05 DICAS PARA CRIAR UMA FEIRA DE NEGÓCIOS

IMG_4901

As feiras de negócios, ou comerciais, são ações de mercado com o objetivo de promover uma idéia, criar intercâmbio, aumentar carteira de clientes ou vender.

As feiras podem ser divididas ou identificas por:

– Localização: nacional, regional, estadual, internacional

– Seguimento de atividade

– Função: apresentar novos produtos, agregar conhecimento, vender, relacionamento com clientes.

As feiras podem acontecer uma única vez ou ter edições anuais ou bienais. Acontecem:

*sozinhas – a feira como evento principal e que pode ou não ter algum evento paralelo como rodada de negócios, seminário, cursos etc.

*como atividade paralela agregadora – em um evento técnico ou comemorativo. Um seminário, congresso, festival.

Os formatos de uma feira podem variar de acordo com o objetivo. Podem ser construídos estandes iguais e estes comercializados. Venda de espaços por metro quadrado e de acordo com o poder aquisitivo de cada participante cada um compra o tamanho que quer e o constrói e organiza como achar mais conveniente.

Existem regras básicas de marketing que devem ser seguidas tanto para organizar um evento nesse formato quanto para participar como expositor.

Ao ter a idéia de uma feira para o seu seguimento de negócio é importante antes de tudo planejamento e também a criação de um projeto. Deixo aqui 05 dicas para serem seguidas:

1) Pesquise no mercado nacional e internacional se já existe feiras que acontecem no seu setor. Às vezes temos uma idéia que parece inédita e aí na pesquisa descobrimos que alguém já está fazendo. Liste todas com o maior número de informações.Liste até aquelas tenham formato diferente do que você está pensando. Crie apontamentos sobre época, assuntos debatidos, público participante, relevância do evento e outras informações que possa depois usar como parâmetro para elaborar o seu evento.

2) Defina claramente qual o objetivo do evento e o seu conteúdo. Você pode criar uma feira onde o principal objetivo são as rodadas de negócios. Você pode criar uma feira onde o objetivo é vender. Ou uma onde o objetivo é apresentar novidades. Defina o que quer exatamente, pois isso influenciará no seu público alvo.

3) Escolha o formato e porte. Se você está começando e nunca fez pode optar, por variadas razões, em fazer um evento pequeno. Mas, pequeno ou grande, terá que definir se o evento terá estandes (ou até barracas padronizadas) do mesmo tamanho ou se vai optar por um sistema de montagem a partir do espaço comprado pelo participante. Essas definições irão influenciar no orçamento e este consequentemente influenciará nos valores de participação.

4) Estabeleça parcerias e apoio com entidades, empresas e pessoas importantes do setor. Definitivamente uma feira de negócios precisa de parceiros. Parceiros que certifiquem a importância da sua feira, que tragam credibilidade e que ajudem na divulgação no meio. Parcerias e apoio das entidades representativas da classe são as mais importantes. Crie sua rede de parcerias antes de tudo.

5) Elabore o projeto. Em qualquer evento a ser executado é muito importante criar um planejamento com custos e cronograma. Um projeto bem construído evita gastos desnecessários e auxiliar na execução de acordo com o esperado.

Mercado e oportunidades para a criação de feiras no setor da cultura, economia criativa, sociais e afins é gigante. Existem poucas ações neste sentido, inclusive internacionalmente. E aí…que tal pensar em algo interessante e criar a sua feira?

Gostou? Curta e comente. E principalmente compartilhe com todos. Conhecimento deve sempre circular.

 

“REDE COLABORATIVA DE PRODUÇÃO” – A NOVIDADE QUE VAI LIGAR OS PONTOS DA PRODUÇÃO CULTURAL NO BRASIL

@O Brasil é um país com proporções gigantescas e as dificuldades, quando o objetivo é trabalhar com distribuição de algum produto ou serviço em todas as regiões, são também gigantes. Imagine então o quanto é difícil para os profissionais da área da cultura conseguir este feito.

Até mesmo as grandes produções encontram dificuldades. E para completar, ainda temos o “custo Brasil” que assusta o bolso do empreendedor.

Acontece que o artista, o oficineiro, o fazedor de cultura quer levar sua arte, seu recado para todo canto.  Tem um CD e quer lançar, tem um livro e quer mostrar, tem espetáculos artísticos e quer se apresentar tem seus cursos e quer ensinar. E quer fazer tudo isso em todo o Brasil, nas principais capitais, em todas as regiões.

É praticamente impossível, um único produtor cultural, dominar todo conhecimento e ter tanta informação perecível, que necessita de atualização constante, sobre locais, contatos, serviços e outros itens do check list de uma produção.

Entendendo essa dificuldade é que surgiu a ideia de “ligar os pontos” desses contatos e informações de alguma forma.

O TOQUE

Tudo começou com o Jornal O Toque, publicação que circulou impressa e também on line entre 2002 a 2004  (faremos uma matéria sobre o Jornal O Toque, a equipe de criadores etc.). No site do jornal seria colocado informações importantes como produtores, locais, gráficas, jornais, rádios etc. de todo o Brasil. Era um banco de dados onde a pessoa poderia entrar e alimentar esta informação. Depois todos poderiam pesquisar e ver o resultado para cada item que precisasse. O jornal deu certo. Mas o sistema de informações de produção nunca deu certo, pois, ninguém alimentava. Não queriam partilhar informação. E após anos de pesquisa, tentativas e adaptação e experimentações da ideia, surge um projeto, já em andamento, que chama REDE COLABORATIVA DE PRODUÇÃO.

Janaina Leite e eu - o café de Istabul, que não é coado

Marília de Lima e Janaina Leite – sócias na Lima Projetos e Eventos.

Este projeto da RedeCP, é produzido e coordenado por Janaina Leite e Marília de Lima, sócias na Lima Projetos e Eventos. O projeto é criar uma ferramenta facilitadora do trabalho do produtor cultural e de eventos na área cultural. O trabalho será realizado no formato crowdsourcing onde todos ajudarão a construir as etapas e o conteúdo. O formato de “rede” fará o sistema de manutenção das informações acontecer de forma diferente, hibrida, pró ativa e que vai gerar inúmeros benefícios para os participantes.

A intenção é fortalecer a rede em todo o Brasil. Construir parcerias para informações rápidas e confiáveis sobre todas as etapas de uma produção. Organizar e partilhar informações confiáveis possam ser obtidas rápida e continuamente sobre: editais, leis, locais para eventos, gráficas, serviços variados, hotéis, transporte, profissionais, contatos com o governo, jornalistas, rádios e imprensa em geral etc.

Mas o principal objetivo é criar circuitos de cultura onde os produtores trabalhem em conjunto para viabilizar tournés nas mais variadas regiões do Brasil. Eventos como lançamentos de CDs, espetáculos de teatro, exposições,lançamento de livros, cursos e palestras etc. Diminuindo custos, aumentando a visibilidade e distribuição, gerando trabalho para os profissionais locais e fomentando o mercado cultural em todo o país.

Haverá a construção de conexões que beneficiarão a todos os participante a partir de um evento anual onde os produtores, managers e artistas possam levar seu trabalho, suas propostas e negociar as apresentações durante o próximo ano. Será como uma grande feira para gerar oportunidades e negócios para toda a cadeia produtiva da cultura.

O projeto está ainda sendo elaborado E VOCÊ PODE PARTICIPAR DESTA CONSTRUÇÃO.  Em outubro de 2015 acontecerá em São Paulo o 1° Encontro da REDE COLABORATIVA DE PRODUÇÃO. O evento será presencial e online para que o maior número possível de profissionais da cultura, em todo o país, possam participar.

Este projeto já conta com apoio de diversos profissionais e entidades.  Mande agora sua opinião, sugestão e intenção de participar ou de ser nosso parceiro. O email limaprojetoseventos@gmail.com – aos cuidados de Janaina LeiteMarília de Lima.

Na próxima edição falaremos um pouco mais do andamento desse projeto.

Gostou? Curta e comente. Aproveite e compartilhe para construirmos de verdade uma REDE COLABORATIVA DE PRODUÇÃO.