INTELIGÊNCIA NA ELABORAÇÃO E GESTÃO EM PROJETOS – CURSO PRESENCIAL EM JANEIRO DE 2016

Você que queria muito meu curso presencial olha ele aí. Dias 16 e 17 de janeiro, em São Paulo nós poderemos nos encontrar e falar sobre a INTELIGÊNCIA NA ELABORAÇÃO E GESTÃO DE PROJETOS. Essa é minha primeira agenda para o ano de 2016 e quero te ver por lá.

12187673_10154386991478712_7530135820567049477_nFalaremos sobre:

  • Escolher a ideia,
  • Construir o esboço,
  • Utilizar o MÉTODO**
  • Escrever o projeto
  • Leis de incentivo e editais
  • Plano de Mídia
  • Captação de recursos
  • Execução/ Gestão
  • Finalização
  • Prestação de contas
  • Extras

Um curso imperdível para quem quer realmente aprender a fazer projetos reais, factíveis, criativos e inteligentes. Um curso para quem não quer só escrever e aprovar projetos mas que quer executar, captar e realizar o que está proposto.

No curso, além de me basear pelas técnicas do PMI (Um instituto que pesquisa e define parâmetros para o gerenciamento de projetos), utilizo também o modelo de construção do Canvas que é aquele famoso construtor de idéias que trabalha como os post-its.

Agora o mais legal que tenho pra te oferecer é o meu MODELO exclusivo de construção de projetos onde você realmente fixa o conteúdo e aprende na prática como fazer.

Para todos os que se inscreverem tenho 04 bônus:

  1. *Kit de planilhas e modelos para construir seus projetos.
  2. *Agenda de editais para 2016
  3. *E-Book – Divulgando projetos e eventos nas redes sociais.
  4. *Vídeo exclusivo: “Crowndfunding

E ainda um quinto bônus SURPRESA mas muito útil para o produtor cultural e de eventos.

TÓPICOS:

O que é um projeto – DA IDÉIA À EXECUÇÃO – Pesquisa de mercado – ESCOLHENDO O PROJETO – Justificativa – OBJETIVOS – Etapas de um projeto – GESTÃO DE PESSOAS – Gestão de materiais – LOGÍSTICA –  Gestão de riscos – GESTÃO DE RECURSOS FINANCEIROS –  Estrutura de trabalho – PLANILHAS – Indicadores de desempenho – PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO – Plano de Mídia – CAPTAÇÃO E MOBILIZAÇÃO DE RECURSOS – Contratações – LEIS E LICENÇAS – No papel – ADEQUAÇÃO À LEIS DE INCENTIVO, EDITAIS, EMENDAS E OUTROS – Execução e gestão – AVALIAÇÃO – Diversos.

Então se você é da área de projetos, eventos, cultura, entidades sociais, comunicação, marketing, produção, artes etc se inscreva agora para receber as informações completas desse curso:  faça aqui sua inscrição. Para todos os que se inscreverem até o dia 15 de dezembro o desconto será de 20% do valor total. Acompanhe as informações.

Compartilhe com seus amigos. 😉

PATROCINIO CULTURAL NÃO É VINCULADO, NEM DEVE SER, ÀS LEIS DE INCENTIVO

(texto publicado há dois anos)

Resolvi escrever este texto pois há muito venho dizendo ao pessoal da cultura que elaborar projetos e procurar patrocinadores não é vinculado ao cadastro em leis de incentivo ou editais. Os projetos e os patrocínios devem e acontecem independente de ter ou não uma lei ou edital para tal.

Para entender um pouco mais trouxe o primeiro “mecenas” Gaius Maecenas ou Caio Cílnio Mecenas (68-8 a.C.), conselheiro do imperador Cesar Augusto o filho de Júlio César. Ele criou a sua volta a permanência de amigos intelectuais e artistas. Era um patrocinador de todos, tornando-se um modelo para vários outros governantes e pessoas importantes. Tudo isso sempre com a intenção também de melhorar a própria imagem. ImagemDesde então, com toda essa fama e modelo copiado, o termo “mecenas” se tornou adjetivo para aqueles que patrocinavam as artes e os seus artistas. E claro esse patrocínio veio sempre com a contrapartida da fama e da boa imagem para quem o fazia.

Passados muitos e muitos anos ainda hoje as belas artes e agora muito mais a cultura em sua totalidade abrangendo a culinária, patrimônio, línguas, costumes e tal, está ainda dependente, e com razão, dos “mecenas”, dos patrocinadores que por aí buscamos. O mecenato, ou patrocínio, tem dois pontos de atuação: o cultural e o social. Nas duas áreas vem sendo desenvolvido e pensado os incentivos fiscais para que seja mais efetivo a participação de empresas e pessoas físicas. Ponto positivo.

Na área da cultura, no Brasil, temos leis federais, estaduais e municipais. As leis federais principais e efetivas são a Rouanet e a Lei do Audiovisual voltada para o cinema. A Rouanet, antiga lei Sarney, trabalha com incentivos das empresas e pessoas físicas através do IR e o abatimento variando até 100%. As leis estaduais trabalham com incentivos através do ICMS, só podem patrocinar empresas, e as porcentagens de abatimento na maioria dos estados (quase todos já tem sua lei de incentivo) é de 80% e 20% tem que sair efetivamente do bolso da empresa. No estado de São Paulo, o Proac, lei estadual, o abatimento é de 100% do valor patrocinado. As leis municipais são variáveis de acordo com o município e trabalham com o IPTU e ISS para os incentivos. A grosso modo, a empresa deposita na conta do projeto cultural o valor X, guarda o recibo e na hora de pagar o imposto faz o abatimento de acordo com as normas.

Muito legal né? Só que com essa prática, e com o aumento dos cursos sobre projetos e produção cultural, captação de recursos e outros, tem se deixado, erroneamente, a impressão de que as leis de incentivo e editais estão vinculados aos projetos e vice-versa. Com a quantidade de novos projetos e novas possibilidades estão quase todos, patrocinadores e patrocinados, VICIADOS em patrocínios apenas via leis de incentivo. Ponto negativo.

Quando se elabora e escreve um projeto o principal objetivo dever ser realiza-lo, de uma forma ou de outra. Muita gente me procura para auxiliar nos problemas com captação. Costumo dizer sempre que o mais fácil é escrever e aprovar um projeto, o difícil, mesmo é vender o projeto para o possível patrocinador.

Diante destas dificuldades tenho 7 conselhos resumidos e que são bons porque nos meus cursos eles são mais detalhados e são pagos (risos):

1- Faça um projeto porque você tem uma boa ideia e de um tema que você tem conhecimento.  A regra em vendas é que “ninguém vende aquilo que não acredita e que não conhece”.

2- Faça uma projeção de gastos pensando também em parcerias, permutas e outros tipos possíveis de entrada de recursos, pagamento ou aquisição dos itens do seu projeto.

3 –Se você pensa em dinheiro porque não pensar em ações de sustentabilidade? Exemplos: jantar pago, ingresso antecipado, compra de cotas do livro ou CD, uma festa, venda de camisetas etc.

4 – Construa um plano de negócios, de possibilidades de patrocínio e cotas, não só baseado em incentivo.

5 – Quando abordar uma empresa não pense somente no projeto em si. Pense que esta empresa poderá ser uma parceira para vários momentos.

6 – Pense e repense a sua planilha financeira para que sempre tenha formas alternativas para readequar os orçamentos.

7- NUNCA, repito NUNCA, aborde um possível patrocinador falando de imediato que o projeto está em lei X ou Y. Esta informação é a “Cereja do bolo”.

Com estes conselhos sei que você terá muitas ideias. Acredite no seu projeto, acredite que ele é um bom negócio para o patrocinador.

A INTELIGÊNCIA é entender que PATROCÍNIO CULTURAL É INDEPENDENTE DE LEI DE INCENTIVO. Patrocínio é uma via de mão dupla, é um ganha X ganha. Mas, sendo você o maior interessado, tente construir os argumentos necessários para o convencimento. Vender também é uma arte.

QUERO TE ENVIAR SEMPRE INFORMAÇÕES EXCLUSIVAS SOBRE PROJETOS, EVENTOS E MUITO MAIS e isso eu só compartilho com quem é VIP. Para isso faça aqui sua inscrição para participar também.

GostouCurta, comente e compartilhe. 😉

10 DICAS SOBRE CAPTAÇÃO DE RECURSOS

IMG_4808Meninas e Meninos,

Preparei estas 10 dicas para você pensar na captação de recursos do seu projeto:

🙂    1 – Tenha um bom projeto – um bom projeto é bem escrito, é coerente, tem diferencial que encanta e principalmente é parte do seu sonho e da sua carreira.

🙂    2 – Faça um projeto que realmente vá realizar a qualquer custo. Não perca tempo por algo que só vai tentar em lei de incentivo pois esse é apenas um dos vários caminhos.

🙂    3 – Após o projeto pronto, aprovado ou não em uma lei de incentivo, faça um material de vendas convincente. Primeiro convença do porque é bom e depois fale de valores e incentivos. 

🙂    4- Não caia no erro de achar que você ou seu projeto é importante ou inédito, como você um milhão de pessoas pensam assim. Defina qual a sua importância e a do seu projeto para a empresa e para o mundo.

🙂   5- Esqueça o discurso antigo e que não convence ninguém que a empresa ou pessoa tem que investir em cultura é importante, quase uma obrigação. Não é assim que funciona. 

🙂    6 – Seu projeto está numa lei. Ok. Mas isso não é nada, tem um monte que está. Pense e monte argumentos do porque é melhor investir no seu projeto do que em outro. 

🙂    7 – Pense em várias possibilidades de captação de recursos: parcerias, financiamento coletivo (crowdfunding), venda antecipada, sócios investidores, várias leis de incentivo etc. 

🙂   8 – Não ache que porque está em uma lei, na mão de um captador, em um site de financiamento tudo vai dar certo….você precisa continuar trabalhando a sua participação é fundamental. 

🙂    9 – Entende que o NÃO já é seu… vá atrás do sim. Mas entenda que é a arte de vender e não de obrigar. 

🙂    10- Seja criativo. Seja proativo. Seja inteligênte. Não desista. Não é impossível. 

GostouCurta, comente e compartilhe. 

QUERO TE ENVIAR SEMPRE INFORMAÇÕES EXCLUSIVAS SOBRE PROJETOS, EVENTOS E MUITO MAIS e isso eu só compartilho com quem é VIP. Para isso faça aqui sua inscrição para participar também. 🙂

EDITAIS, PRÊMIOS, CONCURSOS E NOTÍCIAS

@AGENDASEMANALE hoje é sexta feira e é dia de agenda. Um pouco do que tem de legal acontecendo por aí e também de editais abertos.

Aproveite o dia, aproveite o final de semana, mas aproveite principalmente a sua vida.

 

Semana de 08 a 14 de maio

SÃO PAULO – O Sesec – Serviço Social de Educação e Cultura, realizará cadastro/seleção de atores e atrizes para a produção de uma série para veiculação na Internet. A temática da série envolverá o tema: “Transformação Social”. Os interessados deverão enviar o currículo artístico para: sesecbrasil@gmail.com – Até 22/05/2015.

PIRACICABA e região – O SESI de Piracicaba abre o Edital Chamamento 2015 -Seleção de Projetos Culturais de Piracicaba e região! até 27/05 – Inscrição: http://www2.sesisp.org.br/piracicaba/docs/Ficha-de-inscricao-de-Projetos-Culturais-23-03.pdf

COPENHAGEM, na Dinamarca – 13º Festival Internacional de Documentários de Copenhagen – CPH:DOX – Até 01/06 – Para mais informações, entre em contato pelo email programa.apoio@ancine.gov.br     – Formulário e outras informações: http://www.cphdoxnews.dk/d/entry.lasso

BELO HORIZONTE/ Brasil – Estão abertas até o dia 15 de junho as inscrições para o FETO – Festival Estudantil de Teatro – abre inscrições para grupos de teatro de escola de todo o país. Inscrições: http://fetobh.art.br/2015/inscreva-se-aqui/

RIO DE JANEIRO/ Brasil – 2˚ Concurso Nacional FETAERJ de Dramaturgia – Prêmio João Siqueira – Serão premiados os 3 primeiros colocados: 1º LUGAR – 1.000,00 / 2º LUGAR – 500,00 / 3º LUGAR – 200,00 – até final de maio.  – Inscrição: http://goo.gl/forms/ciIoSGqqZF

INTERNACIONAL – Bolsas para Artes Plásticas de 50% para artistas brasileiros. De 25/07 até 02/08 – Residência internacional DRIFT no estado do Rio, programa multi-disciplinar que oferece metodologias reflexivas, criativas e colaborativas para desenvolver o projeto dos participantes através de mentoria, experimentos, tarefas e sessões de desenvolvimento profissional.- Mais informações: www.thedriftproject.com

ITU e região – até 17 de maio o SESI de Itu esta recebendo inscrições para o Edital Local de Chamamento 2015 – Projetos Culturais. Serão selecionadas propostas nas áreas de Música e Artes Cênicas (teatro, teatro-dança, dança, circo-teatro, performances e teatro de bonecos e formas animadas). Os trabalhos selecionados integrarão a programação cultural 2015 do SESI Itu. Mais informações: (11) 4025-7332 ou pelos e-mails cacitu@sesisp.org.br e camila.trombini@sesisp.org.br

AMERICA LATINA – Para os profissionais de teatro O Iberescena – Fundo de Ajuda para as Artes Cênicas Ibero-americanas chega à nona edição com a seleção de projetos nas seguintes categorias: A) Ajuda a redes, festivais e espaços cênicos para a programação de espetáculos; B) Ajuda a coprodução de espetáculos ibero-americanos de artes cênicas; C) Ajuda aos processos de criação dramatúrgica e coreográfica, em residência. As inscrições estão abertas até o dia 30 de setembro e o valor das premiações varia de 6 mil euros a 30 mil euros. As informações e os formulários referentes a cada um dos processos seletivos estão disponíveis, em português, na página eletrônicawww.iberescena.org.

BRASIL – Concurso literário – http://www.toledo.pr.gov.br/portal/concurso-de-contos-paulo-leminski

BRASIL  – Projetos de incidência política (advocacy) para a promoção do tema na implementação da Agenda de Desenvolvimento Pós-2015 podem receber verba do Elevate Children Funders Group (Grupo de Doadores para a Elevação das Crianças)  até dia 31 de julho. Informações: https://www.crin.org/en/library/news-archive/funding-opportunity-projects-support-advocacy-and-communications-related-post

BRASIL – até dia 31 de maio organizações civis podem participar do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social – projetos para Comunidades Tradicionais; Agricultores Familiares e Assentados da Reforma Agrária; Juventude; Mulheres; Gestores Públicos; Universidades e Instituições de Ensino e Pesquisa; e Tecnologias Sociais para o Meio Urbano podem participar.  informações: http://www.fbb.org.br/tecnologiasocial/

BRASIL – A organização norte-americana The Andrew W. Mellon Foundation apóia projetos de humanidades, artes, educação superior e patrimônio cultural – Inromações:  https://mellon.org/grants/grantmaking-policies-and-guidelines/

BRASIL – Organizações da sociedade civil brasileiras podem ser indicadas para receber oPrêmio Lee Kuan Yew da Água –- o prêmio reconhece e prestigia quem está fazendo trabalho de excelência para resolver o problema da falta da água e outros desafios ligados ao tema.  informações: http://www.siww.com.sg/about-prize

BRASIL – Inscrições para grupos de teatro de todo o Brasil até 13 de junho – XIV EncontrArte – Encontro de Artes Cênicas da Baixada Fluminense – Mostra Edição Teatro 2015.
www.encontrarte.com.br/edital

BRASIL – O Festival Curtas de Teatro – FECT e Canto de Julho 2015 estão com inscrições abertas. Acesse: www.osasco.sp.gov.br

BRASIL – FESTIM – Festival de Teatro em Miniatura e Revista Anima divulgam Convocatória Revista Anima 2015 – seleção de artigos, textos, resenhas, críticas e relatos de processo criativo e de pesquisa relacionados ao Teatro em Miniatura.. – INSCRIÇÕES PRORROGADAS ATÉ 24 DE MAIO – Informações: http://festim.art.br/convocatorias/

SÃO PAULO – até 31 de maio seleção de dois projetos para realização de quatro saraus, cada, na Casa Das Rosas, durante o segundo semestre de 2015 e primeiro semestre de 2016.  Entrega e mais informações: pessoalmente na recepção da Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura, na Avenida Paulista, nº37, Bela Vista, São Paulo – SP, de terça a sexta – feira, das 10h às 17h, ou pelo e-mail editalsarau@casadasrosas.org.br.

BELÉM – 6 SALÃO DE ARTE JUVENIL DO CCBEU – Inscrições até: 01/06 – O salão é para quem tem entre 07 e 14 anos de idade, por isso faz-se necessário a presença de um responsável no ato da inscrição. Informações: 91 3221 6100- http://www.ccbeu.com.br

BELO HORIZONTE – A PBH abriu inscrições de propostas de ações culturais para ocupação de espaços museológicos da cidade durante o Noturno nos Museus 2015, evento que ocorrerá em julho. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas de 4 a 22 de maio. Podem se inscrever artistas e grupos que desenvolvam trabalhos artísticos para palcos, espaços públicos ou espaços alternativos. O regulamento completo, bem como a ficha de inscrição podem ser consultados no site www.bhfazcultura.pbh.gov.br.

FORTALEZA – A Secretaria Municipal de Cultura (Secultfor) está cominscrições abertas até o dia 15 maiopara o Edital de apoio aos Festejos Juninos de 2015. O objetivo do Edital, com montante previsto de R$ 700 mil, é selecionar e promover projetos de Grupos de Quadrilha Junina (Adulto e Infantil) e de Festivais Juninos em Fortaleza.
Ao todo, serão selecionados 75 projetos, sendo 35 de Grupos de Quadrilha Junina Adulta, 15 de Grupos de Quadrilha Junina Infantil e 25 de Festival Junino. Informações: setor de protocolo, na sede da Secultfor
Endereço: rua Pereira Filgueiras, 4 – Centro – das 9h ao 12h e das 14h às 16h30 (de segunda a sexta-feira) – 3105.1291.

NOTÍCIAS DE PROJETOS

PARAIBA – A Comissão Gestora do Fundo de Incentivo à Cultura (FIC) confirmou para o dia 29 de maio a divulgação dos dois projetos de obras audiovisuais de longa-metragem que serão contemplados pelo Edital Linduarte Noronha. A prorrogação do prazo ocorreu em virtude do processo de contratação dos avaliadores técnicos externos que não residem na Paraíba.

MANAUS – Com participação acima da meta, a Prefeitura de Manaus por meio da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult) encerrou nesta segunda-feira, 4, o prazo para inscrição de projetos para os Editais de Cultura 2015. Ao todo foram protocolizados mais de 450 propostas para concorrer nos 106 prêmios dos três Editais (Conexões Culturais, Cultura Hip Hop e Ocupação Artística) lançados em março deste ano.

NOTÍCIAS DO MINISTÉRIO DA CULTURA

CONSULTA PÚBLICA – Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura (SCDC/MinC) realizará consulta pública para o edital Prêmio Pontos de Mídia Livre. A iniciativa irá beneficiar entidades, coletivos culturais e grupos midialivristas, certificados como Pontos ou Pontões de Cultura, responsáveis por iniciativas de mídia livre. Interessados poderão mandar propostas entre 11 e 25 de maio.

ORDEM DO MÉRITO CULTURAL – As indicações ainda podem ser feitas até 30 de maio e serão avaliadas pelo Conselho da OMC, presidido pelo ministro Juca Ferreira. Ainda integram o grupo, os ministros da Educação, de Relações Exteriores e da Ciência, Tecnologia e Inovação, além de uma comissão técnica nomeada pelo MinC. As indicações devem ser enviadas, por meio de formulário on-line, para o e-mail omc2015@cultura.gov.br ou pelos Correios, após preenchimento de formulário disponível na página do Minc.

snapshot-004

 

Gostou? Curta e comente. Mas principalmente compartilhe com seus amigos. Conhecimento e informação devem sempre ser compartilhada. 

VOCÊ É ARTISTA? QUE LEGAL!!!! MAS TRABALHA COM O QUÊ?

@ENTREVISTASFoi no ano de 1886 que se realizou a primeira manifestação de trabalhadores, foi em Chicago nos Estados Unidos. Três anos depois, na França foi feito também um movimento, inspirado no de Chicago e aí definido que todo dia 1º de Maio seria comemorado o dia do trabalhador. Na época o objetivo era a redução da jornada de trabalho para oito horas por dia. Atualmente as discussões são as mais variadas e o evento acontece em centenas de lugares pelo mundo sendo em muitos lugares feriado.

Na área da Cultura temos centenas de profissionais que ainda hoje lutam pelo reconhecimento da profissão e pelo respeito da mesma. Infelizmente ainda é comum ouvir a frase “Que bacana, você é artista. Mas você trabalha com o que?”. Ou comentário do tipo que você só é sucesso se aparece na TV ou toca no Rádio, ou ainda sai nas revistas de fofoca.

O artista da área musical, teatro, dança, cinema, literatura ou qualquer outra área, quase todos, sofrem com esse preconceito. Vai ao banco abrir conta e não consta lá a sua profissão. A maioria das profissões da área são consideradas “hobby”, diversão. Além disso até o produtor cultural (ou de eventos) sofre preconceito na área (veja matéria do dia 05/05/2015).

Temos um longo caminho mas não estamos parados. Seguimos  fortes sempre em frente e colhendo bons resultados. Há um grande trabalho a ser feito de conscientização mas estamos pouco a pouco, e com a ajuda da Economia Criativa, mostrando que é sim profissão, exige respeito e gera muitos dividendos na nossa economia.

E por isso trouxe pra vocês um bate bola rápido com 10 perguntas com alguns profissionais da área. Quem são, como é o trabalho e o que pensam. Boa leitura.

Aqui com vocês a Sueli Vargas, Raquel Naveira, Rose Meusburger, Sonekka e Ricardo Brito.

***foto perfil sueliRaquel NaveiraRose Meusburger7142e39bb8ea58711c8a335e0edbf53d_MWB9403

***

***

1 ) Qual seu nome, profissão/trabalho, cidade e a quanto tempo trabalha na área?

SUELI VARGAS – cantora, natural de Araraquara mas mora em São Paulo há 10 anos.Trabalho há 35 anos nesta profissão.

RAQUEL NAVEIRA – escritora sul-mato-grossense , professora com formação em Direito e Letras, Mestrado em Comunicação e Letras. Desde criança amei o livro, as cantigas, o teatro. A minha vocação, o chamado, veio da infância. Uma espécie de ser e estar no mundo através da Palavra.

ROSE MEUSBURGER – gestora cultural, Poá, SP – mais de 15 anos na área sociocultural.

SONEKKA – Osmar Ricardo Lazarini. Compositor já faz uns 20 anos.

RICARDO BRITO – compositor, letrista, produtor, radialista e agora cineasta. Editei meu primeiro filme, um documentário sobre a vida e obra de Lucia Coelho. (Rio de Janeiro)

foto perfil sueli

SUELI VARGAS

2) Fale um pouco do seu trabalho….

SUELI VARGAS – Hoje desenvolvo trabalhos na área como:Trovadores Urbanos, grupo de samba de raiz, trio de fados e amigasdosamba.com

RAQUEL NAVEIRA – Literatura e Magistério sempre andaram juntos em minha vida. É como o processo de ler e escrever. A professora alimenta a escritora com seus estudos e dedicação aos livros e a escritora dá ânimo, força e paixão às lições da professora.

ROSE MEUSBURGER Resumir 15 anos em poucas linhas é meio complicado. Mas a Gaia Brasil, Gestão Cultural e Economia Criativa não nasceu para trabalhar com cultura. A ideia era levar Educação Ambiental usando como ferramenta a cultura. Mas o trabalho na área foi nos mostrando demandas. As demandas por capacitação e gestão no segmento cultural são tão fortes que não pudemos ficar parados. Desde 2003 realizamos a Oficina de Elaboração de Projetos para agentes sociais e culturais. Levamos para a cultura e o terceiro setor a nossa competência em administração. Viemos do mundo corporativo onde sem planejamento nada acontece. O mesmo não se dá na cultura – infelizmente. Esse é um trabalho muito gratificante porque vez encontramos com ex-alunos que estão dando certo, ou conseguiram melhores resultados depois de ter passado por nossas atividades. Além disso a GB colabora com artistas e associações na assessoria para elaboração de projetos, enquadramento em leis de incentivo, produção para produtos culturais, administração de projetos e prestação de contas. De todas as etapas a única que não executamos é a captação de recursos. Não conseguimos dar conta de tudo! Agora em 2015 devemos ampliar a nossa atuação com um curso mais completo em Gestão Social e Cultural. Acho que assim vamos atender melhor as demandas que detectamos nesses anos todos.

SONEKKA – Primeiro eu compunha por paixão, gravei algumas canções e fui ficando mais exigente com o que eu fazia. A distância entre a arte que eu fazia e a que eu gostaria de fazer era muito grande e fui me aperfeiçoando, gravando outras coisas, fazendo muitos parceiros, principalmente entre o pessoal do Clube Caiubi.

RICARDO BRITO – Amo escrever, expor meus sentimentos e pensamentos sobre as emoções através da palavra. Considero que a emoção é o que conduz a vida. Na minha opinião, a verdadeira história da humanidade é contada através da história das artes. A produção completa a obra, faz ela virar realidade e se transformar em “negócio”. Tento fazer com que minha experiência em Marketing me ajude neste processo. Apesar do dito popular  “Santo de casa não faz milagre”.

3) Você acha que trabalhar na sua área é um bom negócio? Porque? Indicaria para outros?

SUELI VARGAS – falando de cultura como politica é difícil estar na área.Mas quando se trabalha  com que gosta é  sempre um bom negocio. Indicaria a todos que tenha talento e tenha determinação.

RAQUEL NAVEIRA

RAQUEL NAVEIRA

RAQUEL NAVEIRA – É bom negócio dar sentido e rumo à nossa existência. Ter um foco, uma companhia que não nos abandona, descobrir uma arte e criar. Indicaria àqueles que descobrem que não podem viver sem escrever.

ROSE MEUSBURGER – A Economia Criativa movimenta uma parcela significativa da sociedade no mundo inteiro. Conforme o Plano Nacional de Cultural é meta medir o PIB da Cultura – Produto Interno Bruto (PIB) é a soma de tudo o que é produzido durante o ano em um país, estado, cidade ou região e é usado para medir o crescimento econômico – O rendimento das atividades culturais também entra na soma do PIB, embora não seja fácil medi-lo. Isso porque, embora o setor cultural tenha suas áreas formais (produção de livros e comercialização de discos, por exemplo), também abrange segmentos informais e artesanais, tais como a produção das rendeiras do Nordeste do país. Há um crescimento do segmento cultural em relação ao PIB Nacional. Portanto é claro que a área é um bom negócio. O grande problema é que mesmo quem faz cultura não entende o “seu fazer” como um “negócio”. Data da atualização: 30/12/2013 – Fonte: Federação das Indústrias do Rio (FIRJAN)

SONEKKA – Não é. É um péssimo negócio. É uma parte menos remunerada e valorizada de toda a cadeia produtiva. Eu só indicaria para quem gostaria de tê-la como hobby e quisesse arriscar a sorte de se dar bem financeiramente com ela.

RICARDO BRITO – É um trabalho para quem tem talento e vocação, ou no mínimo a vocação. Nenhuma pessoa normal entra nesta área apenas pelo negócio. Indico sempre que cada um escolha trabalhar com o que ama, pois em todas as profissões tem muitas dificuldades. A força para seguir em frente é maior quando se ama o que faz.

4) Qual formação é necessária? Qual sua visão sobre a cultura, as artes e a economia criativa no Brasil? O que tem de bom e o que tem de ruim?

SUELI VARGAS – aulas de canto, ouvir muita música boa, ter domínio de pelo menos um instrumento, além da voz, é claro.

RAQUEL NAVEIRA – Minha formação é humanista. Muita leitura. Minha preferência são os clássicos gregos e latinos; as poesias brasileira, portuguesa e francesa; a filosofia; as artes plásticas como fonte de inspiração e diálogo com a Literatura. Creio no poder transformador da Arte, na força do Novo, no diálogo com a tradição e na visão do futuro. O que há de mais instigante no momento são: a utilização de plataformas e mídias; o poder da imagética visual; os fenômenos sociais de fragmentação de públicos voltados para temas e releituras surpreendentes e inesperadas.

ROSE MEUSBURGER

ROSE MEUSBURGER

ROSE MEUSBURGER – De certa forma e complementando o que disse acima os setores da Economia Criativa no Brasil (artes em geral, patrimônio material e imaterial, tecnologia da informação, design, arquitetura, moda, artesanato) tem a necessidade de se profissionalizar pelo ponto de vista administrativo e financeiro. Cada setor tem que ser pensado com um negócio, uma empresa. Nesse sentido além das capacitações específicas de “cada fazer” é necessário que o gestor entenda minimamente de administrar o “seu negócio criativo”. Entender de como montar uma empresa e porque ser “dono” de uma empresa, como administrar o produto cultural que eu tenho (livro, música, espetáculo, obra de arte, ideia, sonho, etc) é fundamental para que se sobreviva e se sustente o fazer criativo.

SONEKKA – Ela se divide entre melodia e letra, são expertises diferentes. Para ambas é necessário excepcional criatividade e percepção musical, métrica apurada, muita leitura, conhecimento farto de figuras de linguagem, poesia literatura, construção melódica.

Economia criativa para mim é um bicho de 7 cabeças,  sai da esfera do talento e pré disposição artística e envereda pelo caminho técnico de transformar qualquer manifestação em dinheiro. Isso é bom e é ruim. Se por um lado é um ótimo canal para escoamento de arte, por outro é muito técnico para ser gerido pelos próprios artistas. Mas o pior de tudo é a extrema burocracia, que faz com que o acesso ao financiamento da arte seja acessível apenas à empresas. A dificuldade de lidar com isto e a falta de canais naturais pra veicular minha obra me fez desistir de ser artista e virar apenas um compositor hobbista.

RICARDO BRITO – Para escrever é importante conhecer razoavelmente a língua que vai usar, no nosso caso o português. Conhecer música, sua estrutura, formação dos compassos e harmonia. Entendendo melhor o processo facilita.

No Brasil, as manifestações culturais são riquíssimas, em cada parte do País existe um estilo próprio, original e diferenciado. Uma pena que a indústria que inicialmente serviu à ditadura, depois passou a servir ao capital e interesses multinacionais. Mas nossa cultura resistiu e a cada dia cada um na sua vai encontrando o seu espaço. É muito ruim a falta de uma política cultural neste País.

05) Se você fosse presidente do Brasil qual ação executaria imediatamente para a sua área de trabalho?

SUELI VARGAS – não tenho ações, mas consigo ver as oportunidades.

RAQUEL NAVEIRA – Ações voltadas para a educação, para a base, para a alfabetização, para a fomentação da leitura. Valorização do Magistério. Construção de escolas com ambientes para o livro, o esporte, o lazer, o teatro, o cinema, enfim, a integração da escola com a comunidade em que ela está inserida.

ROSE MEUSBURGER – Adequar todas as empresas da economia criativa possibilitando acesso ao SIMPLES NACIONAL. Capacitar os gestores nessas empresas para entenderem a importância dessa formalização tanto para o seu próprio negócio como para o país.

SONEKKA

SONEKKA

SONEKKA – Vou me reter à meu lado compositor: reconheceria o autor como profissional e lhe garantiria o percentual justo pelo seu trabalho. Na atual cadeia produtiva, o compositor é o menos lembrado e o menos remunerado. Totalmente injusto.

RICARDO BRITO – Acabaria com as leis de incentivo para as empresas públicas. Determinaria que um determinado percentual do lucro seria repassado para o governo que administraria o orçamento para implantar efetivamente uma política cultural para todo o Brasil.

6) Você já fez, captou ou gerenciou algum projeto? Seu ou de outros? como foi?

SUELI VARGAS – até tentei mas não consegui captar, foi na lei de incentivo via ICMS.

RAQUEL NAVEIRA – Sim. Entre eles ressalto o projeto “Fiandeiras do Pantanal”: poemas meus e voz e craviola de Tetê Espíndola. Um CD lindo que levamos ao palco e que depois foi largamente utilizado pelos professores e alunos das escolas de Mato Grosso do Sul.

ROSE MEUSBURGER – Esta é uma pergunta complexa. Não captei recursos para projetos porque esta não é a nossa praia! Mas gerenciei e gerencio projetos / produtos culturais meus e de outros. A experiência é interessante e tem várias frentes. Uma das frentes é quando você é o “dono” do projeto e pode articular e decidir – quase que sozinho – que rumos o projeto vai tomar. Numa outra frente quando você executa isso para outro “dono” de projeto fica amarrado às decisões dele. E muitas vezes a decisão desse proponente não é a mais acertada pelo ponto de vista administrativo, financeiro e pode até causar problemas na prestação de contas. Quando o proponente que contratou você para gerenciar o projeto dele entende suas observações e conselhos acatando o que é legalmente aceito tudo flui e acontece de forma a não causar muitos problemas. Mas isso nem sempre acontece. Muitas vezes estamos sujeitos ao ego ou à certeza (não muito certa) do artista “dono” do projeto. Aí os problemas acontecem e nem sempre temos como interceder para resolver tais ingerências.

SONEKKA – Se vale crowdfunding já. Nos PROAC, ROUANET e outros eu já tentei mas não fui contemplado. Na Rouanet não tive como captar.
O crowdfunding foi do clube Caiubi para a festa de 10 anos, funcionou bem como pre-venda, já gerir e divulgar o projeto foi um tormento.
Proac é um funil muito estreito e Rouanet tem rejeição fiscal nas empresas, fica relegada a quem já é um sucesso.

RICARDO BRITO

RICARDO BRITO

RICARDO BRITO – Sim, vários, todos projetos meus. O Projeto de Teatro Jovem, patrocinado pela Coca-Cola foi o maior. Com a falta de política cultural no País, quando a iniciativa privada cria projetos onde cumpre uma função do estado, é melhor sucedida. Seria muito bom que as empresas também realizassem promoções nos diversos segmentos culturais, mas nunca substituindo o Estado.

7) Qual a importância em se escrever um bom projeto?

SUELI VARGAS – uma boa justificativa já é uma boa chance do seu projeto ser aceito. Mas  nem sempre se sabe os critérios de avaliação dos projetos.

RAQUEL NAVEIRA – Quando escrevemos nossas idéias no papel, elas tomam forma, ganham corpo, possibilidade de criar o real. O projeto bem escrito é metade do caminho para a realização da ação. É atitude. Coragem. Fé. Quero firmar projetos e parcerias como com você, Marília. Como escreveu Fernando Pessoa: “Deus quer, o homem sonha, a obra nasce.”

ROSE MEUSBURGER – Pense em uma ponte que tem que ligar duas estradas. Ambas as estradas estão prontas. A estrada artistas e a estrada apoiador (patrocinador, lei de incentivo ou outro qualquer). Se a ponte que deve ligar as duas estradas não foi executada sob certas condições legais e de materiais adequados ela pode ruir assim que o primeiro carro tentar atravessar de um lado para o outro. O projeto é a base da construção dessa ponte. Sem ele não se liga nada a nada. E ele tem que obedecer certos quesitos, leis, orçamentos idôneos e além de tudo estar muito bem escrito. São os argumentos usados na descrição do projeto que vão convencer os responsáveis das duas estradas a finalizar a ligação.

SONEKKA – Várias facetas, uma delas é nortear a própria obra, aumentar as chances de veiculação, mas já vi muita arte ruim disfarçada de bom projeto e captou os fundos necessários, virou arte ruim bem patrocinada.

RICARDO BRITO – Quanto mais claro o planejamento, mais facilidade se tem para a realização.

8) Qual a importância de uma boa produção?

SUELI VARGAS – Uma produção sempre me deixa tranquila,confortável para poder executar melhor o meu trabalho.

RAQUEL NAVEIRA – Produção é base, é pesquisa, é projeto. É a organização das idéias. São os passos para realizar aquilo que é idealizado.

ROSE MEUSBURGER – A ponte está pronta. Feita a ligação entre as duas estradas. Ambos os lados esperam que o fluxo de automóveis (produção) seja feito de maneira segura, sem problemas, devidamente sinalizado e que todos os “passantes” consigam chegar a seus destinos. Mesmo com a ponte bem construída se os administradores dela não a usarem de maneira adequada, e cumprindo tudo do que foi pré-determinado em orçamentos e propostas, todo o trabalho de convencimento executado com um bom projeto escrito é colocado em risco. Qualidade, pontualidade, fornecedores adequados, produtos finais entregues, todos esses quesitos são levados em consideração numa prestação de contas. Você pode fazer uma única ponte e parar por aí se não for competente o suficiente para que o trânsito seja seguro para todos os envolvidos.

SONEKKA – Vital para que o artista execute apenas o que sabe, sem ter que se improvisar em outras funções

RICARDO BRITO – Boas ideias só são boas quando bem realizadas.

9) Um conselho ou uma dica para nossos leitores que buscam informações sobre essa área:

SUELI VARGAS –  hoje em dia os acessos para qualquer informação, sobre musica, show e lazer é fácil só vale ficar ligado e ir atrás do que te satisfaz, fazer e ouvir.

RAQUEL NAVEIRA – O processo é sempre ler e escrever, um alimenta o outro. Pautar toda a vida de acordo com essa vocação. Persistência.

ROSE MEUSBURGER – Infelizmente o Planejamento não está no DNA do brasileiro. Mas dá para mudar isso! Gestão, gestão, gestão. Essa é a chave para o sucesso de qualquer empreitada em qualquer segmento.

SONEKKA – Sejam sinceros consigo mesmos tanto ao fazer canção, quanto ao ouvir. O que é bom, é bom independente do gosto pessoal. Apure a percepção, mesmo que seja através, mas em primeiro lugar sejam críticos com a própria obra. Outra coisa, obra é obra, artista é artista, pessoa é pessoa,  aprenda a separar as coisas. Não é porque você não gosta de alguém que ele não pode ser bom artista e vice-versa.

RICARDO BRITO – Conselhos bons são os vendidos….rsrsrs…brincadeiras à parte, escolha para fazer algo que você não consiga viver sem. Dedique-se e se informe, procure seus pares e acompanhe o máximo que puder do que é realizado na sua área.

“Não tente reinventar a roda ignorando-a. Pode reinventar, mas a partir dela. Conheça a roda existente e invente uma nova, se puder.” (Ricardo Brito)

10) Deixe seus contatos/ links/ mídias sociais etc.

SUELI VARGAS

suelivargasvoz@gmail.com – Facebok:  Sueli Vargas – Tel 992691896

www.youtube.com/watch?v=mPPWd27HFYU

www.youtube.com/watch?v=2nmiP6kd_hM

www.youtube.com/watch?v=3ixbgE3Sq2Y

https://www.youtube.com/watch?v=KyO7LWU-YBM

RAQUEL NAVEIRA

http://www.raquelnaveira.com.br

http://www.editoraalvorada.com.br

http://www.topvitrine.com.br/autor/raquel-naveira

raquelnaveira@gmail.com

ROSE MEUSBURGER

rosemeusburger@gaiabrasil.com.br

Facebook – Rose Meusburger / Gaia Brasil

Rede de Economia Criativa

www.gaiabrasil.com.brwww.recbrasil.com.br

SONEKKA

Sonekka@sonekka.com.br
facebook.com/sonekka

RICARDO BRITO

britoprod@gmail.com

http://www.dicionariompb.com.br/ricardo-brito

www.myspace.com/ricardobritocompositor

www.encontrosrb.blogspot.com

TIRE DA GAVETA SEUS PROJETOS PARA 2015

imagesJá pensou e já fez seu planejamento de trabalho e de conquistas para 2015????? Então tá na hora de parar para pensar nisso. Sábado dia 13 de dezembro de 2014, no THE BARD, das 9 às 12 horas você irá fazer comigo esse exercício. (www.thebard.com.br)

“Nietzsche declarou: “E se você olhar por muito tempo em um abismo, o abismo olha também para dentro de você.”

Pare de olhar o abismo e comece a construir o futuro que você deseja. Quantas vezes você viu algum projeto ou empreendimento despontar e começar a ser sucesso e falou “poxa, eu já tinha pensado nisso!”? Quantas vezes você viu uma pessoa conquistando um objetivo e pensou “poxa eu também poderia, mas tento e não consigo”? Isso acontece com muita gente, principalmente os que criam em suas mentes ideias de projetos, soluções para diversos problemas ou necessidades, coisas criativas. Mas ficam no universo das ideias e não passam dos sonhos. É necessário colocar em prática estes sonhos para não correr o risco de “perder” sua ideia. Não importa se você no meio do caminho terá que refazer prazos ou não, se terá os recursos ou não, mas o planejamento, o projeto, te deixará mais próximo do objetivo. Jung com seus arquétipos e teorias dizia que o inconsciente coletivo é algo comum entre todos. Esse inconsciente é como se fosse um banco de dados do universo e é dele que vêm nossas ideias. Nossas ideias são fruto da assimilação das necessidades, possibilidades, oportunidades e outros, com as ferramentas que possuímos. Enfim, é como se cada um colocasse no liquidificador seu conteúdo e o conteúdo externo, batesse e fizesse uma vitamina, essa é a ideia. Mas assim como você, outras pessoas podem ter quase os mesmos ingredientes, e é aí que projetos parecidos nascem. Portanto, faça já.

Essa palestra tem o objetivo de orientar e fazer com você um exercício de avaliação pessoal e definição, no papel dos seus objetivos e ações para 2015. Na área pessoal, profissional, da sua saúde, familiar, amorosa e por aí vai. Você vai construir comigo uma agenda para o próximo ano e assim definir melhor o seu caminho. “Quem não sabe para onde ir, qualquer caminho serve”

Te espero por lá.

Consulte por email, mariliadelima@gmail.com, este curso agora em dezembro via online para você participar de qualquer parte do mundo.

Invista em Conhecimento, veja nossa agenda para dezembro de 2014

Conhecimento quanto mais se tem, mais se quer ter. Conhecimento é a chave do sucesso, do crescimento pessoal. Conhecimento te ajuda a ser mais criativo, mais proativo e mais empreendedor.

Veja agora os cursos que preparei pra você para finalizar este ano maravilhoso de 2014.

AGENDA DEZEMBRO 2014

Curso: Inteligência na Elaboração e Gestão de Projetos

Online – investimento R$ 360,00 – 01 dez a 28 fevereiro – 24 h

Presencial – investimento R$ 360,00 – 15, 16 e 17 dezembro – 9 h

Passo a passo da elaboração • baseado nas técnicas do PMI• Gestão do Projeto• Planilhas de controle• Leis de Incentivo• Captação de Recursos• Plano de Mídia• Prestação de contas • E muito mais conteúdo para elaborar seus projetos.

E mais…

Palestra: etiqueta inteligente

Gratuito -1 hora – 03 dezembro –  online

Workshop: Tire seus projetos da gaveta em 2015

R$ 80,00 – 3 horas

04 dez – online só para convidados- Brasil

06 dez –  presencial aberto – Caxambu MG

13 dez – presencial aberto – São Paulo SP

Curso: Como Participar com Inteligência nas Feiras de Negócios

R$ 400,00-8 horas – 11 dezembro – presencial – São Paulo SP

Descontos especiais para grupos. Desconto de 30% para estudantes. Promoções na nossa fampage do Facebook semanalmente.  Fique ligado.

Invista em você, invista em conhecimento.

divulgação dos cursos

CURSO ON LINE SOBRE PROJETOS QUE VOCÊ FAZ DE QUALQUER LUGAR DO MUNDO E NO SEU TEMPO

Vídeo

Quer aprender a escrever projetos para ações da Economia Criativa, Cultura, Turismo, Artes etc???
Faça o curso INTELIGÊNCIA NA ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO DE PROJETOS – mais informações na minha página http://www.mariliadelima.com

2014 ESTÁ AÍ, MAS QUAL O SEU PLANEJAMENTO PARA ELE E OS PRÓXIMOS ANOS??? O que você quer ser quando crescer além de salsicha?

Nestes mais de 12 anos trabalhando mais diretamente com a Cultura e nos outros antes trabalhando com turismo, cultura e o social, pude perceber que há um grande problema de planejamento nestes setores. Atendi ao longo desses anos bem mais muitas mil pessoas querendo realizar projetos, seja da carreira, no município, com amigos e por aí vai. Mas era sempre só uma ideia, uma intenção. De verdade uma pequena parcela delas chegava a escrever e realizar o seu projeto ou evento. A pergunta “o que você quer ser quando crescer, além de salsicha?” ficaria sem resposta efetiva na maioria das vezes.

41864

E porque essa pergunta engraçada da salsicha? Porque sempre que converso com alguém que pretende fazer um projeto pergunto o que pretende da vida, da carreira. Assim, é mais fácil saber como direcionar o projeto, quais elementos ele precisa como site, cartão, logomarca, foco etc. Para que seja realmente um dos inúmeros degraus para se conquistar aquilo que ele pretende. E a questão da Salsicha é pra ficar engraçado e chamar atenção. Veio de um comercial dos anos 70 onde dois porquinhos conversavam e um perguntava para o outro: “o que você quer ser quando crescer além de salsicha (dando a entender que ser salsicha era inevitável)?” e o outro porquinho mais que depressa “quero ser a salsicha do frigorífico X”. Ou seja, quero ser importante, ser diferente, ser reconhecido.

Como o porquinho, sei que a maioria sabe o que quer ser, o que quer ter, o que quer fazer. Este não é o problema. Brasileiro principalmente é dotado de uma imaginação impressionante. O problema é que só se pensa no que se quer e não como fazer para chegar até lá. Esse planejamento a curto, médio e longo prazo é ainda muito deficiente. Somos imediatistas e sonhadores, pouco concretos e nada organizados.

Por isso, vou sugerir aqui alguns passos e ideias que você pode pensar em seguir.

Planejamento estratégico veio com as guerras onde os generais começaram antes das guerras a estudar o inimigo, o campo de batalha e tudo mais. Sun Tzu, em A Arte da Guerra nos dá o panorama de como fazer isso. Planejamento estratégico é pensar antes de agir. Desenhar o passo a passo, o caminho para onde se quer chegar.

O planejamento estratégico tem, segundo CHIAVENATO, 04 etapas resumidas e muito importantes:

1 – Definir o objetivo; 2 – Analisar o ambiente; 3 – Formular estratégia; 4 – Implementar e controlar.

Exemplo: Definir objetivo – Você quer comprar um carro que custa 30 mil. Análise –  Tem que dar uma entrada de 5 mil e o restante parcelas de 500 reais. Você ganha 2 mil por mês e tem uma despesa de 2,300. Estratégia – reduzir os gastos em 800 reais cortando tudo o que for supérfluo ou que decidir não ter no momento, pedir aumento, fazer extras etc. Economizar por um ano a entrada do carro. Implementar e controlar – iniciar o plano e a cada dois meses verificar se está conseguindo bater as metas e aí continuar ou readequar o plano para alcançar o que pretende. E no final, comprar o carro.

Vamos então a algumas dicas de como você pode definir seu planejamento, seja pra 2014, pra 2020 ou até mais.

  • Tenha muito claro qual o objetivo e se ele é conquistável. Sonho, ilusão é diferente de um objetivo palpável e realizável. Não adianta querer ser uma modelo internacional de sucesso se você já tem mais de 30 anos, não é alta, não é magra e não é maravilhosa.
  • Analise o mercado, o setor onde você está inserido. Se é na música, veja seu estilo, veja o que faz sucesso, o que vende, o que falam, seus concorrentes e até sua própria competência.
  • Desenhe, escreva seus pontos positivos, pontos negativos, necessidades, possibilidades de projeto e tudo o que acha importante para este caminho.
  • 1385748_453981871383539_1204812852_nVá atrás de conhecimento. Seja qual for sua área, conhecimento é a chave para abrir as portas que surgirão no caminho. Leia jornais, leia revistas, livros, blogs, sites. Estude o que você não sabe, melhore o que faz mais ou menos, invista seu tempo em melhorar a sua performance. Hoje com a internet quase tudo, se procurar, pode ser de graça. Comece com algo.
  • Comece hoje, amanhã já será menos um dia. Melhor começar um pouco que seja, do que nunca conseguir estar pronto pra começar.
  • Nunca é tarde para começar ou recomeçar, mas não perca seu tempo sabotando você mesmo ou repetindo frases e conceitos antigos só pra desculpar sua inércia ou seu medo. ““isso não dá certo”, “falar é fácil”, “não é bem assim”, “dependo das pessoas”, “já tentei” e por aí vai.
  • Muita coisa é de graça, então não tem a desculpa que você não tem dinheiro. Comece algo. Ter um blog gratuito no lugar de um site que não se pode pagar é melhor do que não ter nada.
  • Você não vai mudar o mundo, as pessoas ou o mercado. Portanto, mude seus hábitos, seus atos, seus pensamentos. Seus problemas são seus. Ninguém é culpado. Enquanto jogar a culpa nos outros será um escravo. Quando mudar, será dono do seu caminho.
  • Aprenda a viver. Aprenda os 7 hábitos para viver bem. Viver é ser feliz todos os dias com o que se tem. Viver é querer mudar consciente do que é necessário. Viver é dar atenção a todos os setores da sua vida como família, amores, trabalho, saúde, amigos, dinheiro, carreira etc. Quem vive só pra um desses está vivendo só uma parte.
  • Pense em projetos que sejam alavancas para seu objetivo, não se perca fazendo tudo e se distanciando do foco maior só por causa de dinheiro, status ou outra coisa que não seja o seu caminho.
  • Verifique. Faça e verifique se deu resultado. Melhore para o próximo. Aprenda com os erros. Repita o que deu certo. Se você não mede seus resultados não saberá se está caminhando para frente ou parou no meio do caminho.
  • Entenda a lei da ação e reação. A frase “quem planta colhe” é uma verdade muito mais que um simples dito popular. Cultive amigos, ética, solidariedade, reconhecimento, lealdade, verdade no seu jeito de ser. A vida não “te dá o troco”, a vida é uma matemática perfeita, ela só te manda de volta o resultado do que investiu. Se tudo está dando errado, avalie, pode ser que você esteja fazendo errado.

Pegue agora um papel e caneta e comece a escrever seu planejamento para amanhã. Faça esse exercício diariamente. Avalie no fim do dia se cumpriu o que programou e o que foi diferente. Observe que muitas vezes foi você que programou sem levar em conta o tempo, o transito, os filhos, o recurso financeiro etc. Faça isso até que esteja planejando o mais próximo do que realmente vai fazer. Depois, passe a fazer isso no mês, programe o seu mês de dezembro. Suas compras de Natal, suas festas de fim de ano, seu trabalho, seu descanso etc. Avalie. Reprograme. Aprenda com os erros, eles são grandes mestres. E aí, programe o seu 2014. Divida por mês, defina por áreas as necessidades, defina por semestre. Ache a sua fórmula. Mas visualize todas as realizações que deseja, escreva e pontue todas elas e a cada mês verifique e atualize suas conquistas. E principalmente, se perdoe e entenda se errar. Planejar é um caminho, mas não é uma prisão. A cada dia tudo pode mudar e tudo pode ser readaptado. Planejamento estratégico é o seu norte. Sua bússola. Nada impede que você pare pra tomar um cafezinho ou cerveja no meio do caminho e reformule seus objetivos.

Mãos a obra!!!

Fontes:

  • CHIAVENATO, Idalberto. 2004. Introdução à Teoria Geral da Administração. 7ª Edição. Rio de Janeiro, Brasil: Editora Campus, 2004.
  • TZUSunA Arte da Guerra. São Paulo: Editora Gente, 1989.
  • COVEY, Stephen: Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes: Rio de janeiro: Best Seller, 2006.