MINISTERIO DA CULTURA ABRE EDITAL PARA INTERCÂBIO CULTURAL – APROVEITE JÁ.

do site: http://www.cultura.gov.br/
@ - CopiaArtistas, técnicos, gestores culturais, empreendedores criativos, mestres dos saberes e fazeres populares ou tradicionais e estudiosos da cultura, individuais ou em grupo, podem obter apoio do Ministério da Cultura para participar de eventos, festivais, cursos, produções, pesquisas, residências, feiras de negócios e outras atividades culturais, no Brasil ou no exterior. Estão abertas as inscrições para o Edital de Intercâmbio 2015.
A edição de hoje, dia 31 de julho, do Diário Oficial da União, traz o Edital de Intercâmbio 2015, publicado pelo MinC, por meio de sua Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura (Sefic), que irá investir um total de R$ 2,6 milhões do Fundo Nacional de Cultura na difusão artística.
As inscrições, que são realizadas exclusivamente via sistema SalicWeb, podem ser feitas até o dia 16 de setembro, para viagens que ocorram a partir de 10 de novembro deste ano, ou até 8 de outubro, para viagens a partir de 15 de dezembro também de 2015. Para apresentar o edital, o secretário de Fomento e Incentivo à Cultura, Carlos Paiva, vai conduzir um hangout, chat via videoconferência, no dia 3 de agosto, às 16 horas, com transmissão via site e redes sociais do MinC. A Sefic irá disponibilizar um guia com orientações para inscrição de propostas.
O objetivo do edital é promover a difusão e o intercâmbio nas diversas áreas e linguagens artístico-culturais, a disseminação dos saberes populares e tradicionais, bem como a capacitação técnica, promovendo a multiplicação cultural para o Brasil.
Para qualificar a seleção, algumas alterações foram efetivadas no edital, facilitando a participação do proponente. Uma mudança bastante importante está no modo de determinar as datas das viagens: antes, elas deveriam estar inseridas em determinado intervalo de tempo, com início e fim; agora, elas podem ser agendadas a partir de uma data, sem prazo final, viabilizando um melhor planejamento das atividades futuras dos agentes culturais brasileiros.
No caso de viagens nacionais, o valor do apoio financeiro varia conforme a origem e o destino do participante, com aportes individuais que vão de R$ 800 a R$ 2,5 mil. Já nas viagens internacionais, os valores se baseiam no continente de destino, iniciando com apoio individual de R$ 2,5 mil para a América do Sul e chegando até R$ 6 mil, para a Ásia. Para originários de estados da Amazônia Legal, são acrescidos R$ 500 nesses valores. Além disso, os selecionados que forem realizar residências ou cursos com duração superior a 30 dias, terão auxílio adicional (R$ 1 mil para cada mês no Brasil; R$ 2 mil para cada mês no exterior, ambos com limite de três meses). Assim, o valor total concedido será calculado pela quantidade de integrantes do projeto multiplicada pelos valores determinados, com teto de R$ 40 mil por grupo em viagens dentro do Brasil e de R$ 60 mil para o exterior.
Como contrapartida social, os beneficiários deverão realizar, no retorno da viagem, atividades públicas gratuitas relacionadas ao objeto da proposta, como oficinas, palestras, cursos, seminários e apresentações, para potencializar a propagação das experiências adquiridas no processo de intercâmbio.

Critérios de Seleção

A análise das propostas será feita com base na trajetória artístico-cultural dos candidatos; no reconhecimento da instituição ou evento desejado, para além de seu tempo de existência; no alcance da contrapartida; e na relevância da ação a ser realizada e seus desdobramentos. Pontos extras serão acrescentados com base na origem das propostas, valorizando estados com menos histórico de demanda nos anos anteriores, a fim de minimizar desigualdades e promover a descentralização das ações culturais. Também terão pontos a mais as propostas com destino para -ou originadas do – interior dos estados brasileiros; as apresentadas por integrantes de povos e comunidades tradicionais; e as viagens ao exterior que se destinarem a países considerados prioritários segundo a política cultural e internacional brasileira: os da América Latina, do Caribe e aqueles que fazem parte da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Prazo para as inscrições

Inscrições até o dia Para viagens a serem realizadas a partir do dia
16 de setembro 10 de novembro
8 de outubro 15 de dezembro
fonte copiada do site do MINC – Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura
Ministério da Cultura

MAIS RESPEITO COM O PROFISSIONAL DE EVENTOS – ESTE MERCADO MOVIMENTA QUASE 5% DO PIB

@EVENTOSNão é de hoje que “vira e mexe” temos notícias pela TV, rádio ou jornais, que um determinado “produtor(a) de eventos” estava envolvido em algum crime. Acontece que infelizmente, na maioria das vezes, os bandidos se utilizam desta profissão séria, para criar uma máscara e se esconder. Serve para prostitutas, cafetinas e cafetões como já vimos por exemplo em alguns escândalos em Brasília. Serve para um estuprador em Fortaleza que abusava de modelos. Para um golpista em Rondônia. Fachada para um pedófilo no interior de São Paulo e por aí vai.

Da realidade para a ficção a novela Babilônia tem no seu personagem Murilo, vivido por Bruno Gagliasso, o mesmo exemplo. Ele é um cafetão e envolvido com tráfico, mas que ninguém suspeita e todos pensam que ele é produtor de eventos.

São estas distorções e utilizações indevidas que acabam por desprestigiar e desrespeitar o Profissional de Eventos. Por esse motivo que Ana Claudia Bitencourt, Presidente da ABEOC Brasil, assinou uma nota pedindo o fim da utilização da profissão, como na novela, para atividades ilegais ou para designar pessoas de má índole. A nota foi divulgada no dia 30 de abril quando se comemora o dia do profissional de eventos. O texto é principalmente um pedido de respeito a um profissional tão completo e complexo que antes de tudo tem que ter uma qualificação.

Segundo Vanessa MARTIN, 2008, “Eventos são todos os acontecimentos previamente planejados, organizados e coordenados de forma a contemplar o maior número de pessoas em um mesmo espaço físico e temporal, com informações, medidas e projetos sobre uma idéia, ação ou produto, apresentando os diagnósticos de resultados e os meios mais eficazes para se atingir determinado objetivo.”

(Meio parecido com projetos né? Mas tem muita coisa que é diferente e nesta coluna vamos falar bastante disso, principalmente vamos falar sobre a necessidade de todo evento ter também um projeto prévio – mas isso é pra outros posts – é só acompanhar por aqui.)

Continuando…..

O mercado de eventos movimenta 4,32% do PIB – Produto Interno Bruto e gera mais de 7,5 milhões de empregos. Mesmo com a crise internacional é um setor que não para de crescer. Por isso é um grande desrespeito utilizar esta profissão indevidamente, pois os bons e sérios profissionais que orquestram os eventos no nosso país e contribuem para essa movimentação da economia precisam ser respeitados.

A autora da Lei 14.988/ 2013 que institui o dia do profissional de eventos é a deputada Célia Leão de SP. A data escolhida coincide com o aniversário do precursor dos grandes eventos no Brasil, Caio de Alcântara Machado.

A seriedade do trabalho de todo mercado pode ser conferida no Fórum do Setor de Eventos (ForEVENTOS) que é um fórum permanente criado em julho de 2011 para discutir assuntos de interesse comum do mercado de eventos, como Licitações, Trabalho Temporário e Articulação Política e Institucional. Alguns dos participantes são as maiores entidades organizadas que trabalham com eventos e turismo em todo o país como:

AMPRO – Associação de Marketing Promocional,

ABEOC – Associação Brasileira das Empresas de Eventos,

ABRACE – Associação Brasileira das Montadoras e Locadoras de Stands, Academia Brasileira de Eventos e Turismo,

ALAGEV – Associação Latino Americana de Gestores de Eventos e Viagens Corporativas,

EVENTPOOL – Associação de Agências de Turismo Operadoras de Eventos,

FBHA – Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação,

MPI – Meeting Professionals Internacional,

ABR (Associação Brasileira de Resorts – Resorts Brasil)

SPC&VB – São Paulo Conventions and Visitors Bureau

ABRAFEC – Associação Brasileira de Fornecedores de Eventos Corporativos e Tech House.

Mais informações:  http://www.abeoc.org.br/

continue acompanhando esta coluna. Gostou? Curta e comente. Mas também compartilhe com os amigos da área. Obrigada.

TIRE DA GAVETA SEUS PROJETOS PARA 2015

imagesJá pensou e já fez seu planejamento de trabalho e de conquistas para 2015????? Então tá na hora de parar para pensar nisso. Sábado dia 13 de dezembro de 2014, no THE BARD, das 9 às 12 horas você irá fazer comigo esse exercício. (www.thebard.com.br)

“Nietzsche declarou: “E se você olhar por muito tempo em um abismo, o abismo olha também para dentro de você.”

Pare de olhar o abismo e comece a construir o futuro que você deseja. Quantas vezes você viu algum projeto ou empreendimento despontar e começar a ser sucesso e falou “poxa, eu já tinha pensado nisso!”? Quantas vezes você viu uma pessoa conquistando um objetivo e pensou “poxa eu também poderia, mas tento e não consigo”? Isso acontece com muita gente, principalmente os que criam em suas mentes ideias de projetos, soluções para diversos problemas ou necessidades, coisas criativas. Mas ficam no universo das ideias e não passam dos sonhos. É necessário colocar em prática estes sonhos para não correr o risco de “perder” sua ideia. Não importa se você no meio do caminho terá que refazer prazos ou não, se terá os recursos ou não, mas o planejamento, o projeto, te deixará mais próximo do objetivo. Jung com seus arquétipos e teorias dizia que o inconsciente coletivo é algo comum entre todos. Esse inconsciente é como se fosse um banco de dados do universo e é dele que vêm nossas ideias. Nossas ideias são fruto da assimilação das necessidades, possibilidades, oportunidades e outros, com as ferramentas que possuímos. Enfim, é como se cada um colocasse no liquidificador seu conteúdo e o conteúdo externo, batesse e fizesse uma vitamina, essa é a ideia. Mas assim como você, outras pessoas podem ter quase os mesmos ingredientes, e é aí que projetos parecidos nascem. Portanto, faça já.

Essa palestra tem o objetivo de orientar e fazer com você um exercício de avaliação pessoal e definição, no papel dos seus objetivos e ações para 2015. Na área pessoal, profissional, da sua saúde, familiar, amorosa e por aí vai. Você vai construir comigo uma agenda para o próximo ano e assim definir melhor o seu caminho. “Quem não sabe para onde ir, qualquer caminho serve”

Te espero por lá.

Consulte por email, mariliadelima@gmail.com, este curso agora em dezembro via online para você participar de qualquer parte do mundo.

Invista em Conhecimento, veja nossa agenda para dezembro de 2014

Conhecimento quanto mais se tem, mais se quer ter. Conhecimento é a chave do sucesso, do crescimento pessoal. Conhecimento te ajuda a ser mais criativo, mais proativo e mais empreendedor.

Veja agora os cursos que preparei pra você para finalizar este ano maravilhoso de 2014.

AGENDA DEZEMBRO 2014

Curso: Inteligência na Elaboração e Gestão de Projetos

Online – investimento R$ 360,00 – 01 dez a 28 fevereiro – 24 h

Presencial – investimento R$ 360,00 – 15, 16 e 17 dezembro – 9 h

Passo a passo da elaboração • baseado nas técnicas do PMI• Gestão do Projeto• Planilhas de controle• Leis de Incentivo• Captação de Recursos• Plano de Mídia• Prestação de contas • E muito mais conteúdo para elaborar seus projetos.

E mais…

Palestra: etiqueta inteligente

Gratuito -1 hora – 03 dezembro –  online

Workshop: Tire seus projetos da gaveta em 2015

R$ 80,00 – 3 horas

04 dez – online só para convidados- Brasil

06 dez –  presencial aberto – Caxambu MG

13 dez – presencial aberto – São Paulo SP

Curso: Como Participar com Inteligência nas Feiras de Negócios

R$ 400,00-8 horas – 11 dezembro – presencial – São Paulo SP

Descontos especiais para grupos. Desconto de 30% para estudantes. Promoções na nossa fampage do Facebook semanalmente.  Fique ligado.

Invista em você, invista em conhecimento.

divulgação dos cursos

ENTENDA: PATROCINIO CULTURAL É INDENPENDENTE DE LEI DE INCENTIVO #prontofalei

Resolvi escrever este texto pois há muito venho dizendo ao pessoal da cultura que elaborar projetos e procurar patrocinadores não é vinculado ao cadastro em leis de incentivo ou editais. Os projetos e os patrocínios devem e acontecem independente de ter ou não uma lei ou edital para tal.

Para entender um pouco mais trouxe o primeiro “mecenas” Gaius Maecenas ou Caio Cílnio Mecenas (68-8 a.C.), conselheiro do imperador Cesar Augusto o filho de Júlio César. Ele criou a sua volta a permanência de amigos intelectuais e artistas. Era um patrocinador de todos, tornando-se um modelo para vários outros governantes e pessoas importantes. Tudo isso sempre com a intenção também de melhorar a própria imagem. ImagemDesde então, com toda essa fama e modelo copiado, o termo “mecenas” se tornou adjetivo para aqueles que patrocinavam as artes e os seus artistas. E claro esse patrocínio veio sempre com a contrapartida da fama e da boa imagem para quem o fazia.

Passados muitos e muitos anos ainda hoje as belas artes e agora muito mais a cultura em sua totalidade abrangendo a culinária, patrimônio, línguas, costumes e tal, está ainda dependente, e com razão, dos “mecenas”, dos patrocinadores que por aí buscamos. O mecenato, ou patrocínio, tem dois pontos de atuação: o cultural e o social. Nas duas áreas vem sendo desenvolvido e pensado os incentivos fiscais para que seja mais efetivo a participação de empresas e pessoas físicas. Ponto positivo.

Na área da cultura, no Brasil, temos leis federais, estaduais e municipais. As leis federais principais e efetivas são a Rouanet e a Lei do Audiovisual voltada para o cinema. A Rouanet, antiga lei Sarney, trabalha com incentivos das empresas e pessoas físicas através do IR e o abatimento variando até 100%. As leis estaduais trabalham com incentivos através do ICMS, só podem patrocinar empresas, e as porcentagens de abatimento na maioria dos estados (quase todos já tem sua lei de incentivo) é de 80% e 20% tem que sair efetivamente do bolso da empresa. No estado de São Paulo, o Proac, lei estadual, o abatimento é de 100% do valor patrocinado. As leis municipais são variáveis de acordo com o município e trabalham com o IPTU e ISS para os incentivos. A grosso modo, a empresa deposita na conta do projeto cultural o valor X, guarda o recibo e na hora de pagar o imposto faz o abatimento de acordo com as normas.

Muito legal né? Só que com essa prática, e com o aumento dos cursos sobre projetos e produção cultural, captação de recursos e outros, tem se deixado, erroneamente, a impressão de que as leis de incentivo e editais estão vinculados aos projetos e vice-versa. Com a quantidade de novos projetos e novas possibilidades estão quase todos, patrocinadores e patrocinados, VICIADOS em patrocínios apenas via leis de incentivo. Ponto negativo.

Quando se elabora e escreve um projeto o principal objetivo dever ser realiza-lo, de uma forma ou de outra. Muita gente me procura para auxiliar nos problemas com captação. Costumo dizer sempre que o mais fácil é escrever e aprovar um projeto, o difícil, mesmo é vender o projeto para o possível patrocinador.

Diante destas dificuldades tenho 7 conselhos resumidos e que são bons porque nos meus cursos eles são mais detalhados e são pagos (risos):

1- Faça um projeto porque você tem uma boa ideia e de um tema que você tem conhecimento.  A regra em vendas é que “ninguém vende aquilo que não acredita e que não conhece”.

2- Faça uma projeção de gastos pensando também em parcerias, permutas e outros tipos possíveis de entrada de recursos, pagamento ou aquisição dos itens do seu projeto.

3 –Se você pensa em dinheiro porque não pensar em ações de sustentabilidade? Exemplos: jantar pago, ingresso antecipado, compra de cotas do livro ou CD, uma festa, venda de camisetas etc.

4 – Construa um plano de negócios, de possibilidades de patrocínio e cotas, não só baseado em incentivo.

5 – Quando abordar uma empresa não pense somente no projeto em si. Pense que esta empresa poderá ser uma parceira para vários momentos.

6 – Pense e repense a sua planilha financeira para que sempre tenha formas alternativas para readequar os orçamentos.

7- NUNCA, repito NUNCA, aborde um possível patrocinador falando de imediato que o projeto está em lei X ou Y. Esta informação é a “Cereja do bolo”.

Com estes conselhos sei que você terá muitas ideias. Acredite no seu projeto, acredite que ele é um bom negócio para o patrocinador.

A INTELIGÊNCIA é entender que PATROCÍNIO CULTURAL É INDEPENDENTE DE LEI DE INCENTIVO. Patrocínio é uma via de mão dupla, é um ganha X ganha. Mas, sendo você o maior interessado, tente construir os argumentos necessários para o convencimento. Vender também é uma arte.

“ELABORAÇÃO E GESTÃO DE PROJETOS – O curso mais completo”

Imagem

“ELABORAÇÃO E GESTÃO DE PROJETOS – O curso mais completo”

TÓPICOS: O que é um projeto – Administração – Etapas de um projeto – Gestão de pessoas – Gestão de materiais – Gestão de recursos financeiros – Escolhendo o projeto – Objetivos – Justificativa – Estrutura de trabalho – Planilhas – Indicadores de desempenho – Plano de negócios – Planejamento de Mídia – Obtenção de recursos financeiros e parcerias – Contratações – Leis e licenças – Documento escrito do projeto – Adequação à leis de incentivo, editais, emendas e outros – Execução – Avaliação – Diversos.

DATA: 03 de outubro de 2013
HORÁRIO: das 9 às 18 horas
LOCAL: Alameda Santos, 1827 – Conjunto 112. CEP 01419-002 – São Paulo

VAGAS LIMITADAS