RECADO PRA VOCÊ QUE SEGUE MEU BLOG

Olá pra você que segue meu Blog, informo que agora estamos no endereço www.mariliadelima.com.br 

Lá também você pode se inscrever e ter acesso aos conteúdos que publico diariamente.

Te espero por lá.

 

ADMINISTRAÇÃO E MARKETING? SIM, MUITO IMPORTANTE

INTELIGENCIA__PROJETOS_EVENTOS_01Quem trabalha com a cultura, sustentabilidade, terceiro setor, projetos, ações sociais e outros, muitas vezes acha que não faz parte do mundo globalizado, do setor de negócios e do capitalismo mundial. Pensa que não é necessário ter conhecimento para utilizar ferramentas e conceitos de administração, contabilidade, gerenciamento, marketing etc. Este é um pensamento equivocado.

Qualquer empreendimento, ação, projeto ou atividade que tenha como uma das metas ganhar dinheiro por qualquer motivo, mesmo que não haja lucro, faz parte do mercado e precisa entender e saber sobre administração, sobre empreendedorismo. Guardada as devidas proporções e especificidades, é importante entender e olhar como funciona este mundo e assim conseguir ganhar mais vantagens, diminuir os erros e aumentar os resultados.

Vender um CD, livro, DVD, obra de arte ou qualquer outro material artístico, cultural ou social exige conhecimento desse mercado. Vender ingressos para shows, peças teatrais, eventos beneficentes, treinamentos direcionados ou qualquer atividade neste sentido nos faz utilizar das mais variadas ferramentas de marketing (mercado). Qualquer prestação de serviço, em qualquer uma destas áreas, onde em algum momento envolva dinheiro, materiais, pessoas, logística, fornecedores e outros itens, exigirá administração e conhecimento das técnicas.

Por isso, tanto o profissional autônomo da área, quanto a empresa ou associação, tem que ter a consciência de que é necessário criar planejamentos a curto, médio e longo prazo. É necessário entender de finanças e investimentos, é importante conhecer os principais conceitos de marketing. Conhecer profundamente o seu negócio, o setor e quais os dados já pesquisados. Utilizar destas pesquisas e dados, para melhorar a performance e alcançar resultados mais efetivos.

Para ampliar o conhecimento, entender os conceitos, aprender mais sobre as ferramentas e o próprio mercado, há hoje muitos canais de informação e consultoria. O SEBRAE é um deles quando falamos de pequenos empreendimentos. Mas há sites, revistas, livros e eventos pagos ou gratuitos, online ou presencial, onde o conhecimento pode ser adquirido.

Aqui no meu blog, nos meus cursos e em todas as redes sociais onde produzo conteúdo falo sobre isso. INTELIGÊNCIA EM PROJETOS E EVENTOS. A inteligência em trabalhar neste mercado que a cada dia se profissionaliza mais. Pense nisso. Amplie seus conceitos. Abra sua mente. Saia da “Caixinha”. Pense holisticamente. Nossa possibilidade é gigante, temos muito mercado a conquistar. Com mais técnica e conhecimento podemos mudar e melhorar tudo o que quisermos, até o mundo. Mas lembre-se, trabalhar dá trabalho.

Gostou? Curta, comente, envie seus comentários e dicas. Mas principalmente compartilhe, CONHECIMENTO TEM QUE CIRCULAR. 😉

APROVEITE O PRONATEC DA CULTURA

image

Pronatec Cultura: passo a passo para gestores públicos

Está aberto o processo de abertura de vagas para o Pronatec Cultura deste ano. O número de vagas será estabelecido a partir da demanda de secretarias municipais e/ou estaduais de cultura, ou órgão equivalente – apresentada ao Ministério da Cultura (MinC), por meio de sua Secretaria de Formação Artística e Cultural (Sefac).

Confira abaixo os procedimentos necessários.

Como aderir ao Pronatec Cultura?
As secretarias de Cultura ou os órgãos responsáveis pelas políticas públicas culturais de estados e municípios contatam o MinC pelo endereço eletrônico pronatec.cultura@cultura.gov.br, manifestando sua intenção em participar do Pronatec Cultura. 

Como solicitar vagas?
Os órgãos interessados receberão por e-mail uma planilha de mapeamento de demanda, na qual deverão informar e justificar quantas vagas e quais dos cursos disponíveis desejam ofertar em sua região. Confira aqui a lista dos 75 cursos ofertados nesta edição do Pronatec Cultura. Mais informações estão disponíveis no site do programa, dentro do Guia de Cursos de Formação Inicial e Continuada (Guia Pronatec de Cursos FIC) e do Catálogo Nacional de Cursos Técnicos.

Quem oferta os cursos?
O ofertante é a unidade educacional cadastrada no Sistema Nacional de Informações da Educação Profissional e Tecnológica (Sistec) e habilitada pelo MEC para realizar os cursos do Pronatec Cultura. São ofertantes do Pronatec: os Institutos Federais, o Sistema S e as escolas técnicas municipais e estaduais. Se em sua região existe fundação de cultura que oferte cursos técnicos, entre em contato com o MinC pelo emailpronatec.cultura@cultura.gov.br para verificar a possibilidade de cadastramento dessa instituição.

Homologação de vagas 
Baseada nas demandas de todo país, o Ministério da Educação (MEC) pactua com as unidades ofertantes a quantidade de vagas que poderão ser abertas. O resultado será publicado nas páginas do Sistec e do MinC.

Pré-matrículas e matrículas
Definido o número de vagas disponíveis, os órgãos responsáveis pelas políticas públicas culturais de estados e municípios terão preferência sobre as vagas que solicitaram. Os órgãos terão quatro dias exclusivos para realizar as pré-matrículas nestas vagas. Depois desse prazo, as vagas serão compartilhadas com outros demandantes e, caso ainda não tenha sido preenchidas, são abertas as inscrições on-line no site do Pronatec. 

Sobre o Pronatec 
O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) é um programa do Governo Federal, coordenado pelo MEC, cujo objetivo é expandir, interiorizar e democratizar a oferta de cursos de educação profissional e tecnológica no país. O MinC é responsável pelo Pronatec Cultura, modalidade que, desde 2013, já ofertou  50.341 vagas em cursos técnicos na área cultural em todo Brasil.

Mais informações
Além do site Pronatec e do MEC, mais informações podem ser obtidas com a Sefac/MinC pelo email pronatec.cultura@cultura.gov.br  ou pelo telefone (61) 2024-2275. 

FONTE: material publicada pela Secretaria de Formação Artística e Cultural – Ministério da Cultura – no site: http://www.cultura.Gov.br

 

10 DICAS IMPORTANTES PARA REALIZAR OS PROJETOS

Segue aqui 10 dicas importantes que você precisa saber sobre projetos:

writing-1170138_960_720

  1. SE SEU PROJETO NÃO ESTÁ ESCRITO, NÃO TEM OS ORÇAMENTOS E CRONOGRAMAS DESENHADOS, VOCÊ NÃO TEM UM PROJETO, TEM SÓ UMA IDEIA. – Algumas pessoas têm idéias, fazem um pequeno resumo no papel, apontam as justificativas etc., mas não escrevem nada de prático. Isso não é um projeto, é uma ideia, não confunda. As perguntas que orientam para esta construção detalhada são: O que é, quanto é, para quando é, com quem é, como é e por aí vai.
  1. ESCREVA UM PROJETO PELO PROJETO E NÃO PARA UMA LEI OU EDITAL – Um projeto tem que atender a uma demanda visualizada no planejamento estratégico da pessoa, empresa ou instituição. A ação de desenhar e escrever um projeto, que custará seu tempo, deve ser alinhado com a visão geral do caminho a percorrer. Leis e editais são para viabilizar financeiramente os projetos que você sonha, que você precisa.
  1. PROJETO TEM COMEÇO, MEIO E FIM, ao contrário de uma empresa ou uma carreira que trabalhamos para que não tenha fim. Um projeto sempre tem um objetivo que, ao ser cumprido, finaliza as ações. Portanto, pensar nesse desenho é também pensar em uma boa finalização. Tem gente que faz projeto que nunca termina. Fica enrolado com prestação de contas, com finalização de fotos e vídeos etc. Isso é erro de planejamento.
  1. PROJETO TEM QUE CONTER A VERDADE, NADA MAIS DO QUE A VERDADE– Isso é muito importante para se aprender com relação aos projetos. Alguns acham que é difícil escrever, pois focam em argumentos e condicionamentos que tornam o “escrever um projeto” algo intocável. Para escrever coloque a verdade exata de como você vai fazer, o que vai precisar para construir e executar sua ação.
  1. PROJETO É UMA RECEITA DE BOLO – ao escrever um projeto escreva de forma que quem pegar o documento possa executá-lo. Ele é uma receita tem que ter todos os ingredientes e o “modo de fazer”. Para testar, dê pra alguém que não é da área ler. Se entender, maravilha, está pronto.
  1. PROJETO NÃO É TESE DE TCC – Um projeto não é uma tese para doutorado ou mestrado. Não deve ter linguagem rebuscada e deve ser de fácil compreensão. Deve ser claro, direto e prático. Somente na justificativa que é permitido dissertar sobre a importância, o contexto. Mas mesmo assim não deve ser extenso.  
  1. PLANEJE, PLANEJE, PLANEJE E DEPOIS ESCREVA – A parte mais importante na construção de um projeto é o planejamento. É nessa hora que há pesquisa de mercado, avaliação do contexto, discussão e mapeamento de riscos etc. Enquanto essa visão geral não for avaliada e processada não se deve finalizar o documento. Quanto maior a pesquisa, maior o acerto.
  1. LEIS DE INCENTIVO OU EDITAIS SÃO FÁCEIS DE ESCREVER E CADASTRAR –Nenhuma lei de incentivo ou edital é difícil de participar. Com o projeto pronto e escrito faça o que pede a lei ou edital. O que não pode é ter preguiça de ler, de buscar conhecimento. Mas, se está inseguro ou não tem tempo, sempre tem um bom produtor no mercado que pode escrever e cadastrar o projeto “com” você.
  1. CAPTAÇÃO DE RECURSOS E PRESTAÇÃO DE CONTAS COMEÇA NO PLANEJAMENTO – Essa é uma parte também muito importante de saber. Na fase do planejamento é também a hora de pensar de onde virá o dinheiro e quais as possibilidade. E como esse dinheiro será gasto e como isso será comprovado. Estes dois itens bem planejados evitam muitas dores de cabeça.
  1. PROJETO É UM MEIO, NÃO É O FIM – Outra confusão que se faz e achar que ter projetos é fundamental para a sobrevivência do grupo, da entidade, do artista etc. Fundamental é saber “o que você quer ser quando crescer, além de salsicha” (risos). Fundamental é saber aonde quer chegar e criar um planejamento estratégico. Nesse planejamento poderá conter um ou mais projetos e estes devem ter relação com o que se pretende conquistar. E não o contrário.

E é isso. Espero que tenha sido útil. Gostou? Curta e comente. Mas principalmente, compartilhe “Conhecimento tem que circular”.

PROJETO DE LEI PARA REGULAMENTAR A LEI ROUANET

download (18)A Lei Rouanet está mesmo dando o que falar. Por essas e por outras que muito deputado começa a olhar mais para a cultura, o que para os trabalhadores do setor, isso bom. Mas será que, assim como as matérias plantadas na mídia, a criação de novas leis não tem apenas motivos politiqueiros?

Neste movimento que o deputado federal Benjamin Maranhão (SD) apresentou nesta quarta-feira (24), no Congresso, Projeto de Lei (Nº 4526/2016) para proibir a captação de recursos a eventos culturais que gerem lucro, através da Lei Rouanet. O objetivo é garantir a democratização de acesso ao incentivo criado pelo Governo em 1991 para estimular a produção cultural nacional.

Você pode aqui ouvir meu podcast onde falo sobre O QUE É A LEI ROUANET.

É preciso entender o que é a lei, como funciona, quais os benefícios e beneficiados. Vejo como muito negativo as matérias aos montes falando da Claudia Leite como se a lei se resumisse a isso ou que estes tipos de projetos. Não, isso não é verdade.São mais de 3 mil projetos, em todo o Brasil sendo aprovados anualmente e menos de 10% com figuras como a “Claudinha”. Mas, se olharmos o outro lado, talvez seja uma oportunidade para discutir, na grande mídia, como funciona e quais são as necessidades da cultura. E principalmente, a votação e a criação de leis que vão ajudar a melhorar esse cenário.

O deputado federal Benjamin Maranhão (SD) apresentou o Projeto de Lei (Nº 4526/2016) para proibir a captação de recursos a eventos culturais que gerem lucro, através da Lei Rouanet. O objetivo é garantir a democratização de acesso ao incentivo criado pelo Governo em 1991 para estimular a produção cultural nacional. Ele sugere que seja acrescido o inciso 4º ao artigo 2º da Lei Rouanet, vedando a concessão do benefício aos projetos com essas características. Segundo ele “Não podemos acreditar que artistas consagrados, que arrastam multidões e faturam milhões, precisem da lei de incentivo à cultura. Esse instrumento deve ser utilizado para promover projetos que necessitem de estímulo para acontecerem e que possam, de fato, contribuir com a propagação da arte e da cultura do nosso povo”.

A lei é sim para todos e não vejo problema, legal, que a Claudia Leite tenha aprovado um projeto. O problema talvez seja moral, mas para isso serão anos de educação pela frente, outra história. Mas não podemos esquecer que ela não é a única, que o valor era baixo e que nem tinha captado. Agora então já cancelou, pronto. Mas pela lei já passaram Zeca Pagodinho, Cirque du Soleil, Zélia Duncam, Fernanda Montenegro e tantos outros atores globais. A lei é para todos e por isso estão em seu direito. O que precisa é de regulamentação. Regulamentação agora proposta pelo deputado Benjamin Maranhão.

A única questão que devemos pensar, discutir e acompanhar é “como será a avaliação do GERAR LUCRO? “. Tudo na cultura é muito subjetivo e sem condições de métricas pré estabelecidas. Existem projetos caríssimos e de grande valor cultural, que necessitam de apoio do governo, é assim em todo o mundo. Mesmo que cobrem ingresso. Esse é o caso de praticamente todos os museus do mundo.  Para muitos, fazer algo gratuito a principio, pode ser bom como marketing e num futuro ser usado como gerador de receita, veja marketing com dinheiro público.

Ficam então as perguntas: Como serão estas avaliações? A própria Claudia Leite poderia então entrar com um projeto onde não cobrasse nada? A lei será só pra quem é pobre e não tem dinheiro?  Uma pessoa famosa não poderá apresentar projetos? Isso não é violar a constituição quando excluímos se pobres ou ricos? E ainda assim, qual a métrica para definir isso? Talvez, não seria melhor aprovar algo, que está sendo proposto há anos, onde a grande diferença está no tamanho das porcentagens? Onde as Claudias Leites poderiam participar, mas por pontuação, levando em conta N fatores, seria aprovada mas a empresa teria somente 10 ou 20% de desconto, enquanto um cantor que estivesse em início de carreira tivesse 100%?

Enfim, as discussões sobre a cultura não começaram agora, há mais de 12 anos tem muita gente discutindo seriamente todas as nuances, caminhos e “se” deste setor tão importante para o desenvolvimento de um país. Estamos caminhando, um dia de cada vez. Mas muito já se andou. Poderia inclusive sugerir aos jornalistas e deputados de plantão que fizessem uma pesquisa sobre o Plano Nacional de Cultura.

Gostou? Curta e comente. E principalmente COMPARTILHE, conhecimento tem que circular.

CONAPEG – I Congresso de Planejamento e Gestão da Carreira Musical

foto_0933 Em fevereiro você poderá participar gratuitamente do congresso CONAPEG. O I Congresso de Planejamento e Gestão da Carreira Musical. Serão 21 palestras que te auxiliará a mudar ou melhorar o rumo e chegar o sucesso na carreira musical.

APRENDA COMO PLANEJAR E GERIR SUA CARREIRA MUSICAL com Especialistas da Área, reunidos em um grande evento online, dedicado exclusivamente ao seu crescimento profissional!

Confira os nomes dos 21 palestrantes já confirmados para o 1º Congresso Nacional de Planejamento e Gestão de Carreira Musical, que acontecerá ONLINE entre os dias 15/02 a 21/02/2016:

conapeg

Marcos Chomen (Business Development Latin America da CDBaby), Filipe Callil(ClapMe), Eric Luciano (Músico e Fundador da Escola Atelier de La Musique),Vinicius Soares (Palco Digital), Barbara Hannelore (Cantora e Fundadora do Portal Viva de Música), Evandro Gracelli (Músico e Educador Musical), Lucas Xavier(Agência Império Criativo), Ana Tex (InstaNegócios), Luciano Magno (Músico e Produtor), Juca Novaes (Músico e Advogado), Priscilla Rocha (CEO da Geração Y),Robson César (Músico e Fundador do site ProfissaoMusico.com), Leandro Ribeiro(Gerente de Projetos do Brasil Music Exchange), Leo Moraes (Músico e Empresário),Demma K (Músico e Fundador do site guitarbrasil.com.br), Giu Finazzo (Músico),Bruno Ssouza (Fundador do Startup101), Gustaf Rosin (Músico e Empreendedor),MARÍLIA DE LIMA (Especialista e Consultora em Projetos e Eventos), Marcio Mourão(Músico e Fundador do site Super Video Aulas) e Dani Lima (Pro Play).

Com esse time ESPETACULAR, o intuito é promover a evolução profissional de músicos e atuantes na área, ajudando cada profissional a planejar e gerir melhor sua carreira, afim de alcançar o RECONHECIMENTO E O SUCESSO que merece!

Nos vemos lá!

APROVEITE TAMBÉM – Pré-Lançamento da Área Vip Conapeg – 1º Congresso Nacional de Planejamento e Gestão Musical

Tenha acesso a todas as palestras do 1º Congresso Nacional de Planejamento e Gestão de Carreira Musical e à uma série de ferramentas extras para ajudar você a potencializar seus resultados e alcançar seus objetivos profissionais: Evoluir na sua carreira, planejar, gerir e ser um músico de SUCESSO!

O congresso será transmitido online entre os dias 15/02 a 21/02/16 e o acesso vip liberado a partir de 01/03/16

VALOR PROMOCIONAL DE PRÉ-LANÇAMENTO!

Conteúdo Programático
-> 21 PALESTRAS EM VÍDEO:  Para assistir quando, onde e quantas vezes quiser dentro do período de 1 ano.

-> 21 PALESTRAS EM ÁUDIO: Todas as 21 palestras em áudio MP3 para ouvir no carro, correndo, trabalho ou como quiser, quando quiser!

-> BÔNUS EXCLUSIVOS E ESPECIAIS OFERECIDOS PELOS PALESTRANTES

-> E-BOOKS EXCLUSIVOS FORNECIDOS PELOS PALESTRANTES

-> ACESSO À COMUNIDADE EXCLUSIVA: Comunidade exclusiva no Facebook com todos os membros da área vip e os palestrantes.

 

Clique agora e faça a sua opção pelo VIP

FURNAS ABRE EDITAL DE OCUPAÇÃO 2016/17

P_20151209_145256_1_HDR_pEstão abertas as inscrições para o Edital de Ocupação dos Ambientes do Espaço Furnas Cultural 2016/2017
Furnas Centrais Elétricas S.A. comunica que receberá no período de 04 de janeiro de 2016 a 12 de fevereiro de 2016 projetos culturais destinados à ocupação dos ambientes do Espaço Furnas Cultural, localizado na sede da Empresa, na cidade do Rio de Janeiro – RJ, no bairro de Botafogo, para formação de sua programação de 2016 e 2017.
Furnas disponibilizará um investimento de R$ 1.500.000,00 (um milhão e quinhentos mil reais) de recursos próprios, para projetos apresentados nas seguintes áreas artísticas:

– Artes Visuais (Exposição)
– Artes Cênicas (Teatro adulto e infantil)
– Música (Erudita ou Popular)

Você pode acessar aqui para saber mais sobre como participar.

E não se esqueça de curtir, de compartilhar e de comentar. Conhecimento e informação tem que circular. 🙂

A PARTIR DO DIA 11, SEMINÁRIO DE POLÍTICAS CULTURAIS RECEBE TRABALHOS

P_20151209_145256_1_HDR_pE mais uma vez este ano, você que é pesquisador da área cultural, que trabalha com políticas públicas pode enviar seus trabalhos para o VII Seminário Internacional de Políticas Públicas promovido pela Fundação Casa Rui Barbosa. A partir de 11/01. Veja agora como participar:

“O setor de Pesquisa de Políticas Culturais da Fundação Casa de Rui Barbosa comunica que, entre os dias 11 de janeiro e 15 de fevereiro de 2016, receberá propostas para apresentação de trabalhos no VII Seminário Internacional de Políticas Culturais*. Serão aceitos somente trabalhos que tenham como foco a área de políticas culturais. O objetivo é a apresentação e discussão de estudos que promovam a reflexão e o debate entre estudantes, pesquisadores, professores e demais profissionais que atuem ou tenham interesse na área de políticas culturais.

Poderão submeter trabalhos estudantes de mestrado e doutorado, mestres, doutores, gestores e professores de instituições de nível superior que tenham como foco a área de políticas culturais.

As inscrições serão aceitas mediante o envio do texto completo, que deverá ter entre 10 e 15 laudas (incluindo bibliografia). Os textos deverão ser enviados de acordo com as normas da ABNT, em Times New Roman, tamanho 12, espaçamento 1,5 e estar no formato .doc. O arquivo deverá conter o nome do autor (ou do 1º, quando houver mais de um).

Na primeira página do texto, devem constar os seguintes itens: título do artigo centralizado, em caixa-alta e em negrito; nome completo do(s) autor(es), alinhados à direita, indicando em nota de rodapé o grau de formação, vínculos institucionais e e-mail; resumo de 5 (cinco) a 10 (dez) linhas, com espaçamento simples; e 3 (três) a 5 (cinco) palavras-chave. Serão aceitos artigos em português e espanhol.

O conteúdo dos artigos é de responsabilidade do(s) autor(es). Cada pesquisador poderá ser autor em um trabalho, podendo ser coautor em apenas mais um. Os trabalhos poderão ter, no máximo, 1 (um) autor e 2 (dois) coautores. Os trabalhos deverão ser enviados dentro do prazo estabelecido e só serão publicados nos anais se forem apresentados durante o seminário.

O envio do trabalho deverá ser feito exclusivamente por e-mail, para o endereçopolítica.cultural@rb.gov.br, constando em assunto “Submissão de artigo”. As inscrições são gratuitas.

*O VI Seminário Internacional de Políticas Culturais será nos dias 17, 18, 19 e 20 de maio de 2016.

Informações e texto do site: Fundação Casa Rui Barbosa

E-BOOK E PALESTRA GRATIS – PRESENTES DE NATAL

EbookCover2 (3)Vou te dar três presentes de Natal e você pode aproveitar agora. Basta assinar minha lista VIP. Uma lista onde recebe conteúdo exclusivo, promoções, descontos e presentes.

Os presentes são:

  1. E-Book – “Tire (de verdade) seus projetos da Gaveta em 2016” + Palestra online dia 22 de dezembro, 19 h, horário de Brasília – na palestra iremos falar sobre como planejar as ações do próximo ano e da Rede Colaborativa de Produção Cultural que será uma ferramenta para te auxiliar. Assinando a lista Vip você vai receber todos os detalhes para participar. 
  2. E-Book – “Departamento de Mobilização de Recursos para ONGs”
  3. 50% de desconto no meu curso INTELIGÊNCIA NA ELABORAÇÃO E GESTÃO DE PROJETOS – Esse desconto será considerado inclusive nos preços promocionais. -durante o Webinário de terça dia 22 serão sorteados 2 ingressos gratuitos para o curso.

ASSINE MINHA LISTA VIP e receba os presentes e muita informação.

Se gostou compartilhe também com seus amigos. Informação é feita pra circular. Faça também comentários eles me ajudam a melhorar e direcionar o conteúdo.

Ouça também o podcast onde faço uma introdução sobre este tema. 

😉

OCUPAÇÃO DAS ESCOLAS EM SP – RESULTADO DE UM PROJETO MAL ELABORADO

@.jpg

Brinquei recentemente que o pessoal da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo deveria participar do meu curso em janeiro INTELIGÊNCIA NA ELABORAÇÃO E GESTÃO DE PROJETOS. Isso porque o projeto que tentaram implantar nas escolas, que até parece interessante, errou num ponto fundamental e que pode simplesmente destruir uma boa idéia e sua realização: A GESTÃO DOS STAKEHOLDERS.

Nunca diga nunca, mas eu digo agora: nunca faça isso. Muitos projetos fracassam ao ignorar a importância das pessoas e empresas envolvidas direta ou indiretamente. Identificar, avaliar e se comunicar com os participantes, além de garantir a fluência do projeto, pode também melhorar a sua performance.

Claro que, infelizmente, vimos isso acontecer com mais frequência por ações do governo (qualquer governo). Eles conseguem destruir e errar nas mais variadas fases de planejamento ou implantação de um projeto. Cai viadutos, pontes, demora 10 vezes mais o tempo ou gasta o dobro orçamento previsto etc. Mas nem por isso é só mérito deles. Nas produções do segundo setor, do setor 2.5 e do terceiro setor vimos também isso acontecer.

Onde está o erro? Eu arriscaria o palpite (+experiência) de que 90% é no planejamento e na gestão de riscos. Já participei e já ouvi histórias de pessoas em eventos onde o estande caiu, o público não veio, o produto não ficou pronto, a comida estragou, o fotógrafo não foi, faltou lugar, a bebida acabou e por aí vai. Isso não é algo da natureza como uma chuva, vendaval ou algum outro imprevisto onde não temos o controle. Isso é erro de planejamento, falta de visão, falha na construção.

No caso do projeto da mudança nas escolas de São Paulo, pode até ser que tenha sido bem construído o conteúdo. Mas projeto não vive só de conteúdo, de justificativas, de objetivo. Por mais que sejam pertinentes e impressionantes se não houver uma boa estratégia de implantação o fracasso estará rondando.  Não se impõe um projeto, ele é conjunto. Ora, se o público principal, para quem a secretaria de cultura trabalha não aprovou é porque houve sim uma grande e trágica falha no projeto de conteúdo, ou de planejamento ou de implantação. Mas foi um erro.

Para a secretaria tenho duas coisas pra falar:

1 – SUGESTÃO – Inteligente seria abortar o projeto. Ganham muitos pontos. Um bom assessor de imprensa podem ajudar vocês a fazer isso da forma certa. Depois, se o projeto é mesmo bom, voltem para a mesa de planejamento, reiniciem o processo, avaliem o que aconteceu e porque, refaçam por módulos. Comecem novamente, por partes em 2017. Mostrem resultado. Conquistem a confiança e “Voilá” vai dar certo.

2 -AGRADECIMENTO – Isso que aconteceu vai virar um “case” para os meus cursos. Na lista do que não fazer. Obrigada.

E para você, espero que tenha gostado. Deixe comentário, dê sugestão de novos conteúdos, tire suas dúvidas. Estou a disposição. Obrigada.

Aproveita e compartilha, informação e conteúdo devem ser sempre partilhados. É dando que se recebe. 🙂