distribuir os RM.

*** Recursos Financeiros – quanto e de onde virá o dinheiro para esse investimento.

*** Plano de Comunicação – a comunicação deve ser funcional para os Stakeholders. Todos devem saber de suas funções e responsabilidades além do andamento do projeto. Isso é fundamental para o sucesso.

*** Pensar e criar um eficaz sistema de conferência, de monitoramento.

8 – Escrever o CRONOGRAMA (cronos = tempo) – definir quando e como cada ítem será realizado e quem será a pessoa responsável por ele.

9 – Ler e reler para ver se ainda falta algo e se tudo tem coerência.

10 – Avaliar riscos e se for necessário acrescentar despesas e necessidades para um plano B, C ou D.

E é isso. Observar ítens antes de escrever o projeto e antes de executar evita muitos problemas. Os detalhes são importantes, não os perca de vista.

Gostou? Curta, comente e compartilhe. Siga esse blog. QUERO TE ENVIAR SEMPRE INFORMAÇÕES EXCLUSIVAS SOBRE PROJETOS, EVENTOS E MUITO MAIS e isso eu só compartilho com quem é VIP. Para isso faça aqui sua inscrição para participar também.  🙂

PATROCINIO CULTURAL NÃO É VINCULADO, NEM DEVE SER, ÀS LEIS DE INCENTIVO

(texto publicado há dois anos)

Resolvi escrever este texto pois há muito venho dizendo ao pessoal da cultura que elaborar projetos e procurar patrocinadores não é vinculado ao cadastro em leis de incentivo ou editais. Os projetos e os patrocínios devem e acontecem independente de ter ou não uma lei ou edital para tal.

Para entender um pouco mais trouxe o primeiro “mecenas” Gaius Maecenas ou Caio Cílnio Mecenas (68-8 a.C.), conselheiro do imperador Cesar Augusto o filho de Júlio César. Ele criou a sua volta a permanência de amigos intelectuais e artistas. Era um patrocinador de todos, tornando-se um modelo para vários outros governantes e pessoas importantes. Tudo isso sempre com a intenção também de melhorar a própria imagem. ImagemDesde então, com toda essa fama e modelo copiado, o termo “mecenas” se tornou adjetivo para aqueles que patrocinavam as artes e os seus artistas. E claro esse patrocínio veio sempre com a contrapartida da fama e da boa imagem para quem o fazia.

Passados muitos e muitos anos ainda hoje as belas artes e agora muito mais a cultura em sua totalidade abrangendo a culinária, patrimônio, línguas, costumes e tal, está ainda dependente, e com razão, dos “mecenas”, dos patrocinadores que por aí buscamos. O mecenato, ou patrocínio, tem dois pontos de atuação: o cultural e o social. Nas duas áreas vem sendo desenvolvido e pensado os incentivos fiscais para que seja mais efetivo a participação de empresas e pessoas físicas. Ponto positivo.

Na área da cultura, no Brasil, temos leis federais, estaduais e municipais. As leis federais principais e efetivas são a Rouanet e a Lei do Audiovisual voltada para o cinema. A Rouanet, antiga lei Sarney, trabalha com incentivos das empresas e pessoas físicas através do IR e o abatimento variando até 100%. As leis estaduais trabalham com incentivos através do ICMS, só podem patrocinar empresas, e as porcentagens de abatimento na maioria dos estados (quase todos já tem sua lei de incentivo) é de 80% e 20% tem que sair efetivamente do bolso da empresa. No estado de São Paulo, o Proac, lei estadual, o abatimento é de 100% do valor patrocinado. As leis municipais são variáveis de acordo com o município e trabalham com o IPTU e ISS para os incentivos. A grosso modo, a empresa deposita na conta do projeto cultural o valor X, guarda o recibo e na hora de pagar o imposto faz o abatimento de acordo com as normas.

Muito legal né? Só que com essa prática, e com o aumento dos cursos sobre projetos e produção cultural, captação de recursos e outros, tem se deixado, erroneamente, a impressão de que as leis de incentivo e editais estão vinculados aos projetos e vice-versa. Com a quantidade de novos projetos e novas possibilidades estão quase todos, patrocinadores e patrocinados, VICIADOS em patrocínios apenas via leis de incentivo. Ponto negativo.

Quando se elabora e escreve um projeto o principal objetivo dever ser realiza-lo, de uma forma ou de outra. Muita gente me procura para auxiliar nos problemas com captação. Costumo dizer sempre que o mais fácil é escrever e aprovar um projeto, o difícil, mesmo é vender o projeto para o possível patrocinador.

Diante destas dificuldades tenho 7 conselhos resumidos e que são bons porque nos meus cursos eles são mais detalhados e são pagos (risos):

1- Faça um projeto porque você tem uma boa ideia e de um tema que você tem conhecimento.  A regra em vendas é que “ninguém vende aquilo que não acredita e que não conhece”.

2- Faça uma projeção de gastos pensando também em parcerias, permutas e outros tipos possíveis de entrada de recursos, pagamento ou aquisição dos itens do seu projeto.

3 –Se você pensa em dinheiro porque não pensar em ações de sustentabilidade? Exemplos: jantar pago, ingresso antecipado, compra de cotas do livro ou CD, uma festa, venda de camisetas etc.

4 – Construa um plano de negócios, de possibilidades de patrocínio e cotas, não só baseado em incentivo.

5 – Quando abordar uma empresa não pense somente no projeto em si. Pense que esta empresa poderá ser uma parceira para vários momentos.

6 – Pense e repense a sua planilha financeira para que sempre tenha formas alternativas para readequar os orçamentos.

7- NUNCA, repito NUNCA, aborde um possível patrocinador falando de imediato que o projeto está em lei X ou Y. Esta informação é a “Cereja do bolo”.

Com estes conselhos sei que você terá muitas ideias. Acredite no seu projeto, acredite que ele é um bom negócio para o patrocinador.

A INTELIGÊNCIA é entender que PATROCÍNIO CULTURAL É INDEPENDENTE DE LEI DE INCENTIVO. Patrocínio é uma via de mão dupla, é um ganha X ganha. Mas, sendo você o maior interessado, tente construir os argumentos necessários para o convencimento. Vender também é uma arte.

QUERO TE ENVIAR SEMPRE INFORMAÇÕES EXCLUSIVAS SOBRE PROJETOS, EVENTOS E MUITO MAIS e isso eu só compartilho com quem é VIP. Para isso faça aqui sua inscrição para participar também.

GostouCurta, comente e compartilhe. 😉

10 DICAS SOBRE CAPTAÇÃO DE RECURSOS

IMG_4808Meninas e Meninos,

Preparei estas 10 dicas para você pensar na captação de recursos do seu projeto:

🙂    1 – Tenha um bom projeto – um bom projeto é bem escrito, é coerente, tem diferencial que encanta e principalmente é parte do seu sonho e da sua carreira.

🙂    2 – Faça um projeto que realmente vá realizar a qualquer custo. Não perca tempo por algo que só vai tentar em lei de incentivo pois esse é apenas um dos vários caminhos.

🙂    3 – Após o projeto pronto, aprovado ou não em uma lei de incentivo, faça um material de vendas convincente. Primeiro convença do porque é bom e depois fale de valores e incentivos. 

🙂    4- Não caia no erro de achar que você ou seu projeto é importante ou inédito, como você um milhão de pessoas pensam assim. Defina qual a sua importância e a do seu projeto para a empresa e para o mundo.

🙂   5- Esqueça o discurso antigo e que não convence ninguém que a empresa ou pessoa tem que investir em cultura é importante, quase uma obrigação. Não é assim que funciona. 

🙂    6 – Seu projeto está numa lei. Ok. Mas isso não é nada, tem um monte que está. Pense e monte argumentos do porque é melhor investir no seu projeto do que em outro. 

🙂    7 – Pense em várias possibilidades de captação de recursos: parcerias, financiamento coletivo (crowdfunding), venda antecipada, sócios investidores, várias leis de incentivo etc. 

🙂   8 – Não ache que porque está em uma lei, na mão de um captador, em um site de financiamento tudo vai dar certo….você precisa continuar trabalhando a sua participação é fundamental. 

🙂    9 – Entende que o NÃO já é seu… vá atrás do sim. Mas entenda que é a arte de vender e não de obrigar. 

🙂    10- Seja criativo. Seja proativo. Seja inteligênte. Não desista. Não é impossível. 

GostouCurta, comente e compartilhe. 

QUERO TE ENVIAR SEMPRE INFORMAÇÕES EXCLUSIVAS SOBRE PROJETOS, EVENTOS E MUITO MAIS e isso eu só compartilho com quem é VIP. Para isso faça aqui sua inscrição para participar também. 🙂

A IMPORTÂNCIA DO “ADVOGADO DO DIABO”

Meninas e meninos,

IMG_8080-001Muitas vezes sou chamada de irritante, de pessoa difícil e até partidária por, na maioria das vezes, questionar a verdade do que está sendo afirmado, discordar ou cogitar tragédias. A verdade é que pra tudo tento ser o Advogado do Diabo (do latim diabolus, por sua vez do grego diábolos, “caluniador”, ou “acusador”) pois é questionando, supondo, pensando diferente que obteremos respostas mais concretas e não teremos certezas tão frágeis. É assim que, ainda que errados, poderemos ter certeza de que estamos pensando, estamos sendo ativos e não somente reativos. É assim que estaremos preparados para o pior, e se ele não vier, melhor.

11bacde6e443ed1f851bab4a6fe0e96fMas o que é o “advogado do diabo”? Entre 1900 a 1983 nos processos de canonização da Igreja Católica existia a figura de um “promotor da fé” (Promotor Fidel). Ele era escolhido pela igreja e sua função era olhar com dúvidas e questionar as possíveis falhas ou inconsistencias das provas sobre milagres e outros acontecimentos. Essa função era popularmente conhecido como “Advogado do Diabo” (advocatus diaboli). Os Advogados do Diabo, reduziam o número de canonizações e garantiam que a santidade não deveria ser tão fácil assim.

Atualmente usamos a expressão para designar as pessoas que estão do lado contrário de uma questão aprovada por todos, que olha o outro lado, questiona o que ninguém mais questionou. Não aceita tão fácil assim as “verdades” ou as soluções.

images (4)Esse papel é muito importante quando estamos fazendo um planejamento estratégico, quando estamos fazendo a pesquisa, o “brainstorm” ou “toró de palpites”   como dizemos lá em Minas. É importante na construção e elaboração de projetos e eventos. Precisamos quetionar e pensar: “e se chover?”, “mas será que é o melhor?”, “se todos estão fazendo talvez não seja melhor não fazer?”, “se todos estão fazendo talvez não seja melhor fazer?”, “E se azedar a comida?”, “Será que este lugar é mesmo o melhor?”, “So porque tem 5 estrelas será que é realmente bom pra o que precisamos?”, “Será que só porque está na moda vamos fazer?”, “E se a empresa furar com a gente?”, “E se alguém se machucar?”, “E se formos multados?” etc etc.

Portanto, se você tem alguém assim na sua equipe, valorize. Se não tem, se tudo é muito tranquilo e todos concordam, faça alguma coisa pra mudar isso. Inclua alguém ou motive para isso. Eventos e projetos são eventualidades, são frágeis, não acertaremos nunca 100% mas quanto mais nos preparamos mais perto dos 100 chegamos. Se nos preparamos para tudo, ou quase tudo, estamos salvos ainda que nada de errado ou ruim realmente aconteça.

É como eu digo, para se organizar com maestria eventos e projetos o mais importante é pensar, pensar e pensar na hora de planejar, planejar e planejar. 🙂

***Cadastre seu email  no formulário de contato para receber nossas novidades. Promoções especiais, descontos, textos exclusivos e muito mais só para quem se cadastrou. 

Você gostou???? Compartilhe. Agradeço sempre.

HOJE – DICAS PARA PARTICIPAR DO CURSO SOBRE O PROAC EDITAL/SP – TOTALMENTE GRATUITO

cropped-proac.jpgE é hoje nosso curso e bate papo para esclarecer dúvidas sobre os editais abertos do PROAC EDITAL 2015. Como se cadastrar, como funciona a seleção, como pensar em um bom projeto, como escrever o seu projeto e como executar. Além de muito mais dicas para você que está em qualquer lugar de São Paulo. A novidade serão as mudanças que aconteceram e as novas formas de cadastro.

Para participar você precisa acessar o link: https://plus.google.com/u/0/events/c8pi3qufli2ktruugilmsaj4vv8

É necessário instalar o plugin do Hangout para assistir ao vivo. Para isso é necessário você ter uma conta no GMAIL. Também muito rápido o cadastro. Você poderá também conversar pelo bate papo do Hangout.

Sugiro que você faça um teste antes verificando se consegue assistir outros Hangouts que estejam abertos para experimentar. Qualquer dúvida me manda um email no mariliadelima@gmail.com.

Confirme sua presença na própria página do evento. Ainda não sabemos, devido ao tempo, se iremos ou não gravar. Portanto, não perca esta oportunidade. Te espero hoje as 19 horas no link acima. Para os participantes teremos o eE-book “PROAC EDITAL 2015” e CERTIFICADO DE PARTICIPAÇÃO.

Gostou? Curta e comente. Compartilhe também pois informação tem que circular. Estou a disposição para dúvidas.

EM BREVE CURSO PARA QUEM VAI PARTICIPAR DE FEIRAS DE NEGÓCIOS

@EVENTOSO Mercado de Feiras de negócios movimenta bilhões em todo o mundo. O crescimento anual deste seguimento é aproximadamente 20% ao ano. Mais e mais empresas utilizam esta forma de evento para divulgar sua empresa e gerar negócios. Estamos em uma época em que o profissionalismo e o resultado financeiro são mais do que obrigatórios. Um momento em que atrair público é ainda mais difícil pois a internet superlota com possibilidades e convites.

49b672714ab0041e22ff51156f88c04eEm todo o mundo a visão destas feiras deixou de ser de ‘momento de encontrar amigos e clientes’ para ser um momento de ‘gerar receitas e grandes negócios’. As feiras encurtam caminhos, reduzem custos, é o showroom dos negócios de cada setor. Existem empresas que investem até trezentos mil dólares para participar de uma única feira por ano, com um pequeno estande, para sentar e conversar com um cliente “X” que normalmente não o atenderia no escritório em dias normais e desta conversa gerar um negócio de milhões de dólares. Foi com base nestes e tantos outros dados que criei o “COMO PARTICIPAR COM INTELIGÊNCIA NAS FEIRAS DE NEGÓCIOS” onde mostro que participar de feiras colocando um estande bonitinho não é tão simples e preciso planejamento. É preciso um projeto que atenda as demandas da oferta e procura de cada setor.

ddd11519be2bb43dc578b0ccfa509c9eO workshop, com duração de 8 horas, mostra todas as etapas envolvidas no processo de participação.

-Todas as etapas do projeto e evento, / -como atrair clientes para seu espaço, /-tipos de estandes e decoração, móveis, paisagismo / – grandes estandes , pequenos estandes, / – estandes construídos, estandes mistos e estandes em estruturas prontas / – análise de riscos, / – documentos e licenças de cada evento, contratos, / – como atender, / – treinamento de recepcionistas e modelos, / – PDV, / – equipamentos audiovisuais, / – material gráfico, brindes, / – promoções, / – divulgação, / – uniforme,  / – relatórios, / – avaliações e análises de resultados entre vários outros temas serão apresentados.

38c7047027af4980e24b60f93a9ca578O participante recebe a apostila com o conteúdo e certificado.

77206a09c591ed83fc8a703eb6162a9dO evento ainda não tem data definida para sua próxima edição. Interessados mandem email para mariliadelima@gmail.com

Gostou? Curta e compartilhe.

PATROCÍNIO CULTURAL NÃO PRECISA SER VIA LEI DE INCENTIVO

@PROJETOSOs projetos e os patrocínios devem, e acontecem, independente de ter ou não uma lei ou edital de incentivo.

Para entender um pouco mais trouxe o primeiro “mecenas” Gaius Maecenas ou Caio Cílnio Mecenas (68-8 a.C.), conselheiro do imperador Cesar Augusto o filho de Júlio César. Ele criou a sua volta a permanência de amigos intelectuais e artistas. Era um patrocinador de todos, tornando-se um modelo para vários outros governantes e pessoas importantes. Tudo isso sempre com a intenção também de melhorar a própria imagem. ImagemDesde então, com toda essa fama e modelo copiado, o termo “mecenas” se tornou adjetivo para aqueles que patrocinavam as artes e os seus artistas. E claro esse patrocínio veio sempre com a contrapartida da fama e da boa imagem para quem o fazia.

Passados muitos e muitos anos ainda hoje as belas artes e agora muito mais a cultura em sua totalidade abrangendo a culinária, patrimônio, línguas, costumes e tal, está ainda dependente, e com razão, dos “mecenas”, dos patrocinadores que por aí buscamos. A cada dia vem sendo desenvolvido e pensado os incentivos fiscais para que seja mais efetivo a participação de empresas e pessoas físicas. Ponto positivo.

Na área da cultura, no Brasil, temos leis federais, estaduais e municipais. A grosso modo, a empresa deposita na conta do projeto cultural o valor X, guarda o recibo e na hora de pagar o imposto faz o abatimento de acordo com as normas. Mas isso tem virado regra e deixado de lado o foco principal que  não é convencer o patrocinador a te “adiantar um imposto” e sim a investir no seu projeto.

Infelizmente essa postura de muitos tem se deixado, erroneamente, a impressão de que as leis de incentivo e editais estão vinculados aos projetos e vice-versa. Com a quantidade de novos projetos e novas possibilidades estão quase todos, patrocinadores e patrocinados, VICIADOS em patrocínios apenas via leis de incentivo. Ponto negativo.

Quando se elabora e escreve um projeto o principal objetivo dever ser realiza-lo, de uma forma ou de outra. Muita gente me procura para auxiliar nos problemas com captação. Costumo dizer sempre que o mais fácil é escrever e aprovar um projeto, o difícil, mesmo é vender o projeto para o possível patrocinador. Então temos que criar projetos realizáveis e trabalhar de forma que possamos convencer este Mecenas de que vale a pena patrocinar, com ou sem lei de incentivo. Precisamos achar o apelo que encantará o patrocinador além de um desconto em impostos.

Gostou? Curta e comente. Partilhe pois o conhecimento deve circular. 

 

CONHECIMENTO E EXERCÍCIO DO PENSAMENTO PARA TER BOAS IDÉIAS

@IDEIAS@Primeiro: Na década de 1940 e 1950 foi desenvolvida a teoria das Redes Neurais. As redes neurais não acumulam informações, elas aprendem através do processamento das informações que são açuladas por estímulos externos. É como uma dona de casa que em sua criatividade olha o que tem de ingredientes em casa e improvisa alguma comida com base nas experiências que tem. Mas as redes neurais são muito simples comparadas ao modelo que os inspirou: os nossos neurônios pois ao contrário dos artificiais que só recebem uma informação em cada um nós recebemos várias a todo momento.

@criativo4Segundo: Fiz um curso com o Roberto Shinyashiki o ano passado, em 2014, e ele tinha uma frase que usava o tempo todo “aumente o seu aquário”. No exemplo ele dava a um voluntário várias bolinhas de isopor para ser colocado em um aquário pequeno, estas não cabiam. Depois dava outro aquário maior e aí sim as bolinhas cabiam. O que ele estava querendo dizer era para ampliarmos o espaço onde processamos o conhecimento. E não somente acumular o conhecimento.

@criativo3Terceiro: Thomas Edson inventor da lâmpada incandescente teve uma grande idéia. Maravilha né ? Mas o que realmente ninguém sabe é que ele teve duas mil idéias para tentar fazer o projeto dar certo. Questionado por um jornalista sobre seus “fracassos” ele respondeu que não eram fracassos, que era conhecimento, pois já sabia então duas mil maneiras de não fazer uma lâmpada.

Com estas três historinhas posso dizer uma coisa pra vocês sobre idéias:

  • Quanto mais você acumula informação mais possibilidade de solucionar um problema ou de ter idéias. Faça seus neurônios trabalharem e aprender mais e mais. Não se aprende só na escola. Para aprender temos que observar, ouvir, ler, entender o mundo que nos cerca. Ser questionadores. Perguntar “por que”. Ser questionadores.
  • Não basta acumular informação, tem que ampliar o pensamento, olhar para todos os lados experimentando vários pontos de vista. Ampliar o seu aquário é abrir a mente. Conhecimento tem que circular. Informação não é pra ser guardada. É dando que se recebe. A roda tem que girar.
  • Para termos uma idéia é necessário usar o cérebro, muito, muito mesmo. Pensar e pensar. Ter uma idéia, ter a segunda, a terceira, a quarta e assim por diante. E só então escolhemos a melhor idéia das várias que tivemos.

Bem, aí estão as três primeiras dicas. A partir do próximo domingo vamos falar de idéias e vou te sugerir idéias. Vamos ter idéias juntos. Esse será nosso exercício.

E isso servirá para que? Para você empreender, para você criar projetos, eventos, planejar sua carreira, criar seu diferencial.

TIRE DA GAVETA SEUS PROJETOS PARA 2015

imagesJá pensou e já fez seu planejamento de trabalho e de conquistas para 2015????? Então tá na hora de parar para pensar nisso. Sábado dia 13 de dezembro de 2014, no THE BARD, das 9 às 12 horas você irá fazer comigo esse exercício. (www.thebard.com.br)

“Nietzsche declarou: “E se você olhar por muito tempo em um abismo, o abismo olha também para dentro de você.”

Pare de olhar o abismo e comece a construir o futuro que você deseja. Quantas vezes você viu algum projeto ou empreendimento despontar e começar a ser sucesso e falou “poxa, eu já tinha pensado nisso!”? Quantas vezes você viu uma pessoa conquistando um objetivo e pensou “poxa eu também poderia, mas tento e não consigo”? Isso acontece com muita gente, principalmente os que criam em suas mentes ideias de projetos, soluções para diversos problemas ou necessidades, coisas criativas. Mas ficam no universo das ideias e não passam dos sonhos. É necessário colocar em prática estes sonhos para não correr o risco de “perder” sua ideia. Não importa se você no meio do caminho terá que refazer prazos ou não, se terá os recursos ou não, mas o planejamento, o projeto, te deixará mais próximo do objetivo. Jung com seus arquétipos e teorias dizia que o inconsciente coletivo é algo comum entre todos. Esse inconsciente é como se fosse um banco de dados do universo e é dele que vêm nossas ideias. Nossas ideias são fruto da assimilação das necessidades, possibilidades, oportunidades e outros, com as ferramentas que possuímos. Enfim, é como se cada um colocasse no liquidificador seu conteúdo e o conteúdo externo, batesse e fizesse uma vitamina, essa é a ideia. Mas assim como você, outras pessoas podem ter quase os mesmos ingredientes, e é aí que projetos parecidos nascem. Portanto, faça já.

Essa palestra tem o objetivo de orientar e fazer com você um exercício de avaliação pessoal e definição, no papel dos seus objetivos e ações para 2015. Na área pessoal, profissional, da sua saúde, familiar, amorosa e por aí vai. Você vai construir comigo uma agenda para o próximo ano e assim definir melhor o seu caminho. “Quem não sabe para onde ir, qualquer caminho serve”

Te espero por lá.

Consulte por email, mariliadelima@gmail.com, este curso agora em dezembro via online para você participar de qualquer parte do mundo.