MEU PAI CUMPRIU SEU DESTINO E NÓS CONTINUAMOS O NOSSO (My father fulfilled his destiny)

Meus amigos, como alguns sabem meu pai esteve internado. Mas depois destes dias tristes ele veio a falecer. Agora estou retomando e reorganizando o meu trabalho. Em breve atualizações que estão pendentes, novidades e postagens freqüentes, sobre INTELIGÊNCIA EM PROJETOS E EVENTOS.

José Augusto de Lima JuniorConfesso que foram meses em que apesar de tentar fazer tudo normalmente, o cérebro não correspondia. Eram muitos pensamentos. Muita vida sendo passada a limpo. Muitas tensões e emoções e isso mexe com a gente.

A dor maior dura três dias, o sétimo dia é para lembrar e auxiliar que sua alma siga em paz. Os trinta dias para renovar e auxiliar qualquer pendência. Mas o luto dura pelo menos um ano até que passemos cada data importante deste ciclo sem ele.

Mas estes quase 05 meses, 140 dias, foram bons pra aprender. Aprender muita coisa como Paciência, Fé, Cooperação, Amizade e principalmente Resiliência.

Atualmente resiliência é utilizado de muitas formas para caracterizar pessoas que têm a capacidade de retornar ao seu equilíbrio emocional após sofrer grandes pressões ou estresse.

Algumas situações também podem exercitar, aumentar e até fomentar o surgimento dessa “RESILIÊNCIA”.  Basta que estejamos atentos a ligar os fatos e acreditar em algo maior que a própria vida. Acreditar na matemática do universo que como disse Einstein, não é filosofia, é física pura. Podemos entender e enxergar os porquês e os sinais dessa nossa passagem.

Nesse tempo em que meu pai ficou na UTI exercitamos a cooperação e amizade na família, com os amigos e até com desconhecidos que estavam ou estão na mesma situação ou até pior. Muitos laços foram fortalecidos e muitos foram criados.

Há 11 anos meu pai teve um câncer de pulmão e graças a uma cirurgia experimental feita no Hospital das Clínicas em São Paulo, pela equipe da brilhante Dra Teresa Yae Takagaki (tudo feito pelo SUS) ele se curou. Claro que para uma pessoa que bebeu pelo menos 30 anos e fumou pelo menos 40 foi um milagre sua cura. Mas como conseqüência teve falência dos rins pouco a pouco onde há quatro anos ele já fazia hemodiálise. E outras situações. Ou seja, estamos falando de uma pessoa muito forte, de um guerreiro. Que lutou até quando pode ou até quando realmente foi necessário.

Há algum tempo já vínhamos notando tinha dias que estava mais abatido que outros. Quando foi internado foi um “Deus nos acuda”, pois ficou mal, a ambulância que iria levá-lo para a necessária hemodiálise em outra cidade atrasou, o médico da ambulância chegou drogado ou bêbado e isso agravou muito o estado de saúde do meu pai que necessitava limpar seu sangue. Depois com tudo se gravando ele precisou urgente de uma UTI, não havia vagas e ufa, finalmente há menos de 2 horas de uma eminente morte, conseguiu ser internado na UTI do maravilhoso Hospital da cidade de Bapendi. Dia 29 de março de 2014 às 22h15min.

Ficou lá quase cinco meses, 140 dias, o dia dos pais, o seu aniversário, o aniversário da esposa, o aniversário de duas filhas, o aniversário dos genros e nora e a Copa do Mundo que pra ele que gostava de futebol era importante.

Ficou em coma induzido por quase por 10 dias e depois por mais cinco ou seis não acordava. Acordou, sorriu, abriu aqueles lindos olhos azuis e disse “oi, tudo bem?”. Teve 05 infecções, hemorragia e tomou duas vezes sangue, suspeitaram de tumor na cabeça, inchou muito, desinchou, teve diarréias, foi até cogitado a possibilidade de amputar um dedo, pois parecia estar necrosando. Teve poucas feridas, mas reclamava muito da que tinha nas costas, ficou magro, não… Ficou puro osso. Por duas vezes nos disseram que ele não iria mesmo agüentar. Mas ele estava ali, agüentando, indo e vindo dos seus sonhos e a gente ia também resistindo e não desistindo.

Ah.. “Paciência”. Às vezes passava dois, três, cinco dias em que tudo estava “estável” um “estável duvidoso, mas que no final melhorava ou respondia a algum medicamento ou intervenção. Às vezes os 30 ou 40 minutos de fila da UTI pareciam intermináveis, para mim, para minha família e para as outras nove famílias que também esperavam na paciência de que tudo poderia ser melhor naquele dia. Amávamos e odiávamos os médicos na paciência de ouvir tudo novamente e nada ser muito diferente. Essa paciência que normalmente não temos no nosso dia a dia. Queremos ser atendidos na hora, queremos ultrapassar os carros que estão a nossa frente, queremos que tudo seja rápido. Essa nossa falta de paciência no dia a dia nos faz cruel. Faz mal.

Nesse tempo vimos pessoas entrando de manhã e morrendo a noite. Pessoa que está há mais de nove meses e a família conta até as horas. Pessoas que a família ficava muito desesperada, que a família rezava para que Deus fizesse o melhor, que não tinham a família visitando, que morreram diante de sua família que sofriam que sofrem, mas que também aprende. Todos os envolvidos aprendem. É só olhar bem, de perto, com os olhos do coração.

E o SUS…. Esse SUS que muita gente reclama, mas que em Baependi vimos que também muito depende de quem administra o hospital, o sistema de saúde municipal. Com toda dificuldade, ali funciona muito bem.  Os médicos são maravilhosos, dedicados. Os enfermeiros e auxiliares de um carinho e dedicação ímpar. Essa dedicação e essa entrega fizeram toda a diferença. E foi também pelo SUS que meu pai esteve em São Paulo no Hospital das Clínicas. É nessa hora que penso e chegou à conclusão de que o nosso sistema de saúde precisa de mais seres humanos, de mais compaixão, de mais caridade e de menos politicagem, de menos afetação, menos auto piedade, menos capitalismo. O amor, a gentileza e a compaixão serão sempre a solução.

E no meio de tantos pensamentos, tantas conclusões, tantas indecisões, meu pai ali, resistindo. Com traqueostomia, alimentação na sonda, soro. Fazendo hemodiálise dia sim dia não, no braço, depois na virilha, depois no pescoço.

Às vezes lúcido e calmo perguntando por todos, fazendo piada. Jogando beijinhos para minha mãe e dizendo que a amava. Acertando que a Alemanha iria ganhar. Ás vezes lúcido e bravo, arrancando a sonda, pedindo para tirar ele dali, tentando levantar, que estava ali preso, que não queria morrer no hospital, para desamarrar, pois ele queria sair. Às vezes confuso onde pedia um cigarro, mas tinha parado de fumar a 12 anos, pedindo seu carro, mas que há muito não tinha mais e nem dirigia, dizendo que eu tinha o mesmo nome da filha dele ou dizendo que estava ali só descansando e que logo estaria em casa, que a enfermeira tinha “roubado seu pijama”, que tinham jogado o dinheiro dele no lixo, que ia ali comer uma comidinha e já voltava. Aliás… Nos últimos dias falava muito de comida, queria pão com ovo, arroz e feijão. Cortava o coração, mas o médico disse que era porque estava mais lúcido. E estava mesmo bem lúcido e falou com todos, despediu de certa forma. Ganhou presente do dia dos pais e ficou feliz. Raramente chorou. Ele sorria, ria, sempre, mesmo no hospital, mesmo nos altos e baixos. Raramente estava de mal humor.

Foram dias tristes para toda minha família. Mas foram os dias necessários para que tudo tivesse seu encaixe e que todos se confortassem quando chegasse à hora. E ela chegou.

Para esta vida material ele deixou uma grande família. Uma família que nunca foi rica, que sempre lutou pelo que queria e que aos trancos e barrancos superou tudo pela união, pelo amor, pelo trabalho.

Meu pai nos amou muito, amou muito a minha mãe. Mas era um sonhador e errou em algumas coisas ao tentar “provar” que podia fazer diferente. Mas era apaixonado ao seu jeito pela sua família. Fez questão de escolher o nome de cada filho e cada um por um motivo. Era Católico. Fazia parte da Rosa Cruz. Era muito inteligente. Era topógrafo, bom em matemática e passou seu “gene” para todos os filhos. Mas o olho azul só pra uma das netas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Meu pai nos deixou de herança uma linda família quase italiana que fala e briga, mas que se ama e é unida. E deixou conhecimento, muito. Mesmo quando esteve distante deixou livros e mais livros, enciclopédias e acabamos lendo quase tudo. Ele nos ensinou a questionar a “história” do descobrimento do Brasil, da abolição da escravatura, da possibilidade de outros planetas habitáveis. Lia a Bíblia, sabia muita coisa. Mas lia também sobre maçonaria, Blawasky e Krishnamurtti. Sabia muito sobre história. Tinha a estrela de Davi tatuada no braço, que é a representação visual de uma classe de símbolos relacionados com Deus, a criação e perfeição. E claro nos tornou filhos muito cheios de opinião, certezas e questionamentos, o que é bom e ruim….rrs.

Meu pai era uma pessoa especial.

E assim, mesmo com todos tristes, sabemos que foi a conta exata a sua permanência. A conta de quem cumpriu sua missão e que com todos os tropeços e dificuldades construiu muito. E agora, mais resilientes ainda, que possamos dar seguimento e utilizar tudo o que nos foi deixado para sermos pessoas melhores.

Meu pai fez a passagem com o dever cumprido.  E para renovar a vida, nasce no final do ano o seu terceiro neto que foi descoberto no dia em que ele foi internado. Essa é a vida, um ciclo milagroso que se você não acredita em nada, a física explica.

Família

 

 

 

 

 

 

 

 

Fim.

CRESCIMENTO NO MERCADO DAS FEIRAS DE NEGÓCIOS – MELHORE SUA PERFORMANCE

Marília de Lima - PROJETOS E EVENTOS

O Mercado de Feiras de negócios movimenta bilhões em todo o mundo. O crescimento anual deste seguimento cresce aproximadamente 20% ao ano. Mais e mais empresas utilizam esta forma de evento para divulgar sua empresa e gerar negócios. Estamos em uma época em que o profissionalismo e o resultado financeiro são mais do que obrigatórios. Um momento em que atrair público é ainda mais difícil pois a internet superlota com possibilidades e convites.

49b672714ab0041e22ff51156f88c04eEm todo o mundo a visão destas feiras deixou de ser de ‘momento de encontrar amigos e clientes’ para ser um momento de ‘gerar receitas e grandes negócios’. As feiras encurtam caminhos, reduzem custos, é o showroon dos negócios de cada setor. Existem empresas que investem até trezentos mil dólares para participar de uma única feira por ano, com um pequeno estande, para sentar e conversar com um cliente “X” que normalmente não o atenderia no escritório…

Ver o post original 243 mais palavras

CRESCIMENTO NO MERCADO DAS FEIRAS DE NEGÓCIOS – MELHORE SUA PERFORMANCE

O Mercado de Feiras de negócios movimenta bilhões em todo o mundo. O crescimento anual deste seguimento é aproximadamente 20% ao ano. Mais e mais empresas utilizam esta forma de evento para divulgar sua empresa e gerar negócios. Estamos em uma época em que o profissionalismo e o resultado financeiro são mais do que obrigatórios. Um momento em que atrair público é ainda mais difícil pois a internet superlota com possibilidades e convites.

49b672714ab0041e22ff51156f88c04eEm todo o mundo a visão destas feiras deixou de ser de ‘momento de encontrar amigos e clientes’ para ser um momento de ‘gerar receitas e grandes negócios’. As feiras encurtam caminhos, reduzem custos, é o showroom dos negócios de cada setor. Existem empresas que investem até trezentos mil dólares para participar de uma única feira por ano, com um pequeno estande, para sentar e conversar com um cliente “X” que normalmente não o atenderia no escritório em dias normais e desta conversa gerar um negócio de milhões de dólares.Foi com base nestes e tantos outros dados que a empresária, especializada em eventos, Marília de Lima criou o “WORKSHOP PRESENCIAL: “COMO PARTICIPAR COM INTELIGÊNCIA NAS FEIRAS DE NEGÓCIOS” onde mostra que participar de feiras colocando um estande bonitinho não é tão simples e preciso planejamento. É preciso um projeto que atenda as demandas da oferta e procura de cada setor.

ddd11519be2bb43dc578b0ccfa509c9eO workshop, com duração de 16 horas, mostra todas as etapas envolvidas no processo de participação.

-Todas as etapas do projeto e evento, / -como atrair clientes para seu espaço, /-tipos de estandes e decoração, móveis, paisagismo / – grandes estandes , pequenos estandes, / – estandes construídos, estandes mistos e estandes em estruturas prontas / – análise de riscos, / – documentos e licenças de cada evento, contratos, / – como atender, / – treinamento de recepcionistas e modelos, / – PDV, / – equipamentos audiovisuais, / – material gráfico, brindes, / – promoções, / – divulgação, / – uniforme,  / – relatórios, / – avaliações e análises de resultados entre vários outros temas serão apresentados.

O participante receberá a apostila com o conteúdo e certificado.

38c7047027af4980e24b60f93a9ca578

77206a09c591ed83fc8a703eb6162a9dO evento acontece na última semana de setembro, ainda sem data. Seu investimento será de R$ 780,00 (setecentos e oitenta reais) – incluindo o material + coffe-break e estacionamento. Será concedido 20% de desconto para inscrições feitas até dia 10 de setembro e desconto especial para grupos de funcionários de empresas. Informações podem ser obtidas pelo email mariliadelima@gmail.com.

PEACE AND LOVE IS THE NEW, OLD, WAVE

Sim, trabalhamos com projetos e com eventos. Sim, trabalhamos com cultura e com economia criativa. Sim, trabalhamos com o terceiro setor. Mas principalmente sim, precisamos também ser cidadãos do mundo, preocupados também com o que acontece de ruim sem ficar restrito ao nosso mundinho. OQAAALBR1X_DPSqYUwF_Mni79PbbtQPiozSsU2TYGy24TyfVSI6XWnv3d4NaJChjBbJYQTA8tCGdbas1U-mdovALpuQAm1T1UMkgTKvE37Gm3mgC8Xf7NYufFfVD

No mundo atual são mais de 30 conflitos graves, guerras, desentendimentos explícitos atualmente no mundo. Fora os que escravizam e destroem sem “necessariamente” ser uma guerra. Dos conflitos mais graves temos a guerra civil na Síria, desde 2011. As ameaças da Coréia do Norte. O conflito do Sudão com o Sudão do Sul. A instabilidade no Iraque. As brigas entre China e Japão. A instabilidade política do Paquistão. Os conflitos na Bósnia, Rússia, Iêmen, Jordânia, Myrammar, Ucrânia etc. São milhões de desabrigados e refugiados, milhares de mortos. Pessoas passando fome. Crianças mortas. Mulheres estupradas. Escravos. Destruição.

E por quê? A maioria por conflitos de opinião e falta de respeito pelo próximo e a demanda “carniceira” do poder econômico. Ditadores por todas as partes. Lobos em pele de cordeiro dizendo que estão “tentando interferir para ajudar”. Mas no final, a guerra continua e os poderosos ganham o jogo e destroem milhares de pessoas, de famílias.

Em 1958 foi criado, pela Campaign for Nuclear Disarmament, na Inglaterra, por Gerald Holtom, um designer inglês, um símbolo para o desarmamento nuclear .

Símbolo-da-Paz-união-das-Letras-N-e-D-no-código-das-bandeirasO símbolo é uma composição das letras N e D (Nuclear Disarmament). Na sinalização com bandeiras a letra “N” é formada por uma pessoa que segura duas bandeiras em um “V” de cabeça para baixo, e a letra “D” é formado segurando uma bandeira apontada diretamente para cima e a outra reta pontuda abaixo. Os dois foram sobrepostos formando o símbolo que nos anos 60 foi usado pelos Hippies como o símbolo da Paz e do Amor.

E com tudo o que acontece nada mais atual do que usar e propagar a paz e o amor.

A paz para o fim das guerras, conflitos e matanças. Não importa o lado, todos estão sem razão quando mata o outro.

hippie-simbolo-da-paz-cruz-de-neroO amor para que haja mais entendimento e que de verdade os conflitos sejam solucionados com o diálogo onde o povo tenha o mínimo digno para sua sobrevivência.
E é nessa atualidade que convido aqueles que acham que o diálogo pode salvar a todos a divulgarem e utilizarem esse velho, novo, logotipo e grito. PAZ E AMOR!!!!

“As opiniões causaram mais males do que a peste ou terremotos neste pequeno nosso mundo”. ou “Não concordo com uma palavra do que dizes, mas defenderei até o ultimo instante seu direito de dizê-la.” VOLTAIRE