ADMINISTRAÇÃO E MARKETING? SIM, MUITO IMPORTANTE

INTELIGENCIA__PROJETOS_EVENTOS_01Quem trabalha com a cultura, sustentabilidade, terceiro setor, projetos, ações sociais e outros, muitas vezes acha que não faz parte do mundo globalizado, do setor de negócios e do capitalismo mundial. Pensa que não é necessário ter conhecimento para utilizar ferramentas e conceitos de administração, contabilidade, gerenciamento, marketing etc. Este é um pensamento equivocado.

Qualquer empreendimento, ação, projeto ou atividade que tenha como uma das metas ganhar dinheiro por qualquer motivo, mesmo que não haja lucro, faz parte do mercado e precisa entender e saber sobre administração, sobre empreendedorismo. Guardada as devidas proporções e especificidades, é importante entender e olhar como funciona este mundo e assim conseguir ganhar mais vantagens, diminuir os erros e aumentar os resultados.

Vender um CD, livro, DVD, obra de arte ou qualquer outro material artístico, cultural ou social exige conhecimento desse mercado. Vender ingressos para shows, peças teatrais, eventos beneficentes, treinamentos direcionados ou qualquer atividade neste sentido nos faz utilizar das mais variadas ferramentas de marketing (mercado). Qualquer prestação de serviço, em qualquer uma destas áreas, onde em algum momento envolva dinheiro, materiais, pessoas, logística, fornecedores e outros itens, exigirá administração e conhecimento das técnicas.

Por isso, tanto o profissional autônomo da área, quanto a empresa ou associação, tem que ter a consciência de que é necessário criar planejamentos a curto, médio e longo prazo. É necessário entender de finanças e investimentos, é importante conhecer os principais conceitos de marketing. Conhecer profundamente o seu negócio, o setor e quais os dados já pesquisados. Utilizar destas pesquisas e dados, para melhorar a performance e alcançar resultados mais efetivos.

Para ampliar o conhecimento, entender os conceitos, aprender mais sobre as ferramentas e o próprio mercado, há hoje muitos canais de informação e consultoria. O SEBRAE é um deles quando falamos de pequenos empreendimentos. Mas há sites, revistas, livros e eventos pagos ou gratuitos, online ou presencial, onde o conhecimento pode ser adquirido.

Aqui no meu blog, nos meus cursos e em todas as redes sociais onde produzo conteúdo falo sobre isso. INTELIGÊNCIA EM PROJETOS E EVENTOS. A inteligência em trabalhar neste mercado que a cada dia se profissionaliza mais. Pense nisso. Amplie seus conceitos. Abra sua mente. Saia da “Caixinha”. Pense holisticamente. Nossa possibilidade é gigante, temos muito mercado a conquistar. Com mais técnica e conhecimento podemos mudar e melhorar tudo o que quisermos, até o mundo. Mas lembre-se, trabalhar dá trabalho.

Gostou? Curta, comente, envie seus comentários e dicas. Mas principalmente compartilhe, CONHECIMENTO TEM QUE CIRCULAR. 😉

O PRÊMIO DA ECONOMIA CRIATIVA BRASILEIRA TEM COMO FINALISTA A REVISTA “O Cuidador”

O Prêmio Brasil Criativo acontece nesta terça, 03 de dezembro no Auditório do Ibirapuera em São Paulo

 318765_405923856109836_709355471_nMarilice Costi com sua revista e projeto “O Cuidador” está mais do que feliz esta semana, a premiação oficial da Economia Criativa brasileira, Prêmio Brasil Criativo, realiza seu evento esta semana em São Paulo e a revista O CUIDADOR é uma das finalistas.

São 22 categorias que usam a criatividade como solução para o desenvolvimento da Economia Criativa no Brasil. Moda, gastronomia, games, música, teatro, dança, circo, design, arquitetura, patrimônio, arquivos, museus, artesanato, e muitas outras atividades fazem parte de 5 campos principais que serão curados por um time de 30 especialistas.

59gA revista O CUIDADOR é para quem dedica frações enormes de seu tempo no ato contínuo de cuidar, amparar, acolher o outro. Através da literatura, arteterapia, orientação jurídica, informes, arquitetura, dicas de cuidado e de lazer, ela traz alento, carinho, atenção, orientação e informação para todos os cuidadores, que somos nós. Importantíssimo estar bem para poder cuidar, pois um cuidador que se encontra bem, melhor cuidador será!

Criada por Marilice em 2008, a revista bimestral está em sua 37a. edição e é um dos projetos entre os três finalistas no Prêmio Brasil Criativo, cuja festa de premiação ocorrerá no dia 03 de dezembro no Auditório Ibirapuera em São Paulo/SP a partir das 19 horas.

Maiores informações:

http://www.ocuidador.com.br/

http://www.premiobrasilcriativo.com.br

TIRE DA GAVETA SEUS PROJETOS PARA 2015

imagesJá pensou e já fez seu planejamento de trabalho e de conquistas para 2015????? Então tá na hora de parar para pensar nisso. Sábado dia 13 de dezembro de 2014, no THE BARD, das 9 às 12 horas você irá fazer comigo esse exercício. (www.thebard.com.br)

“Nietzsche declarou: “E se você olhar por muito tempo em um abismo, o abismo olha também para dentro de você.”

Pare de olhar o abismo e comece a construir o futuro que você deseja. Quantas vezes você viu algum projeto ou empreendimento despontar e começar a ser sucesso e falou “poxa, eu já tinha pensado nisso!”? Quantas vezes você viu uma pessoa conquistando um objetivo e pensou “poxa eu também poderia, mas tento e não consigo”? Isso acontece com muita gente, principalmente os que criam em suas mentes ideias de projetos, soluções para diversos problemas ou necessidades, coisas criativas. Mas ficam no universo das ideias e não passam dos sonhos. É necessário colocar em prática estes sonhos para não correr o risco de “perder” sua ideia. Não importa se você no meio do caminho terá que refazer prazos ou não, se terá os recursos ou não, mas o planejamento, o projeto, te deixará mais próximo do objetivo. Jung com seus arquétipos e teorias dizia que o inconsciente coletivo é algo comum entre todos. Esse inconsciente é como se fosse um banco de dados do universo e é dele que vêm nossas ideias. Nossas ideias são fruto da assimilação das necessidades, possibilidades, oportunidades e outros, com as ferramentas que possuímos. Enfim, é como se cada um colocasse no liquidificador seu conteúdo e o conteúdo externo, batesse e fizesse uma vitamina, essa é a ideia. Mas assim como você, outras pessoas podem ter quase os mesmos ingredientes, e é aí que projetos parecidos nascem. Portanto, faça já.

Essa palestra tem o objetivo de orientar e fazer com você um exercício de avaliação pessoal e definição, no papel dos seus objetivos e ações para 2015. Na área pessoal, profissional, da sua saúde, familiar, amorosa e por aí vai. Você vai construir comigo uma agenda para o próximo ano e assim definir melhor o seu caminho. “Quem não sabe para onde ir, qualquer caminho serve”

Te espero por lá.

Consulte por email, mariliadelima@gmail.com, este curso agora em dezembro via online para você participar de qualquer parte do mundo.

Invista em Conhecimento, veja nossa agenda para dezembro de 2014

Conhecimento quanto mais se tem, mais se quer ter. Conhecimento é a chave do sucesso, do crescimento pessoal. Conhecimento te ajuda a ser mais criativo, mais proativo e mais empreendedor.

Veja agora os cursos que preparei pra você para finalizar este ano maravilhoso de 2014.

AGENDA DEZEMBRO 2014

Curso: Inteligência na Elaboração e Gestão de Projetos

Online – investimento R$ 360,00 – 01 dez a 28 fevereiro – 24 h

Presencial – investimento R$ 360,00 – 15, 16 e 17 dezembro – 9 h

Passo a passo da elaboração • baseado nas técnicas do PMI• Gestão do Projeto• Planilhas de controle• Leis de Incentivo• Captação de Recursos• Plano de Mídia• Prestação de contas • E muito mais conteúdo para elaborar seus projetos.

E mais…

Palestra: etiqueta inteligente

Gratuito -1 hora – 03 dezembro –  online

Workshop: Tire seus projetos da gaveta em 2015

R$ 80,00 – 3 horas

04 dez – online só para convidados- Brasil

06 dez –  presencial aberto – Caxambu MG

13 dez – presencial aberto – São Paulo SP

Curso: Como Participar com Inteligência nas Feiras de Negócios

R$ 400,00-8 horas – 11 dezembro – presencial – São Paulo SP

Descontos especiais para grupos. Desconto de 30% para estudantes. Promoções na nossa fampage do Facebook semanalmente.  Fique ligado.

Invista em você, invista em conhecimento.

divulgação dos cursos

HOUSE OF CARDS, uma aula de negociação! (mas qualquer semelhança com a política no Brasil é mera evidência)

House-of-Cards1Estou assistindo a segunda temporada de HOUSE OF CARDS. É um seriado produzido pela Netflix, disponível só no Netflix por enquanto. Mas o preço da assinatura já vale a pena só por esse seriado. Definido como ficção é para mim a realidade nua e crua do que acontece no Brasil. Mas é também uma aula, capitulo a capitulo, sobre as pessoas. Sobre suas reações, medos e segredos. Sobre estratégias de manipulação. Sobre estratégicas de negociação.  

Kevin Space e Robin Wright como protagonistas dão um show de interpretação. Porém, muito além da arte e da comparação política, é um seriado que bem observado usa neurolinguística e outras tantas ferramentas psicológicas.

Tem gente que nasce com o dom da persuasão e negociação, pro bem ou pro mal, como é, pro mal, o personagem Francis de Kevin Space. Se analisarmos os personagens, todos eles, poderemos identificar perfis parecidos com muitas pessoas com as quais negociamos, trabalhamos ou convivemos. Eu mesma, assistindo, lembrei bastante de uma ex funcionária que todos os dias ia à minha sala e com todo “amor, carinho e amizade” obtinha informações e sabotava colegas e eu nem me dava conta disso, considerava uma grande amiga, mas era uma verdadeira Claire, personagem da elegante Robin Wright.

Na trama, deputados e senadores que só votam se recebem benefícios, emendas etc. Lavagem de dinheiro. Verbas de campanha por debaixo dos panos. Empresas patrocinadoras de campanhas eleitorais que manipulam o governo em prol de seus interesses. Manipulação da mídia. Manipulação de votos. Manipulação do povo. Ausência total de devoção ao partido e apenas o objetivo de ganhar votos e permanecer no poder eternamente.

Diria que a única diferença conosco é que os políticos dos EUA são bem mais preparados e estudados dos que os nossos, há corrupção, mas eles “parecem” pessoas de respeito.

No Brasil a grande maioria dos políticos, além de corrompidos, participa do grande circo dos horrores. É uma palhaçada, uma vergonha nacional. Talvez por isso tenhamos os melhores humoristas do mundo. Temos que aturar coisas como um palhaço que se elege fazendo piada de que nem sabe o que vai fazer lá no congresso, deputado racista e preconceituoso que preside a comissão de direitos humanos, deputado que é criminoso condenado e que exercia mandato, deputado com dinheiro na cueca, deputado procurado pela Interpol que todos protegem e por aí vai.

Os partidos políticos permitem que muitos se candidatem e estejam na mídia, levando a sua bandeira. Um exército estapafúrdio como: “mulher fruta” com as frutas à mostra, personalidades públicas que mal sabem falar, mas que são conhecidas, candidatos bizarros e que tudo pode ser conferido internacionalmente pelo Youtube.  Eu perguntei o “porque” disso e fui informada de que é pra conseguir bastante voto para o partido e ter lugar nas bancadas. Ter mais poder. Ou seja, dane-se o respeito, o patriotismo, a nação, o povo, a constituição…. desde que se tenha o poder.

Enquanto isso no Brasil de verdade crianças são estupradas, morrem de fome, são usurpadas, sai da escola sem saber ler e escrever, comete crimes. Enquanto isso os profissionais mais importantes da sociedade ganham salário de fome em contrapartida os salários absurdos do nosso “Governo”.  Enquanto isso nosso sistema de saúde é precário, a educação precária, infraestrutura precária. E por aí vai. Não posso negar que desde as “Diretas Já” muita coisa vem melhorando. Mas ainda temos muito chão.

O fato é que HOUSE OF CARDS mostra bem como anda o mundo e quem é o verdadeiro patrão de tudo isso O PODER E O DINHEIRO. E após as aulas de política e negociação deveríamos pensar onde é que tudo isso nos levará.

Considerações finais:

– não estou ganhando um centavo da Netflix

– não sou e não defendo nenhum partido político, porque não acredito que eles existam.

– Eu falo sobre eventos e projetos, mas não é possível, enquanto empreendedora, ignorar a política que há 500 anos suga o povo brasileiro e que dificulta muito mais empreender no Brasil. Então tenho que falar dela também.

Agenda para o próximo curso sobre PROJETOS

O curso “INTELIGÊNCIA NA ELABORAÇÃO E GESTÃO DE PROJETOS” (culturais/sociais/esportivos)
é o único onde você escreve o seu projeto de verdade através da consultoria on line que ganha ao se inscrever. Vagas limitadas.

DIAS 14 E 15 DE MARÇO

Image

ENTENDA: PATROCINIO CULTURAL É INDENPENDENTE DE LEI DE INCENTIVO #prontofalei

Resolvi escrever este texto pois há muito venho dizendo ao pessoal da cultura que elaborar projetos e procurar patrocinadores não é vinculado ao cadastro em leis de incentivo ou editais. Os projetos e os patrocínios devem e acontecem independente de ter ou não uma lei ou edital para tal.

Para entender um pouco mais trouxe o primeiro “mecenas” Gaius Maecenas ou Caio Cílnio Mecenas (68-8 a.C.), conselheiro do imperador Cesar Augusto o filho de Júlio César. Ele criou a sua volta a permanência de amigos intelectuais e artistas. Era um patrocinador de todos, tornando-se um modelo para vários outros governantes e pessoas importantes. Tudo isso sempre com a intenção também de melhorar a própria imagem. ImagemDesde então, com toda essa fama e modelo copiado, o termo “mecenas” se tornou adjetivo para aqueles que patrocinavam as artes e os seus artistas. E claro esse patrocínio veio sempre com a contrapartida da fama e da boa imagem para quem o fazia.

Passados muitos e muitos anos ainda hoje as belas artes e agora muito mais a cultura em sua totalidade abrangendo a culinária, patrimônio, línguas, costumes e tal, está ainda dependente, e com razão, dos “mecenas”, dos patrocinadores que por aí buscamos. O mecenato, ou patrocínio, tem dois pontos de atuação: o cultural e o social. Nas duas áreas vem sendo desenvolvido e pensado os incentivos fiscais para que seja mais efetivo a participação de empresas e pessoas físicas. Ponto positivo.

Na área da cultura, no Brasil, temos leis federais, estaduais e municipais. As leis federais principais e efetivas são a Rouanet e a Lei do Audiovisual voltada para o cinema. A Rouanet, antiga lei Sarney, trabalha com incentivos das empresas e pessoas físicas através do IR e o abatimento variando até 100%. As leis estaduais trabalham com incentivos através do ICMS, só podem patrocinar empresas, e as porcentagens de abatimento na maioria dos estados (quase todos já tem sua lei de incentivo) é de 80% e 20% tem que sair efetivamente do bolso da empresa. No estado de São Paulo, o Proac, lei estadual, o abatimento é de 100% do valor patrocinado. As leis municipais são variáveis de acordo com o município e trabalham com o IPTU e ISS para os incentivos. A grosso modo, a empresa deposita na conta do projeto cultural o valor X, guarda o recibo e na hora de pagar o imposto faz o abatimento de acordo com as normas.

Muito legal né? Só que com essa prática, e com o aumento dos cursos sobre projetos e produção cultural, captação de recursos e outros, tem se deixado, erroneamente, a impressão de que as leis de incentivo e editais estão vinculados aos projetos e vice-versa. Com a quantidade de novos projetos e novas possibilidades estão quase todos, patrocinadores e patrocinados, VICIADOS em patrocínios apenas via leis de incentivo. Ponto negativo.

Quando se elabora e escreve um projeto o principal objetivo dever ser realiza-lo, de uma forma ou de outra. Muita gente me procura para auxiliar nos problemas com captação. Costumo dizer sempre que o mais fácil é escrever e aprovar um projeto, o difícil, mesmo é vender o projeto para o possível patrocinador.

Diante destas dificuldades tenho 7 conselhos resumidos e que são bons porque nos meus cursos eles são mais detalhados e são pagos (risos):

1- Faça um projeto porque você tem uma boa ideia e de um tema que você tem conhecimento.  A regra em vendas é que “ninguém vende aquilo que não acredita e que não conhece”.

2- Faça uma projeção de gastos pensando também em parcerias, permutas e outros tipos possíveis de entrada de recursos, pagamento ou aquisição dos itens do seu projeto.

3 –Se você pensa em dinheiro porque não pensar em ações de sustentabilidade? Exemplos: jantar pago, ingresso antecipado, compra de cotas do livro ou CD, uma festa, venda de camisetas etc.

4 – Construa um plano de negócios, de possibilidades de patrocínio e cotas, não só baseado em incentivo.

5 – Quando abordar uma empresa não pense somente no projeto em si. Pense que esta empresa poderá ser uma parceira para vários momentos.

6 – Pense e repense a sua planilha financeira para que sempre tenha formas alternativas para readequar os orçamentos.

7- NUNCA, repito NUNCA, aborde um possível patrocinador falando de imediato que o projeto está em lei X ou Y. Esta informação é a “Cereja do bolo”.

Com estes conselhos sei que você terá muitas ideias. Acredite no seu projeto, acredite que ele é um bom negócio para o patrocinador.

A INTELIGÊNCIA é entender que PATROCÍNIO CULTURAL É INDEPENDENTE DE LEI DE INCENTIVO. Patrocínio é uma via de mão dupla, é um ganha X ganha. Mas, sendo você o maior interessado, tente construir os argumentos necessários para o convencimento. Vender também é uma arte.

O MENSALÃO DA CULTURA

A cultura está acima da diferença da condição social.” (Confuncio).

“Sabei que o segredo das artes é corrigir a natureza.” (Voltaire).

ImagemHá muitos e muitos anos, num magestoso país chamado Brasil havia propina, corrupção, compra de opiniões, caixa 2 e muito mais. Antes de eu nascer até os dias de hoje. Claro que com tanta corrupção não haveria de ser diferente na cultura.

Nossa!!! Verdade?!?!? Claro que sim e claro que muitos já sabiam disso. Crimes como formação de quadrilha, peculato, lavagem de dinheiro, corrupção ativa, gestão fraudulenta e evasão de divisas acontece sim na cultura. Mas, infelizmente, com poucas possibilidades de provar ou de alguém realmente querer denunciar ou mesmo se interessar.

Tive meu primeiro contato com a corrupção quando fui secretária de Turismo em uma cidade de 13 mil habitantes no interior de Minas. Foi lá que vi que o “sorteio” de barracas para a festa da cidade era “maquiada” para que ganhassem apenas os amigos do partido. Foi lá que fui orientada pelo prefeito a recusar a doação de instrumentos musicais para uma banda da cidade por ser de outro partido. Foi lá que fiquei sabendo, “em segredo”, que “fulano” do financeiro da prefeitura maquiava também as licitações para ganhar aquele que lhe dava comissão das contratações de shows. Achei que isso só acontecia naquela cidade, naquele momento. Ó céus, ó vida…. ó santa ingenuidade.

Andei pesquisando junta às pessoas que conheço para saber a opinião de cada uma a respeito do “que é o mensalão”. Interessante é que a maioria, enxerga apenas como uma distribuição de dinheiro, do PT, para comprar votos. Ponto.

Porém o famoso “mensalão” é muito mais do que isso. Envolve diversos partidos, diversas empresas públicas e privadas, diversos empresários, a compra do PTB pelo PT e muito mais segundo as denúncias e processos. Os envolvidos somam mais de 100 pessoas e não somente a meia dúzia condenada. E o estopim foi a denúncia do Roberto Jefferson do PTB que canta muito mal a música do Lupicínio Rodrigues, Vingança. Opa, mas será que ao cantar no Programa do Jô essa música ele estava mandando uma “mensagem subliminar” para alguém?

Enfim, 18 de maio de 2004 diz-se que é o marco para o início dos escândalos e que eles estão restritos a essa época e ao PT. Porém, quem não se lembra em 2003 da cueca com dinheiro? Em 1995 da farra do PROER? Propinas nas privatizações da Vale e Telebrás? Compra de votos para a reeleição do FHC? O escândalo do Lalau? Jorgina de Freitas, fraudadora do INSS e que hoje tem um cargo público no Rio de Janeiro?

Com tanto escândalo e história os profissionais da cultura já estão se movimentando tem 02 filmes para serem produzidos: um filme da Tata Amaral sobre o “Porque José Dirceu virou o vilão do Brasil” já inclusive com autorização para capitação de mais de 1,5 milhões e o filme, ainda em estudo, que José de Abreu quer fazer sobre o Mensalão.

Onde há corrupção na área cultural?

– Podemos falar das contratações de shows, produtos culturais etc por prefeituras ou estado. Empresas vendem algo que custa X, cobra XX, e  o X a mais usa para repassar as “gorjetas” para quem intermediou o negócio. E claro tudo isso com dinheiro público.

– Existe também o tráfico de influência que acontece sempre em grande eventos, contratados pelo governo, para “representar” o Brasil etc, pagos com dinheiro público e que sempre vão os “amigos do rei”. Sem chamamento, sem concurso, sem dar oportunidades a outros tão bons quanto.

– Na Lei Rouanet, o mecenato, concede ao proponente de determinado projeto captar junto às empresas patrocínio para o projeto com o benefício da lei. A empresa dá ao projeto dinheiro como patrocínio, aparece na divulgação e depois faz o abatimento quando for pagar seus impostos, ou seja, usa dinheiro público e ainda se beneficia com divulgação.  Existe para essa “venda do patrocínio” a figura do captador de recursos, aquele que tem seus contatos com empresas e sabe vender. Ele tem o direito de receber uma comissão, dentro da lei, de até 10% do valor do projeto num teto máximo de 100 mil reais.

Apesar de simples assim e de ser claramente dinheiro público todos os dias tenho amigos, artistas e alunos dos cursos que ministro sobre o assunto me perguntando se é certo, se procede, pagar 20%, 30% do valor do projeto para o captador, que as vezes repassa parte para o funcionário da empresa que ajudou na liberação. Se é certo que eles “devolvam” para a empresa os 30%/40% a mais quando a lei não cobre os 100% de compensação. Se é certo fraudar notas fiscais a maior quando está “sobrando” dinheiro no projeto etc. Fiquei até sabendo que uma “colega” que ministra cursos sobre projetos e lei Rouanet que prega isso como inevitável.

Muita gente acha isso normal, ruim, mas, normal. Vamos quebrar o pensamento do “é assim mesmo” e partir para um posicionamento mais efetivo na cultura. Temos direito e precisamos de mais projetos e ações culturais e artísticas. Cada desvio desses, cada propina, é uma peça de teatro, um show que não acontece. Cada desvio de verba pública da cultura assim é mais um artista que não paga a sua luz, seu aluguel, seus compromissos.

Mas existe uma solução. A solução é a denúncia. Minha constante resposta e a sugestão para vocês como ação é: MINISTÉRIO PÚBLICO, POLÍCIA, CADEIA NELES. Denunciem toda e qualquer corrupção. E as denúncias no Ministério Público podem ser anônimas. Consiga o maior número de informações que puder como detalhes do projeto, da empresa, do captador, da pessoa que propôs isso. Parafraseando o Rei Roberto Carlos, essa corrupção é “ilegal, imoral e engorda” somente o bolso de alguns.

Acredito na cultura e acredito em vocês. Sei que se nos unirmos podemos mudar este panorama.

Somos profissionais da cultura, temos responsabilidade com tudo isso. Podemos com a nossa arte, com o fomento e resgate das culturas, com a valorização das ações culturais mudar o pensamento de um povo que precisa mais e mais apenas acreditar que pode. Nós podemos. Todos podem. Tenham esperança. Vamos plantar esta idéia. Vamos mudar esse país.

Captação de recursos….

Você tem projetos precisando de captação? Mande um resumo e os principais dados para que possamos ser mais uma possibilidade de viabilização do seu projeto.

mariliadelima@gmail.com