EDITAL DE OCUPAÇÃO DE ESPAÇOS CULTURAIS EM OSASCO – SP

Confira abaixo o edital de ocupação de espaços culturais da Seretaria de Cultura de Osasco – SP:

Portaria Interna n.º 06/2016 Edital de Ocupação de Espaços da Secretaria da Cultura

A PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE OSASCO por meio da SECRETARIA DA CULTURA faz publicar neste edital, para conhecimento dos interessados, que estarão abertas, no período de 28 de março a 29 de abril de 2016, as inscrições do processo seletivo para ocupação dos espaços culturais administrados pela Secretaria da Cultura, conforme as normas estabelecidas abaixo. O presente Edital de Ocupação dos espaços culturais administrados pela Secretaria da Cultura de Osasco tem como objetivo incentivar a circulação e apresentação de espetáculos e estabelecer a forma e os critérios para ocupação dos espaços públicos, a fim de gerar um processo de isonomia de oportunidades que atenda aos objetivos da política cultural da Secretaria da Cultura, no que se refere à programação cultural da cidade, contemplando os períodos disponíveis na temporada compreendida entre 08 de junho à 18 de dezembro de 2016.

O presente Edital visa identificar propostas de projetos artístico-culturais que se coadunem com os objetivos da Secretaria da Cultura do Município de Osasco, voltados à democratização do acesso à cultura via criação de plateias.

1 – DO OBJETO

1.1 – Constitui objeto do presente Edital a seleção de atividades artístico-culturais, temporárias, em 03 (três) espaços culturais administrados pela Secretaria da Cultura, a saber: Espaço Cultural Grande Otelo – com programação de quarta à domingo Teatro Municipal Glória Giglio de Osasco – com programação de quarta à domingo Teatro Nivaldo Santana – com programação de sexta à domingo

1.2 – Para o Teatro Municipal Glória Giglio de Osasco a Secretaria da Cultura receberá propostas como abaixo detalhado: Quarta Feira – Programa 4ª Sinfonia (propostas de Música – Instrumental e/ou Vocal – Erudita ou Popular) De Quinta à Sábado – Espetáculos de Teatro, Música, Dança e Domingo – Espetáculos de Teatro Infantil

1.3 – Para o Espaço Cultural Grande Otelo e Teatro Nivaldo Santana, a ocupação estabelecida neste Edital destina-se a selecionar e agendar espetáculos artísticos, contemplando apresentações nas modalidades: Teatro, Música, Dança e Audiovisual.

Veja as datas, regras e disponibilidades no link, página 36 – EDITAL

Curta, comente e compartilhe. Conhecimento tem que circular 😉

APROVEITE O PRONATEC DA CULTURA

image

Pronatec Cultura: passo a passo para gestores públicos

Está aberto o processo de abertura de vagas para o Pronatec Cultura deste ano. O número de vagas será estabelecido a partir da demanda de secretarias municipais e/ou estaduais de cultura, ou órgão equivalente – apresentada ao Ministério da Cultura (MinC), por meio de sua Secretaria de Formação Artística e Cultural (Sefac).

Confira abaixo os procedimentos necessários.

Como aderir ao Pronatec Cultura?
As secretarias de Cultura ou os órgãos responsáveis pelas políticas públicas culturais de estados e municípios contatam o MinC pelo endereço eletrônico pronatec.cultura@cultura.gov.br, manifestando sua intenção em participar do Pronatec Cultura. 

Como solicitar vagas?
Os órgãos interessados receberão por e-mail uma planilha de mapeamento de demanda, na qual deverão informar e justificar quantas vagas e quais dos cursos disponíveis desejam ofertar em sua região. Confira aqui a lista dos 75 cursos ofertados nesta edição do Pronatec Cultura. Mais informações estão disponíveis no site do programa, dentro do Guia de Cursos de Formação Inicial e Continuada (Guia Pronatec de Cursos FIC) e do Catálogo Nacional de Cursos Técnicos.

Quem oferta os cursos?
O ofertante é a unidade educacional cadastrada no Sistema Nacional de Informações da Educação Profissional e Tecnológica (Sistec) e habilitada pelo MEC para realizar os cursos do Pronatec Cultura. São ofertantes do Pronatec: os Institutos Federais, o Sistema S e as escolas técnicas municipais e estaduais. Se em sua região existe fundação de cultura que oferte cursos técnicos, entre em contato com o MinC pelo emailpronatec.cultura@cultura.gov.br para verificar a possibilidade de cadastramento dessa instituição.

Homologação de vagas 
Baseada nas demandas de todo país, o Ministério da Educação (MEC) pactua com as unidades ofertantes a quantidade de vagas que poderão ser abertas. O resultado será publicado nas páginas do Sistec e do MinC.

Pré-matrículas e matrículas
Definido o número de vagas disponíveis, os órgãos responsáveis pelas políticas públicas culturais de estados e municípios terão preferência sobre as vagas que solicitaram. Os órgãos terão quatro dias exclusivos para realizar as pré-matrículas nestas vagas. Depois desse prazo, as vagas serão compartilhadas com outros demandantes e, caso ainda não tenha sido preenchidas, são abertas as inscrições on-line no site do Pronatec. 

Sobre o Pronatec 
O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) é um programa do Governo Federal, coordenado pelo MEC, cujo objetivo é expandir, interiorizar e democratizar a oferta de cursos de educação profissional e tecnológica no país. O MinC é responsável pelo Pronatec Cultura, modalidade que, desde 2013, já ofertou  50.341 vagas em cursos técnicos na área cultural em todo Brasil.

Mais informações
Além do site Pronatec e do MEC, mais informações podem ser obtidas com a Sefac/MinC pelo email pronatec.cultura@cultura.gov.br  ou pelo telefone (61) 2024-2275. 

FONTE: material publicada pela Secretaria de Formação Artística e Cultural – Ministério da Cultura – no site: http://www.cultura.Gov.br

 

10 DICAS IMPORTANTES PARA REALIZAR OS PROJETOS

Segue aqui 10 dicas importantes que você precisa saber sobre projetos:

writing-1170138_960_720

  1. SE SEU PROJETO NÃO ESTÁ ESCRITO, NÃO TEM OS ORÇAMENTOS E CRONOGRAMAS DESENHADOS, VOCÊ NÃO TEM UM PROJETO, TEM SÓ UMA IDEIA. – Algumas pessoas têm idéias, fazem um pequeno resumo no papel, apontam as justificativas etc., mas não escrevem nada de prático. Isso não é um projeto, é uma ideia, não confunda. As perguntas que orientam para esta construção detalhada são: O que é, quanto é, para quando é, com quem é, como é e por aí vai.
  1. ESCREVA UM PROJETO PELO PROJETO E NÃO PARA UMA LEI OU EDITAL – Um projeto tem que atender a uma demanda visualizada no planejamento estratégico da pessoa, empresa ou instituição. A ação de desenhar e escrever um projeto, que custará seu tempo, deve ser alinhado com a visão geral do caminho a percorrer. Leis e editais são para viabilizar financeiramente os projetos que você sonha, que você precisa.
  1. PROJETO TEM COMEÇO, MEIO E FIM, ao contrário de uma empresa ou uma carreira que trabalhamos para que não tenha fim. Um projeto sempre tem um objetivo que, ao ser cumprido, finaliza as ações. Portanto, pensar nesse desenho é também pensar em uma boa finalização. Tem gente que faz projeto que nunca termina. Fica enrolado com prestação de contas, com finalização de fotos e vídeos etc. Isso é erro de planejamento.
  1. PROJETO TEM QUE CONTER A VERDADE, NADA MAIS DO QUE A VERDADE– Isso é muito importante para se aprender com relação aos projetos. Alguns acham que é difícil escrever, pois focam em argumentos e condicionamentos que tornam o “escrever um projeto” algo intocável. Para escrever coloque a verdade exata de como você vai fazer, o que vai precisar para construir e executar sua ação.
  1. PROJETO É UMA RECEITA DE BOLO – ao escrever um projeto escreva de forma que quem pegar o documento possa executá-lo. Ele é uma receita tem que ter todos os ingredientes e o “modo de fazer”. Para testar, dê pra alguém que não é da área ler. Se entender, maravilha, está pronto.
  1. PROJETO NÃO É TESE DE TCC – Um projeto não é uma tese para doutorado ou mestrado. Não deve ter linguagem rebuscada e deve ser de fácil compreensão. Deve ser claro, direto e prático. Somente na justificativa que é permitido dissertar sobre a importância, o contexto. Mas mesmo assim não deve ser extenso.  
  1. PLANEJE, PLANEJE, PLANEJE E DEPOIS ESCREVA – A parte mais importante na construção de um projeto é o planejamento. É nessa hora que há pesquisa de mercado, avaliação do contexto, discussão e mapeamento de riscos etc. Enquanto essa visão geral não for avaliada e processada não se deve finalizar o documento. Quanto maior a pesquisa, maior o acerto.
  1. LEIS DE INCENTIVO OU EDITAIS SÃO FÁCEIS DE ESCREVER E CADASTRAR –Nenhuma lei de incentivo ou edital é difícil de participar. Com o projeto pronto e escrito faça o que pede a lei ou edital. O que não pode é ter preguiça de ler, de buscar conhecimento. Mas, se está inseguro ou não tem tempo, sempre tem um bom produtor no mercado que pode escrever e cadastrar o projeto “com” você.
  1. CAPTAÇÃO DE RECURSOS E PRESTAÇÃO DE CONTAS COMEÇA NO PLANEJAMENTO – Essa é uma parte também muito importante de saber. Na fase do planejamento é também a hora de pensar de onde virá o dinheiro e quais as possibilidade. E como esse dinheiro será gasto e como isso será comprovado. Estes dois itens bem planejados evitam muitas dores de cabeça.
  1. PROJETO É UM MEIO, NÃO É O FIM – Outra confusão que se faz e achar que ter projetos é fundamental para a sobrevivência do grupo, da entidade, do artista etc. Fundamental é saber “o que você quer ser quando crescer, além de salsicha” (risos). Fundamental é saber aonde quer chegar e criar um planejamento estratégico. Nesse planejamento poderá conter um ou mais projetos e estes devem ter relação com o que se pretende conquistar. E não o contrário.

E é isso. Espero que tenha sido útil. Gostou? Curta e comente. Mas principalmente, compartilhe “Conhecimento tem que circular”.