PROJETO DE LEI PARA REGULAMENTAR A LEI ROUANET

download (18)A Lei Rouanet está mesmo dando o que falar. Por essas e por outras que muito deputado começa a olhar mais para a cultura, o que para os trabalhadores do setor, isso bom. Mas será que, assim como as matérias plantadas na mídia, a criação de novas leis não tem apenas motivos politiqueiros?

Neste movimento que o deputado federal Benjamin Maranhão (SD) apresentou nesta quarta-feira (24), no Congresso, Projeto de Lei (Nº 4526/2016) para proibir a captação de recursos a eventos culturais que gerem lucro, através da Lei Rouanet. O objetivo é garantir a democratização de acesso ao incentivo criado pelo Governo em 1991 para estimular a produção cultural nacional.

Você pode aqui ouvir meu podcast onde falo sobre O QUE É A LEI ROUANET.

É preciso entender o que é a lei, como funciona, quais os benefícios e beneficiados. Vejo como muito negativo as matérias aos montes falando da Claudia Leite como se a lei se resumisse a isso ou que estes tipos de projetos. Não, isso não é verdade.São mais de 3 mil projetos, em todo o Brasil sendo aprovados anualmente e menos de 10% com figuras como a “Claudinha”. Mas, se olharmos o outro lado, talvez seja uma oportunidade para discutir, na grande mídia, como funciona e quais são as necessidades da cultura. E principalmente, a votação e a criação de leis que vão ajudar a melhorar esse cenário.

O deputado federal Benjamin Maranhão (SD) apresentou o Projeto de Lei (Nº 4526/2016) para proibir a captação de recursos a eventos culturais que gerem lucro, através da Lei Rouanet. O objetivo é garantir a democratização de acesso ao incentivo criado pelo Governo em 1991 para estimular a produção cultural nacional. Ele sugere que seja acrescido o inciso 4º ao artigo 2º da Lei Rouanet, vedando a concessão do benefício aos projetos com essas características. Segundo ele “Não podemos acreditar que artistas consagrados, que arrastam multidões e faturam milhões, precisem da lei de incentivo à cultura. Esse instrumento deve ser utilizado para promover projetos que necessitem de estímulo para acontecerem e que possam, de fato, contribuir com a propagação da arte e da cultura do nosso povo”.

A lei é sim para todos e não vejo problema, legal, que a Claudia Leite tenha aprovado um projeto. O problema talvez seja moral, mas para isso serão anos de educação pela frente, outra história. Mas não podemos esquecer que ela não é a única, que o valor era baixo e que nem tinha captado. Agora então já cancelou, pronto. Mas pela lei já passaram Zeca Pagodinho, Cirque du Soleil, Zélia Duncam, Fernanda Montenegro e tantos outros atores globais. A lei é para todos e por isso estão em seu direito. O que precisa é de regulamentação. Regulamentação agora proposta pelo deputado Benjamin Maranhão.

A única questão que devemos pensar, discutir e acompanhar é “como será a avaliação do GERAR LUCRO? “. Tudo na cultura é muito subjetivo e sem condições de métricas pré estabelecidas. Existem projetos caríssimos e de grande valor cultural, que necessitam de apoio do governo, é assim em todo o mundo. Mesmo que cobrem ingresso. Esse é o caso de praticamente todos os museus do mundo.  Para muitos, fazer algo gratuito a principio, pode ser bom como marketing e num futuro ser usado como gerador de receita, veja marketing com dinheiro público.

Ficam então as perguntas: Como serão estas avaliações? A própria Claudia Leite poderia então entrar com um projeto onde não cobrasse nada? A lei será só pra quem é pobre e não tem dinheiro?  Uma pessoa famosa não poderá apresentar projetos? Isso não é violar a constituição quando excluímos se pobres ou ricos? E ainda assim, qual a métrica para definir isso? Talvez, não seria melhor aprovar algo, que está sendo proposto há anos, onde a grande diferença está no tamanho das porcentagens? Onde as Claudias Leites poderiam participar, mas por pontuação, levando em conta N fatores, seria aprovada mas a empresa teria somente 10 ou 20% de desconto, enquanto um cantor que estivesse em início de carreira tivesse 100%?

Enfim, as discussões sobre a cultura não começaram agora, há mais de 12 anos tem muita gente discutindo seriamente todas as nuances, caminhos e “se” deste setor tão importante para o desenvolvimento de um país. Estamos caminhando, um dia de cada vez. Mas muito já se andou. Poderia inclusive sugerir aos jornalistas e deputados de plantão que fizessem uma pesquisa sobre o Plano Nacional de Cultura.

Gostou? Curta e comente. E principalmente COMPARTILHE, conhecimento tem que circular.

INTELIGÊNCIA NA ELABORAÇÃO E GESTÃO EM PROJETOS – CURSO PRESENCIAL EM JANEIRO DE 2016

Você que queria muito meu curso presencial olha ele aí. Dias 16 e 17 de janeiro, em São Paulo nós poderemos nos encontrar e falar sobre a INTELIGÊNCIA NA ELABORAÇÃO E GESTÃO DE PROJETOS. Essa é minha primeira agenda para o ano de 2016 e quero te ver por lá.

12187673_10154386991478712_7530135820567049477_nFalaremos sobre:

  • Escolher a ideia,
  • Construir o esboço,
  • Utilizar o MÉTODO**
  • Escrever o projeto
  • Leis de incentivo e editais
  • Plano de Mídia
  • Captação de recursos
  • Execução/ Gestão
  • Finalização
  • Prestação de contas
  • Extras

Um curso imperdível para quem quer realmente aprender a fazer projetos reais, factíveis, criativos e inteligentes. Um curso para quem não quer só escrever e aprovar projetos mas que quer executar, captar e realizar o que está proposto.

No curso, além de me basear pelas técnicas do PMI (Um instituto que pesquisa e define parâmetros para o gerenciamento de projetos), utilizo também o modelo de construção do Canvas que é aquele famoso construtor de idéias que trabalha como os post-its.

Agora o mais legal que tenho pra te oferecer é o meu MODELO exclusivo de construção de projetos onde você realmente fixa o conteúdo e aprende na prática como fazer.

Para todos os que se inscreverem tenho 04 bônus:

  1. *Kit de planilhas e modelos para construir seus projetos.
  2. *Agenda de editais para 2016
  3. *E-Book – Divulgando projetos e eventos nas redes sociais.
  4. *Vídeo exclusivo: “Crowndfunding

E ainda um quinto bônus SURPRESA mas muito útil para o produtor cultural e de eventos.

TÓPICOS:

O que é um projeto – DA IDÉIA À EXECUÇÃO – Pesquisa de mercado – ESCOLHENDO O PROJETO – Justificativa – OBJETIVOS – Etapas de um projeto – GESTÃO DE PESSOAS – Gestão de materiais – LOGÍSTICA –  Gestão de riscos – GESTÃO DE RECURSOS FINANCEIROS –  Estrutura de trabalho – PLANILHAS – Indicadores de desempenho – PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO – Plano de Mídia – CAPTAÇÃO E MOBILIZAÇÃO DE RECURSOS – Contratações – LEIS E LICENÇAS – No papel – ADEQUAÇÃO À LEIS DE INCENTIVO, EDITAIS, EMENDAS E OUTROS – Execução e gestão – AVALIAÇÃO – Diversos.

Então se você é da área de projetos, eventos, cultura, entidades sociais, comunicação, marketing, produção, artes etc se inscreva agora para receber as informações completas desse curso:  faça aqui sua inscrição. Para todos os que se inscreverem até o dia 15 de dezembro o desconto será de 20% do valor total. Acompanhe as informações.

Compartilhe com seus amigos. 😉

10 DICAS MUITO IMPORTANTES PARA VOCÊ CONSTRUIR UM PROJETO

Meninas e Meninos,

IMG_4761 - CópiaMuita gente me pergunta qual o primeiro passo ou quais passos principais para se escrever um projeto. Segue então 10 dicas e comentários que acho que pode ajudar um pouco:

1 – Um projeto é um planejamento, uma receita (uma receita de bolo como digo sempre). É o passo a passo para que você realize o que pretende. Pode ser um projeto de uma festa, de comprar um carro, de fazer uma ação social, de lançar um livro, de construir uma casa etc. Para qualquer uma dessas ações você deve pensar em todos os detalhes e colocar isso no papel.

2 – Faça um projeto que tenha a ver com sua carreira, sua vida, sua realidade. Não adianta fazer um projeto “Totalmente Saudável” se você não consegue ficar longe das guloseimas. Não adianta fazer um projeto de engenharia se seu conhecimento é de culinária. Não adianta querer fazer projetos de dança se você só entende de música. Para isso primeiro você tem que aprender sobre o assunto e depois elaborar o projeto. Ou, conseguir uma parceria de alguém especialista no assunto que possa te ajudar.

3 – Tenha muito claro o ESCOPO do projeto. Escopo é o ponto ao qual quer chegar. O que você quer atingir. É exatamente o que é o seu projeto. Poderíamos dizer que é o Objetivo Geral misturado com a Definição. Mas é a partir dele que você constroe todo o resto. Não é só “lançar um livro” mas é porque e o que quer com esse lançamento.

4 – Definir e entender as necessidades e interesses dos STAKEHOLDERS (todas as pessoas que estão ligadas direta ou indiretamente ao seu projeto e tem interesse no mesmo). Essa parte é fundamental para uma série de ações na hora de escrever e definir o passo a passo da execução do projeto.

5 – Fazer um “Toró de Palpites” e responder os “Q’s” – O que é o projeto? O que você quer com o projeto? Onde acontecerá? Quem participará? Como vou falar disso? O que preciso? Quando preciso? Quanto preciso? etc

6 – Começar a colocar tudo no papel descrevendo, inclusive, os custos envolvidos em cada necessidade e cada passo.

7 – Ter estes principais ítens na descrição:

***RH – Recursos Humanos envolvidos – todos os prestadores de serviço, profissionais etc.

*** RM – Recursos Materiais necessários – tudo o que vai comprar, alugar, emprestar, construir etc.

*** Logística – como vai hospedar, transportar e alimentar o RH e como irá transportar e distribuir os RM.

*** Recursos Financeiros – quanto e de onde virá o dinheiro para esse investimento.

*** Plano de Comunicação – a comunicação deve ser funcional para os Stakeholders. Todos devem saber de suas funções e responsabilidades além do andamento do projeto. Isso é fundamental para o sucesso.

*** Pensar e criar um eficaz sistema de conferência, de monitoramento.

8 – Escrever o CRONOGRAMA (cronos = tempo) – definir quando e como cada ítem será realizado e quem será a pessoa responsável por ele.

9 – Ler e reler para ver se ainda falta algo e se tudo tem coerência.

10 – Avaliar riscos e se for necessário acrescentar despesas e necessidades para um plano B, C ou D.

E é isso. Observar ítens antes de escrever o projeto e antes de executar evita muitos problemas. Os detalhes são importantes, não os perca de vista.

Gostou? Curta, comente e compartilhe. Siga esse blog. QUERO TE ENVIAR SEMPRE INFORMAÇÕES EXCLUSIVAS SOBRE PROJETOS, EVENTOS E MUITO MAIS e isso eu só compartilho com quem é VIP. Para isso faça aqui sua inscrição para participar também.  🙂

O QUE PROJETOS CULTURAIS TEM A VER COM UMA RECEITA DE BOLO???

@PROJETOSEstamos numa época em que se fala tanto de culinária e temos tantas receitas  programas de TV, publicações, canais no youtube e mais sobre o assunto.

Escrever projetos É COMO CRIAR UMA RECEITA DE BOLO. Há muito tempo falo para meus alunos que escrever um projeto é como criar uma receita qualquer, como uma receita de bolo por exemplo. Tem que ter começo, meio e fim. Tem que ter ingredientes e modo de fazer. É um passo a passo para executar o projeto, do bolo. E em projetos culturais, sociais e outros o conceito é o mesmo.

O que é a receita = do que se trata o projeto, porque quis fazê-lo, porque ele é importante, o que pretende com ele.

Ingredientes: quais os recursos humanos, quais os recursos materiais, qual estrutura, qual logístia seu projeto irá precisar. No caso dos nosso projetos, cada um deles com seu orçamento especificado.

Mise en place: Etapa inicial para o preparo de qualquer prato, na qual separam-se todos os utensílios e ingredientes necessários para executá-lo. Antes de iniciar a execução de um projeto temos que ler, levantar as informações necessária, contratar as pessoas, locais etc. Marilia_e_Roberto-820

Modo de fazer: A receita x ingredientes x  tempo = cronogramas de execução variados.

Como servir: decoração, divulgação, custos para o público, distribuição etc.

A brincadeira e a alusão à receitas é para também mostrar que não é nenhum bicho de sete cabeças escrever e executar um projeto.

Gostou? Curta e comente. Siga nosso blog. E principalmente compartilhe se achar que pode ser útil para seus amigos e colegas. Informação tem que circular.

“REDE COLABORATIVA DE PRODUÇÃO” – A NOVIDADE QUE VAI LIGAR OS PONTOS DA PRODUÇÃO CULTURAL NO BRASIL

@O Brasil é um país com proporções gigantescas e as dificuldades, quando o objetivo é trabalhar com distribuição de algum produto ou serviço em todas as regiões, são também gigantes. Imagine então o quanto é difícil para os profissionais da área da cultura conseguir este feito.

Até mesmo as grandes produções encontram dificuldades. E para completar, ainda temos o “custo Brasil” que assusta o bolso do empreendedor.

Acontece que o artista, o oficineiro, o fazedor de cultura quer levar sua arte, seu recado para todo canto.  Tem um CD e quer lançar, tem um livro e quer mostrar, tem espetáculos artísticos e quer se apresentar tem seus cursos e quer ensinar. E quer fazer tudo isso em todo o Brasil, nas principais capitais, em todas as regiões.

É praticamente impossível, um único produtor cultural, dominar todo conhecimento e ter tanta informação perecível, que necessita de atualização constante, sobre locais, contatos, serviços e outros itens do check list de uma produção.

Entendendo essa dificuldade é que surgiu a ideia de “ligar os pontos” desses contatos e informações de alguma forma.

O TOQUE

Tudo começou com o Jornal O Toque, publicação que circulou impressa e também on line entre 2002 a 2004  (faremos uma matéria sobre o Jornal O Toque, a equipe de criadores etc.). No site do jornal seria colocado informações importantes como produtores, locais, gráficas, jornais, rádios etc. de todo o Brasil. Era um banco de dados onde a pessoa poderia entrar e alimentar esta informação. Depois todos poderiam pesquisar e ver o resultado para cada item que precisasse. O jornal deu certo. Mas o sistema de informações de produção nunca deu certo, pois, ninguém alimentava. Não queriam partilhar informação. E após anos de pesquisa, tentativas e adaptação e experimentações da ideia, surge um projeto, já em andamento, que chama REDE COLABORATIVA DE PRODUÇÃO.

Janaina Leite e eu - o café de Istabul, que não é coado

Marília de Lima e Janaina Leite – sócias na Lima Projetos e Eventos.

Este projeto da RedeCP, é produzido e coordenado por Janaina Leite e Marília de Lima, sócias na Lima Projetos e Eventos. O projeto é criar uma ferramenta facilitadora do trabalho do produtor cultural e de eventos na área cultural. O trabalho será realizado no formato crowdsourcing onde todos ajudarão a construir as etapas e o conteúdo. O formato de “rede” fará o sistema de manutenção das informações acontecer de forma diferente, hibrida, pró ativa e que vai gerar inúmeros benefícios para os participantes.

A intenção é fortalecer a rede em todo o Brasil. Construir parcerias para informações rápidas e confiáveis sobre todas as etapas de uma produção. Organizar e partilhar informações confiáveis possam ser obtidas rápida e continuamente sobre: editais, leis, locais para eventos, gráficas, serviços variados, hotéis, transporte, profissionais, contatos com o governo, jornalistas, rádios e imprensa em geral etc.

Mas o principal objetivo é criar circuitos de cultura onde os produtores trabalhem em conjunto para viabilizar tournés nas mais variadas regiões do Brasil. Eventos como lançamentos de CDs, espetáculos de teatro, exposições,lançamento de livros, cursos e palestras etc. Diminuindo custos, aumentando a visibilidade e distribuição, gerando trabalho para os profissionais locais e fomentando o mercado cultural em todo o país.

Haverá a construção de conexões que beneficiarão a todos os participante a partir de um evento anual onde os produtores, managers e artistas possam levar seu trabalho, suas propostas e negociar as apresentações durante o próximo ano. Será como uma grande feira para gerar oportunidades e negócios para toda a cadeia produtiva da cultura.

O projeto está ainda sendo elaborado E VOCÊ PODE PARTICIPAR DESTA CONSTRUÇÃO.  Em outubro de 2015 acontecerá em São Paulo o 1° Encontro da REDE COLABORATIVA DE PRODUÇÃO. O evento será presencial e online para que o maior número possível de profissionais da cultura, em todo o país, possam participar.

Este projeto já conta com apoio de diversos profissionais e entidades.  Mande agora sua opinião, sugestão e intenção de participar ou de ser nosso parceiro. O email limaprojetoseventos@gmail.com – aos cuidados de Janaina LeiteMarília de Lima.

Na próxima edição falaremos um pouco mais do andamento desse projeto.

Gostou? Curta e comente. Aproveite e compartilhe para construirmos de verdade uma REDE COLABORATIVA DE PRODUÇÃO.

 

VOCÊ É ARTISTA? QUE LEGAL!!!! MAS TRABALHA COM O QUÊ?

@ENTREVISTASFoi no ano de 1886 que se realizou a primeira manifestação de trabalhadores, foi em Chicago nos Estados Unidos. Três anos depois, na França foi feito também um movimento, inspirado no de Chicago e aí definido que todo dia 1º de Maio seria comemorado o dia do trabalhador. Na época o objetivo era a redução da jornada de trabalho para oito horas por dia. Atualmente as discussões são as mais variadas e o evento acontece em centenas de lugares pelo mundo sendo em muitos lugares feriado.

Na área da Cultura temos centenas de profissionais que ainda hoje lutam pelo reconhecimento da profissão e pelo respeito da mesma. Infelizmente ainda é comum ouvir a frase “Que bacana, você é artista. Mas você trabalha com o que?”. Ou comentário do tipo que você só é sucesso se aparece na TV ou toca no Rádio, ou ainda sai nas revistas de fofoca.

O artista da área musical, teatro, dança, cinema, literatura ou qualquer outra área, quase todos, sofrem com esse preconceito. Vai ao banco abrir conta e não consta lá a sua profissão. A maioria das profissões da área são consideradas “hobby”, diversão. Além disso até o produtor cultural (ou de eventos) sofre preconceito na área (veja matéria do dia 05/05/2015).

Temos um longo caminho mas não estamos parados. Seguimos  fortes sempre em frente e colhendo bons resultados. Há um grande trabalho a ser feito de conscientização mas estamos pouco a pouco, e com a ajuda da Economia Criativa, mostrando que é sim profissão, exige respeito e gera muitos dividendos na nossa economia.

E por isso trouxe pra vocês um bate bola rápido com 10 perguntas com alguns profissionais da área. Quem são, como é o trabalho e o que pensam. Boa leitura.

Aqui com vocês a Sueli Vargas, Raquel Naveira, Rose Meusburger, Sonekka e Ricardo Brito.

***foto perfil sueliRaquel NaveiraRose Meusburger7142e39bb8ea58711c8a335e0edbf53d_MWB9403

***

***

1 ) Qual seu nome, profissão/trabalho, cidade e a quanto tempo trabalha na área?

SUELI VARGAS – cantora, natural de Araraquara mas mora em São Paulo há 10 anos.Trabalho há 35 anos nesta profissão.

RAQUEL NAVEIRA – escritora sul-mato-grossense , professora com formação em Direito e Letras, Mestrado em Comunicação e Letras. Desde criança amei o livro, as cantigas, o teatro. A minha vocação, o chamado, veio da infância. Uma espécie de ser e estar no mundo através da Palavra.

ROSE MEUSBURGER – gestora cultural, Poá, SP – mais de 15 anos na área sociocultural.

SONEKKA – Osmar Ricardo Lazarini. Compositor já faz uns 20 anos.

RICARDO BRITO – compositor, letrista, produtor, radialista e agora cineasta. Editei meu primeiro filme, um documentário sobre a vida e obra de Lucia Coelho. (Rio de Janeiro)

foto perfil sueli

SUELI VARGAS

2) Fale um pouco do seu trabalho….

SUELI VARGAS – Hoje desenvolvo trabalhos na área como:Trovadores Urbanos, grupo de samba de raiz, trio de fados e amigasdosamba.com

RAQUEL NAVEIRA – Literatura e Magistério sempre andaram juntos em minha vida. É como o processo de ler e escrever. A professora alimenta a escritora com seus estudos e dedicação aos livros e a escritora dá ânimo, força e paixão às lições da professora.

ROSE MEUSBURGER Resumir 15 anos em poucas linhas é meio complicado. Mas a Gaia Brasil, Gestão Cultural e Economia Criativa não nasceu para trabalhar com cultura. A ideia era levar Educação Ambiental usando como ferramenta a cultura. Mas o trabalho na área foi nos mostrando demandas. As demandas por capacitação e gestão no segmento cultural são tão fortes que não pudemos ficar parados. Desde 2003 realizamos a Oficina de Elaboração de Projetos para agentes sociais e culturais. Levamos para a cultura e o terceiro setor a nossa competência em administração. Viemos do mundo corporativo onde sem planejamento nada acontece. O mesmo não se dá na cultura – infelizmente. Esse é um trabalho muito gratificante porque vez encontramos com ex-alunos que estão dando certo, ou conseguiram melhores resultados depois de ter passado por nossas atividades. Além disso a GB colabora com artistas e associações na assessoria para elaboração de projetos, enquadramento em leis de incentivo, produção para produtos culturais, administração de projetos e prestação de contas. De todas as etapas a única que não executamos é a captação de recursos. Não conseguimos dar conta de tudo! Agora em 2015 devemos ampliar a nossa atuação com um curso mais completo em Gestão Social e Cultural. Acho que assim vamos atender melhor as demandas que detectamos nesses anos todos.

SONEKKA – Primeiro eu compunha por paixão, gravei algumas canções e fui ficando mais exigente com o que eu fazia. A distância entre a arte que eu fazia e a que eu gostaria de fazer era muito grande e fui me aperfeiçoando, gravando outras coisas, fazendo muitos parceiros, principalmente entre o pessoal do Clube Caiubi.

RICARDO BRITO – Amo escrever, expor meus sentimentos e pensamentos sobre as emoções através da palavra. Considero que a emoção é o que conduz a vida. Na minha opinião, a verdadeira história da humanidade é contada através da história das artes. A produção completa a obra, faz ela virar realidade e se transformar em “negócio”. Tento fazer com que minha experiência em Marketing me ajude neste processo. Apesar do dito popular  “Santo de casa não faz milagre”.

3) Você acha que trabalhar na sua área é um bom negócio? Porque? Indicaria para outros?

SUELI VARGAS – falando de cultura como politica é difícil estar na área.Mas quando se trabalha  com que gosta é  sempre um bom negocio. Indicaria a todos que tenha talento e tenha determinação.

RAQUEL NAVEIRA

RAQUEL NAVEIRA

RAQUEL NAVEIRA – É bom negócio dar sentido e rumo à nossa existência. Ter um foco, uma companhia que não nos abandona, descobrir uma arte e criar. Indicaria àqueles que descobrem que não podem viver sem escrever.

ROSE MEUSBURGER – A Economia Criativa movimenta uma parcela significativa da sociedade no mundo inteiro. Conforme o Plano Nacional de Cultural é meta medir o PIB da Cultura – Produto Interno Bruto (PIB) é a soma de tudo o que é produzido durante o ano em um país, estado, cidade ou região e é usado para medir o crescimento econômico – O rendimento das atividades culturais também entra na soma do PIB, embora não seja fácil medi-lo. Isso porque, embora o setor cultural tenha suas áreas formais (produção de livros e comercialização de discos, por exemplo), também abrange segmentos informais e artesanais, tais como a produção das rendeiras do Nordeste do país. Há um crescimento do segmento cultural em relação ao PIB Nacional. Portanto é claro que a área é um bom negócio. O grande problema é que mesmo quem faz cultura não entende o “seu fazer” como um “negócio”. Data da atualização: 30/12/2013 – Fonte: Federação das Indústrias do Rio (FIRJAN)

SONEKKA – Não é. É um péssimo negócio. É uma parte menos remunerada e valorizada de toda a cadeia produtiva. Eu só indicaria para quem gostaria de tê-la como hobby e quisesse arriscar a sorte de se dar bem financeiramente com ela.

RICARDO BRITO – É um trabalho para quem tem talento e vocação, ou no mínimo a vocação. Nenhuma pessoa normal entra nesta área apenas pelo negócio. Indico sempre que cada um escolha trabalhar com o que ama, pois em todas as profissões tem muitas dificuldades. A força para seguir em frente é maior quando se ama o que faz.

4) Qual formação é necessária? Qual sua visão sobre a cultura, as artes e a economia criativa no Brasil? O que tem de bom e o que tem de ruim?

SUELI VARGAS – aulas de canto, ouvir muita música boa, ter domínio de pelo menos um instrumento, além da voz, é claro.

RAQUEL NAVEIRA – Minha formação é humanista. Muita leitura. Minha preferência são os clássicos gregos e latinos; as poesias brasileira, portuguesa e francesa; a filosofia; as artes plásticas como fonte de inspiração e diálogo com a Literatura. Creio no poder transformador da Arte, na força do Novo, no diálogo com a tradição e na visão do futuro. O que há de mais instigante no momento são: a utilização de plataformas e mídias; o poder da imagética visual; os fenômenos sociais de fragmentação de públicos voltados para temas e releituras surpreendentes e inesperadas.

ROSE MEUSBURGER

ROSE MEUSBURGER

ROSE MEUSBURGER – De certa forma e complementando o que disse acima os setores da Economia Criativa no Brasil (artes em geral, patrimônio material e imaterial, tecnologia da informação, design, arquitetura, moda, artesanato) tem a necessidade de se profissionalizar pelo ponto de vista administrativo e financeiro. Cada setor tem que ser pensado com um negócio, uma empresa. Nesse sentido além das capacitações específicas de “cada fazer” é necessário que o gestor entenda minimamente de administrar o “seu negócio criativo”. Entender de como montar uma empresa e porque ser “dono” de uma empresa, como administrar o produto cultural que eu tenho (livro, música, espetáculo, obra de arte, ideia, sonho, etc) é fundamental para que se sobreviva e se sustente o fazer criativo.

SONEKKA – Ela se divide entre melodia e letra, são expertises diferentes. Para ambas é necessário excepcional criatividade e percepção musical, métrica apurada, muita leitura, conhecimento farto de figuras de linguagem, poesia literatura, construção melódica.

Economia criativa para mim é um bicho de 7 cabeças,  sai da esfera do talento e pré disposição artística e envereda pelo caminho técnico de transformar qualquer manifestação em dinheiro. Isso é bom e é ruim. Se por um lado é um ótimo canal para escoamento de arte, por outro é muito técnico para ser gerido pelos próprios artistas. Mas o pior de tudo é a extrema burocracia, que faz com que o acesso ao financiamento da arte seja acessível apenas à empresas. A dificuldade de lidar com isto e a falta de canais naturais pra veicular minha obra me fez desistir de ser artista e virar apenas um compositor hobbista.

RICARDO BRITO – Para escrever é importante conhecer razoavelmente a língua que vai usar, no nosso caso o português. Conhecer música, sua estrutura, formação dos compassos e harmonia. Entendendo melhor o processo facilita.

No Brasil, as manifestações culturais são riquíssimas, em cada parte do País existe um estilo próprio, original e diferenciado. Uma pena que a indústria que inicialmente serviu à ditadura, depois passou a servir ao capital e interesses multinacionais. Mas nossa cultura resistiu e a cada dia cada um na sua vai encontrando o seu espaço. É muito ruim a falta de uma política cultural neste País.

05) Se você fosse presidente do Brasil qual ação executaria imediatamente para a sua área de trabalho?

SUELI VARGAS – não tenho ações, mas consigo ver as oportunidades.

RAQUEL NAVEIRA – Ações voltadas para a educação, para a base, para a alfabetização, para a fomentação da leitura. Valorização do Magistério. Construção de escolas com ambientes para o livro, o esporte, o lazer, o teatro, o cinema, enfim, a integração da escola com a comunidade em que ela está inserida.

ROSE MEUSBURGER – Adequar todas as empresas da economia criativa possibilitando acesso ao SIMPLES NACIONAL. Capacitar os gestores nessas empresas para entenderem a importância dessa formalização tanto para o seu próprio negócio como para o país.

SONEKKA

SONEKKA

SONEKKA – Vou me reter à meu lado compositor: reconheceria o autor como profissional e lhe garantiria o percentual justo pelo seu trabalho. Na atual cadeia produtiva, o compositor é o menos lembrado e o menos remunerado. Totalmente injusto.

RICARDO BRITO – Acabaria com as leis de incentivo para as empresas públicas. Determinaria que um determinado percentual do lucro seria repassado para o governo que administraria o orçamento para implantar efetivamente uma política cultural para todo o Brasil.

6) Você já fez, captou ou gerenciou algum projeto? Seu ou de outros? como foi?

SUELI VARGAS – até tentei mas não consegui captar, foi na lei de incentivo via ICMS.

RAQUEL NAVEIRA – Sim. Entre eles ressalto o projeto “Fiandeiras do Pantanal”: poemas meus e voz e craviola de Tetê Espíndola. Um CD lindo que levamos ao palco e que depois foi largamente utilizado pelos professores e alunos das escolas de Mato Grosso do Sul.

ROSE MEUSBURGER – Esta é uma pergunta complexa. Não captei recursos para projetos porque esta não é a nossa praia! Mas gerenciei e gerencio projetos / produtos culturais meus e de outros. A experiência é interessante e tem várias frentes. Uma das frentes é quando você é o “dono” do projeto e pode articular e decidir – quase que sozinho – que rumos o projeto vai tomar. Numa outra frente quando você executa isso para outro “dono” de projeto fica amarrado às decisões dele. E muitas vezes a decisão desse proponente não é a mais acertada pelo ponto de vista administrativo, financeiro e pode até causar problemas na prestação de contas. Quando o proponente que contratou você para gerenciar o projeto dele entende suas observações e conselhos acatando o que é legalmente aceito tudo flui e acontece de forma a não causar muitos problemas. Mas isso nem sempre acontece. Muitas vezes estamos sujeitos ao ego ou à certeza (não muito certa) do artista “dono” do projeto. Aí os problemas acontecem e nem sempre temos como interceder para resolver tais ingerências.

SONEKKA – Se vale crowdfunding já. Nos PROAC, ROUANET e outros eu já tentei mas não fui contemplado. Na Rouanet não tive como captar.
O crowdfunding foi do clube Caiubi para a festa de 10 anos, funcionou bem como pre-venda, já gerir e divulgar o projeto foi um tormento.
Proac é um funil muito estreito e Rouanet tem rejeição fiscal nas empresas, fica relegada a quem já é um sucesso.

RICARDO BRITO

RICARDO BRITO

RICARDO BRITO – Sim, vários, todos projetos meus. O Projeto de Teatro Jovem, patrocinado pela Coca-Cola foi o maior. Com a falta de política cultural no País, quando a iniciativa privada cria projetos onde cumpre uma função do estado, é melhor sucedida. Seria muito bom que as empresas também realizassem promoções nos diversos segmentos culturais, mas nunca substituindo o Estado.

7) Qual a importância em se escrever um bom projeto?

SUELI VARGAS – uma boa justificativa já é uma boa chance do seu projeto ser aceito. Mas  nem sempre se sabe os critérios de avaliação dos projetos.

RAQUEL NAVEIRA – Quando escrevemos nossas idéias no papel, elas tomam forma, ganham corpo, possibilidade de criar o real. O projeto bem escrito é metade do caminho para a realização da ação. É atitude. Coragem. Fé. Quero firmar projetos e parcerias como com você, Marília. Como escreveu Fernando Pessoa: “Deus quer, o homem sonha, a obra nasce.”

ROSE MEUSBURGER – Pense em uma ponte que tem que ligar duas estradas. Ambas as estradas estão prontas. A estrada artistas e a estrada apoiador (patrocinador, lei de incentivo ou outro qualquer). Se a ponte que deve ligar as duas estradas não foi executada sob certas condições legais e de materiais adequados ela pode ruir assim que o primeiro carro tentar atravessar de um lado para o outro. O projeto é a base da construção dessa ponte. Sem ele não se liga nada a nada. E ele tem que obedecer certos quesitos, leis, orçamentos idôneos e além de tudo estar muito bem escrito. São os argumentos usados na descrição do projeto que vão convencer os responsáveis das duas estradas a finalizar a ligação.

SONEKKA – Várias facetas, uma delas é nortear a própria obra, aumentar as chances de veiculação, mas já vi muita arte ruim disfarçada de bom projeto e captou os fundos necessários, virou arte ruim bem patrocinada.

RICARDO BRITO – Quanto mais claro o planejamento, mais facilidade se tem para a realização.

8) Qual a importância de uma boa produção?

SUELI VARGAS – Uma produção sempre me deixa tranquila,confortável para poder executar melhor o meu trabalho.

RAQUEL NAVEIRA – Produção é base, é pesquisa, é projeto. É a organização das idéias. São os passos para realizar aquilo que é idealizado.

ROSE MEUSBURGER – A ponte está pronta. Feita a ligação entre as duas estradas. Ambos os lados esperam que o fluxo de automóveis (produção) seja feito de maneira segura, sem problemas, devidamente sinalizado e que todos os “passantes” consigam chegar a seus destinos. Mesmo com a ponte bem construída se os administradores dela não a usarem de maneira adequada, e cumprindo tudo do que foi pré-determinado em orçamentos e propostas, todo o trabalho de convencimento executado com um bom projeto escrito é colocado em risco. Qualidade, pontualidade, fornecedores adequados, produtos finais entregues, todos esses quesitos são levados em consideração numa prestação de contas. Você pode fazer uma única ponte e parar por aí se não for competente o suficiente para que o trânsito seja seguro para todos os envolvidos.

SONEKKA – Vital para que o artista execute apenas o que sabe, sem ter que se improvisar em outras funções

RICARDO BRITO – Boas ideias só são boas quando bem realizadas.

9) Um conselho ou uma dica para nossos leitores que buscam informações sobre essa área:

SUELI VARGAS –  hoje em dia os acessos para qualquer informação, sobre musica, show e lazer é fácil só vale ficar ligado e ir atrás do que te satisfaz, fazer e ouvir.

RAQUEL NAVEIRA – O processo é sempre ler e escrever, um alimenta o outro. Pautar toda a vida de acordo com essa vocação. Persistência.

ROSE MEUSBURGER – Infelizmente o Planejamento não está no DNA do brasileiro. Mas dá para mudar isso! Gestão, gestão, gestão. Essa é a chave para o sucesso de qualquer empreitada em qualquer segmento.

SONEKKA – Sejam sinceros consigo mesmos tanto ao fazer canção, quanto ao ouvir. O que é bom, é bom independente do gosto pessoal. Apure a percepção, mesmo que seja através, mas em primeiro lugar sejam críticos com a própria obra. Outra coisa, obra é obra, artista é artista, pessoa é pessoa,  aprenda a separar as coisas. Não é porque você não gosta de alguém que ele não pode ser bom artista e vice-versa.

RICARDO BRITO – Conselhos bons são os vendidos….rsrsrs…brincadeiras à parte, escolha para fazer algo que você não consiga viver sem. Dedique-se e se informe, procure seus pares e acompanhe o máximo que puder do que é realizado na sua área.

“Não tente reinventar a roda ignorando-a. Pode reinventar, mas a partir dela. Conheça a roda existente e invente uma nova, se puder.” (Ricardo Brito)

10) Deixe seus contatos/ links/ mídias sociais etc.

SUELI VARGAS

suelivargasvoz@gmail.com – Facebok:  Sueli Vargas – Tel 992691896

www.youtube.com/watch?v=mPPWd27HFYU

www.youtube.com/watch?v=2nmiP6kd_hM

www.youtube.com/watch?v=3ixbgE3Sq2Y

https://www.youtube.com/watch?v=KyO7LWU-YBM

RAQUEL NAVEIRA

http://www.raquelnaveira.com.br

http://www.editoraalvorada.com.br

http://www.topvitrine.com.br/autor/raquel-naveira

raquelnaveira@gmail.com

ROSE MEUSBURGER

rosemeusburger@gaiabrasil.com.br

Facebook – Rose Meusburger / Gaia Brasil

Rede de Economia Criativa

www.gaiabrasil.com.brwww.recbrasil.com.br

SONEKKA

Sonekka@sonekka.com.br
facebook.com/sonekka

RICARDO BRITO

britoprod@gmail.com

http://www.dicionariompb.com.br/ricardo-brito

www.myspace.com/ricardobritocompositor

www.encontrosrb.blogspot.com

APROVEITE SEU BOM HUMOR DE SEXTA E PROGRAME A PRÓXIMA SEMANA

@AGENDASEMANALSexta-feira para muitas pessoas é o dia mais feliz da semana de trabalho, pois o final de semana também chegou junto. E é aproveitando esse bom humor que vou apresentar pra vocês, toda sexta uma série de dicas de eventos, editais que estão abertos, palestras, cursos e outras atividades que pode ser interessante você participar na próxima semana. Assim faz a sua programação.  Seu dia passa mais rápido e começa sua segunda-feira com muita coisa interessante agendada e muitas idéias na cabeça.

Semana de 02 a 12 de maio

Meninas e meninos vou começar com um edital que termina no dia 04, então, se você for artista em Manaus ou região e quiser participar segunda é o último dia. Mas, pode ser que façam uma prorrogação. Às vezes, por sorte, isso acontece. Também vale lembrar que cito a cidade ou estado porque a maioria dos editais exige comprovação de que more na cidade ou estado do edital e comprovem não só experiência na área, mas que tenha mais de dois anos comprovados de que reside por lá.

MANAUS/ AM – Edital de Conexões Culturais da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), a Prefeitura de Manaus – R$ 560 mil – propostas de residências e intercâmbios artísticos e também projetos para formação de artistas em Manaus, que incluem a realização de eventos de caráter educativo, pedagógico e de pesquisa das artes cênicas. Ao todo serão 19 propostas contempladas com prêmios que variam de R$ 10 mil a R$ 60 mil. As inscrições vão até segunda-feira, 4 de maio, às 17h.

AMAZONAS – A economia criativa é mesmo a bola da vez. O governo do Amazonas, seguindo o exemplo de Santa Catarina, via Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), lança a primeira edição do programa Sinapse da Inovação. Os interessados devem inscrever os projetos até 11 de junho pelo site www.am.sinapsedainovacao.com.br. Pelo edital, os selecionados receberão capacitações durante seis meses para desenvolver a empresa ou produto inovador.

CURITIBA/ PR – Vou começar com o edital de cultura de Curitiba. Olha que legal a novidade deles: agora no edital também tem games. É a economia criativa tomando conta do seu pedaço – O edital está disponível no site da http://www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br/  – mais dúvidas através do e-mail paicatendimento@fcc.curitiba.pr.gov.br – As inscrições para o programa no Mecenato 2015 já estão abertas e serão aceitas até o dia 18 de maio.

PORTO VELHO/RO –edital para a produção de seis curtas-metragens- Será disponibilizado R$ 300 mil para a produção. Com o apoio da Ancine a Fundação Municipal de Cultura (Funcultural), segundo a prefeitura de Porto Velho será lançado até o final de maio. Estaremos de olho.

DOURADOS/ MSEdital disponibiliza R$ 195 mil para investimento em projetos artísticos e culturais – Projetos nas áreas de Artes Cênicas, Artes Visuais, Áudio Visual, Artesanato, Folclore e Manifestações Culturais, Literatura e Música. Critérios: Excelência artística do projeto, Qualificação dos profissionais envolvidos, Viabilidade prática do projeto, Planejamento do projeto através do cronograma proposto, Estratégia de comunicação, divulgação e formação de público, Conformidade com os objetivos do edital e Análise da relevância cultural do projeto proposto. Os projetos deverão oferecer contrapartidas sociais. – Inscrições 2015 até dia 25 de maio. Os formulários-padrão para inscrição podem ser obtidos pelo email cultura@dourados.ms.gov.br, pelo site da prefeitura www.dourados.ms.gov.br

AMPARO/ SP – até o dia 08 de maio pessoas físicas e jurídicas podem apresentar projetos para o Programa de Amparo a Cultura, da Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Cultura de Amparo – SMELC. Podem participar projetos que contemplem produções culturais das diferentes manifestações artísticas, no âmbito do município; Será destinado 38.000,00 a ser dividido entre os projetos contemplados (mínimo de três projetos). Deverá haver uma contrapartida de mínimo de 20 horas de oficina com participação de no mínimo 20 pessoas. O edital pode ser visto no site: www.amparo.sp.gov.br.

ITU/ SP E REGIÃO – Até 17 de maio, o SESI Itu recebe inscrições para o Edital Local de Chamamento 2015 – Projetos Culturais. Serão selecionadas propostas nas áreas de Música e Artes Cênicas (teatro, teatro-dança, dança circo-teatro, performances e teatro de bonecos e formas animadas). Os trabalhos selecionados integrarão a programação cultural 2015 do SESI Itu. O edital completo e a ficha de inscrição estão disponíveis em http://www.sesisp.org.br/itu.

POÇOS DE CALDAS / MG – Até 30 de junho data da chegada do material na secretaria do evento você pode mandar seu filme para o Festcine Poços de Caldas. O evento acontece no mês de julho.  Veja o edital e contato no: http://www.festcinepocosdecaldas.com.br

RIO DE JANEIRO/ RJ – Até dia 29 de maio os trabalhadores da Cultura da cidade do Rio de Janeiro poderão participar do Edital Viva a Arte. Mais informações no http://www.rio.rj.gov.br/web/smc/exibeconteudo?id=5292989

BELO HORIZONTE / MG – Estão abertas as inscrições para o 17º FESTCURTASBH (Festival Internacional de Curtas de Belo Horizonte) inscrições até 5 de junho. As inscrições podem ser feitas através do site www.shortfilmdepot.com

GOIANIA / GO – Festival Audiovisual Vera Cruz, o FAVERA, com foco em curtas-metragens produzidos nas periferias, vai além da produção Goiana. Inscrições abertas até 9 de maio. As exibições ocorrem entre os dias 24 e 27 de maio, em Goiânia. Regulamento – http://enoiskitaproducoes.wix.com/favera2015#!films/cwzt

BRASIL – REGULAMENTO 2015 – ROSÁRIO EM CENA FESTIVAL INTERNACIONAL DE TEATRO aberto a todos os grupos de teatro do Brasil e países vizinhos. Inscrições até 20 de julho. Contatos Rosário do Sul – RS CEP 97590-000 Rua 9 de Abril nº 527 – Bairro João Nunes da Silva – E-mail: pauloevandro.pereiradacosta@gmail.com FACE – FESTIVAL DE TEATRO ROSÁRIO EM CENA Blog – rosarioemcena.blogspot.com

BRASIL – 72ª edição do Festival Internacional de Cinema de Veneza, na Itália – Inscrições até 19 de junho – Veja o regulamento no http://www.labiennale.org/en/cinema/regulations/

BRASIL – Estão abertas, até o dia 15 de maio, as inscrições do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade – 28ª Edição 2015 para ações de preservação do patrimônio cultural brasileiro. Acesse o regulamento no link http://www.iphan.gov.br/baixaFcdAnexo.do?id=4996

 AMÉRICA LATINA – Até 31 de agosto você pode apresentar propostas para os editais do www.ibermusicas.org. (se não souber espanhol use o tradutor do navegador)

AMERICA LATINA – até 08 de maio os designers de plantão podem enviar proposta para criar a identidade visual do Ibercultura Viva. Saiba mais no http://www.oei.org.br/pdf/licitacoes/2015/edital_contratacao_direta_n_001-2015_oei_iberculturaViva.pdf

Bem, estes são os editais que chegaram por aqui. Se tiver mais algum eu publico durante a semana na Fanpage do Facebook e/ou divulgo no Twitter tá?

CURSOS, PALESTRAS E EVENTOS QUE TALVEZ TE INTERESSE

**A Funarte tem sempre uma programação interessante. Muita coisa gratuita ou ingressos bem populares. Na semana que vem sei que tem um espetáculo de teatro “Quizumba”, em São Paulo, que está bem cotado e foi vencedor do fomento de teatro de SP. Também tem programação de artes plásticas com oficinas gratuitas. Veja mais no WWW.funarte.gov.br

**Bem, nem preciso falar que as programações do SESC são sempre boas e que em sua maioria é gratuita ou com um preço bem acessível. Vai lá e veja mais no WWW.sesc.org.br

@@** E por falar em SESC –  imperdível também está os shows da Rita Benneditto do novo CD novo e fazendo shows por todo o Brasil. Esta semana 7 e 8 no Sesc Vila Mariana em SP e no fim do mês lá na terra dela, no Maranhão.

**Uma programação boa em São Paulo e que a qualquer momento pode ser um bom programa são as dezenas de galerias de arte da Vila Madalena. São galerias descoladas, com novos artistas, propostas bem interessantes lembrando muito as galerias em Nova York. Além de passear pelas galerias sempre tem um bom restaurante ou mesmo lugar gostoso para fazer uma boquinha.

**Olha aí mais da Economia Criativa: As ETECs (Escolas Técnicas Estaduais) em São Paulo terão em breve aulas de moda, on line, com o auxilio do SPFW.

**Dia 23 de maio no Parque do Ibirapuera, também em SP, terá o show em comemoração aos 70 anos da Elis. João Bosco, Fagner, Renato Teixeira, Jair Oliveira, Gilberto Gil e Ivan Lins estarão por lá. Evento será concorrido. Ponha já na agenda.

** para os fotógrafos de plantão acontece em São Paulo De 28 a 30 de maio, o Museu da Imagem e do Som – MIS SP recebe a quarta edição do Encontro Pensamento e Reflexão na Fotografia, produzido pelo Estúdio Madalena junto à Secretaria da Cultura de SP. Serão três dias de workshops, seminários e apresentações de trabalhos teóricos sobre fotografia selecionados através de uma convocatória aberta ao público. O tema deste ano é: Editar, montar, compor: a coexistência das imagens.
http://estudiomadalena.com.br/encontro/a-coexistencia-das-imagens

**Uma ótima opção para quinta dia 07 de maio é o ZIL – grupo formado por Zé Renato, Claudio Nucci, Ricardo Silveira, João Baptista, Zé Nogueira, Marcos Ariel e Jurim Moreira. A apresentação acontece a partir das 20 horas no Miranda, na Borges de Medeiros, 1424.

@criativo4** A partir do dia 09 de maio, em SP, Rita Balduino apresenta sua Exposição “Sombrio Universo da Luz”. A exposição acontece no espaço cultural da Papel de Gente, na Rua Fabrício Vampré, 259 bem pertinho do metrô Ana Rosa.

** A Universidade Candido Mendes no Rio de Janeiro está lançando uma pós graduação latu sensu de Produção Cultural. Já é agora em maio. Os interessados podem fazer contato no 21-3543-6489 – pecs@candidomendes.edu.br

Hoje é o dia internacional do trabalho. Feriado. Aproveitem o dia. E vamos nos unir para voltarmos a acreditar no trabalhador que pode mudar o mundo O PROFESSOR.

@criativo3

Por hoje é só, mas se tiver uma novidade conto depois. Se você tiver informação que acha interessante, agenda, dicas, sugestões manda pra mim no mariliadelima@gmail.com

Zé Guilherme canta Orlando Silva e te convida a participar deste projeto

ZG_108O cantor Zé Guilherme está com projeto musical novo. Em breve o artista cearense, radicado em São Paulo, estará no mercado com o  terceiro CD da carreira. Trata-se de uma obra em homenagem ao grande Orlando Silva, um dos mais significativos intérpretes da música popular brasileira que comemora este ano seu centenário. Zé Guilherme promete uma releitura delicada e pessoal do repertório do Cantor das Multidões, apresentando-o de forma autêntica e contemporânea nesta justa e merecida reverência.

Através de um pré-lançamento exclusivo junto à Kickante, você pode adquirir esta homenagem antes de todos!  Participe e seja parte deste projeto.

Zé Guilherme apresenta 18 canções que foram selecionadas em um longo processo pessoal de pesquisa sobre a história e o repertorio de Orlando Silva.

A produção musical do disco está sob responsabilidade do músico, arranjador e produtor musical Cezinha Oliveira, que inseriu elementos clássicos nos arranjos, como piano, baixo acústico, acordeon, trombone e violão de sete cordas, para dar requinte à sonoridade das músicas, sem cair no saudosismo. Abre a Janela foi concebido com base no tripé interpretação, arranjos e composições, e mostra que a chamada “música antiga” do Brasil pode se manter clássica em sua origem, popular em sua apresentação e sofisticada em sua concepção.

O repertório de Abre a Janela – Zé Guilherme Canta Orlando Silva é formado pelas seguintes canções:

“Alegria” (Assis Valente e Durval Maia) – 1937

“Abre a Janela” (Roberto Roberti e Arlindo Marques Jr.) – 1938

“Cidade Brinquedo” (Silvino Neto e Plínio Bretas) – 1939

“Malmequer” (Newton Teixeira e Cristovão de Alencar) – 1940

“A Jardineira” (Benedito Lacerda e Humberto Porto) – 1938

“A Primeira Vez” (Alcebíades Barcelos e Armando Marçal) – 1940

“Pela Primeira Vez” (Noel Rosa e Cristovão de Alencar) – 1936

“Curare” (Alberto Simões – Bororó) – 1940

“Dama do Cabaré” (Noel Rosa) – 1936

“Lábios Que Eu Beijei” (J. Cascata e Leonel Azevedo) – 1937

“Preconceito” (Marino Pinto e Wilson Batista) – 1941

“Aos Pés da Cruz” (Marino Pinto e José Gonçalves) – 1942

“O Homem Sem Mulher Não Vale Nada” (Arlindo Marques Jr. e R. Roberti) – 1939

“Meu Consolo É Você” (Nássara e Roberto Martins) – 1938

“Lealdade” (Wilson Batista e Jorge de Castro) – 1942

“Meu Romance” (J. Cascata) – 1938

“Cidade do Arranha Céu” (Edgard Cardoso, Ranchinho e Alvarenga) – 1936

“Faixa de Cetim” (Ary Barroso) – 1942

Zé Guilherme

Cearense de Juazeiro do Norte, Zé Guilherme já demonstrava em seu primeiro CD,Recipiente (2001), que aliava um repertório criterioso à sua voz precisa e refinada, moldada por uma interpretação marcante e forte presença de palco. Em 2006, lançou o segundo disco, Tempo ao Tempo, que registrou a maturidade do artista e a forte influência que a metrópole exerce sobre aqueles que vêm de terras interioranas. Suas raízes cearenses se misturam “ao som e ao sabor de cada minuto vivido na metrópole paulistana com sua rica e diversificada produção que reflete os mais distintos matizes e origens”, como o próprio explica.

Recompensas a partir de 25 reais. Acesse já, participe e nos ajude a divulgar:

http://www.kickante.com.br/campanhas/ze-guilherme-canta-orlando-silva-e-te-convida

Você já é FLUX na ERA DO CONHECIMENTO?

@Eu quero é te criar a dúvida para que descubra, nas infinitas possibilidades, a sua verdade. Isso é pensar.

@O profissional da área de projetos e de eventos, em sua maioria, já é muito FLUX. Geração Flux é um tema super atual em 2015, mas este termo foi criado pela revista americana “Fast Company” em 2012. Flux é a nova geração de profissionais que vem surgindo e estão abertos e prontos para as instabilidades e eventualidades, possuem variados conhecimentos e formação, são criativos, tolerantes, multitarefas, cooperativos. E não são só os jovens, eles tem idades muito variadas.

Tenho trabalhado para que este blog (meio site), site  (meio blog), seja um ponto de informação e de conhecimento para quem o segue e lê. Quero é que você se torne um melhor pensador a partir de SUAS conclusões.

Para chegar a alguma conclusão temos que passar por várias fases e analisar diversos conteúdos, ter um olhar e pensamento crítico. Quando for capaz de fazer isso será capaz de ser ainda mais FLUX. É isso que vamos trabalhar sempre por aqui.

O foco do trabalho é INTELIGÊNCIA EM PROJETOS E EVENTOS, em áreas variadas. Meu principal diferencial é trabalhar com vocês o exercício do pensamento, da dúvida, do cogitar, do papel do advogado do diabo, das possibilidades, da pesquisa, das variáveis. Isso fará você ser cada vez mais assertivo nos seus planejamentos.

Não me interessa dar somente um conteúdo pronto baseado nisso ou naquilo. Quero que você aprenda a pensar e questionar o que recebe de informação. Questionar as “grandes verdades”, os gurus que nascem todos os dias mas que morrem também. Que você participe ajudando a construir, a criar conceitos, a novas idéias, a olhar para outros lados.

O passo a passo, a técnica, de um projeto ou de um evento tem por toda internet nas mais variadas formas. Isso não é novidade e ninguém tem exclusividade sobre estas informações. Será sempre só mais uma ferramenta. Mas o exercício de pensar te fara planejar e prever melhor as possibilidades e riscos dos seus projetos e eventos.

E como exercitamos isso?

Podemos começar com estas  05 dicas para você ser mais “pensante” e mais “fluxer”.

@criativo31) Desconfie de tudo e de todos, incluindo você. Questione e quebre suas próprias crenças e certezas. Transponha os paradigmas. O que funcionava ontem não é o que funciona hoje. Coloque as variadas respostas em uma lista sem pensar “isso é certo” e “isso é errado”. Esta ainda é a fase de pesquisa, todo material é válido. É além de “pensar fora da caixa”, é pesquisar primeiro tudo o que está fora da caixa para depois pensar.

2 ) Ouça e leia tudo o que puder em todo o tempo que lhe for possível. Esta é a era do conhecimento, as informações são como uma cachoeira que jorra sem parar. Informação é a riqueza, o ouro, o novo poder. Mas cuidado pra não enlouquecer. Minha dica é: organize seu tempo para isso, organize a forma de receber, ler e ver esse conteúdo. Procure conteúdos da sua área mas não esqueça de mesclar com os que são diferentes, isso faz tudo mais interessante.  As mudanças acontecem a cada momento. Se você parar um pouco que seja,  já estará atrasado.

3) Antes de decidir, reúna e compare todas informações, suas e dos outros.. O máximo de conteúdo te ajudará a traçar um panorama mais realista e abrangente da situação para decidir melhor. Mesmo que pareça absurdo a direção que pensou, confie no seu instinto e na sua competência para assimilar e concluir com base nas informações. Não tenha medo de inovar.

4) Exercite a resiliência. Se entregue. Viva cada segundo e tenha certezas só para os próximos 30 minutos. Esteja pronto constantemente para as mudanças. Esteja pronto para enfrentar desafios. Esteja pronto pra lidar com perdas. Mas principalmente esteja pronto para não se abalar e continuar produzindo mesmo quando tudo parece estar desmoronando. Mantenha o foco no futuro. Veja sempre a luz no fim do túnel e encontre sempre a flor de lótus na lama.

5) Faça tudo isso em menos de 1 hora. Seus dilemas, questões ou grandes decisões não podem demorar muito para ser tomadas. O tempo não é e não será seu amigo neste novo momento. Isso vale pra projetos, para eventos, para decisões e para tudo na sua vida.

@criativo2

Mas como tornar isso menos cansativo, desgastante? Procurando um trabalho que lhe dê felicidade. Quem faz o que gosta trabalha mais feliz.

E como fazer esse pensamento ser cada dia mais fácil? Como pesquisar, observar, juntar estas informações e tomar decisões tão rapidamente? Exercitando e trazendo conteúdo para seu cérebro.

Para o conteúdo é só se manter atendo e informado. Para exercitar seu cérebro faça atividades simples como jogo de xadrez, palavras cruzadas, dançar, ler um livro etc. A cultura não é um luxo, é uma necessidade. Hoje também você tem aplicativos específicos que “treinam o cérebro”. Aumentar o QI é possível.

(DICA: o um aplicativo que chama “Peak” (tem pra Android, Windowns e Apple) que exercita com joguinhos fáceis a memória, o foco, o raciocínio e a linguagem. Sua pontuação é de acordo com a profissão que você exerce. Ele propõe um treino diário, como uma academia. )

Faça isso até chegar um momento que na hora de elaborar ou gerir um projeto ou evento você conseguirá rapidamente pensar em todas as linhas possíveis de riscos, sucesso, problemas, soluções a partir do primeiro ponto e responder rapidamente a tudo. Quanto mais você alcançar este nível de resposta, mais fácil será conquistar seus objetivos.

Não se esqueça da regra básica sobre as grandes conquistas: Trabalhar dá trabalho.

Aguardo agora as suas observações sobre este tema.